Billy Corgan, do Smashing Pumpkins
Foto de Billy Corgan via Shutterstock

Recentemente, Billy Corgan, vocalista do Smashing Pumpkins, compartilhou nos stories do Instagram uma foto do Black Sabbath com a seguinte legenda: “para mim, sempre começa e termina com o Sabbath. Porque nenhuma banda me inspirou mais”.

Em conversa com Chuck Armstrong no Loudwire Nights na última sexta-feira (5), o cantor explicou por que a banda de Ozzy Osbourne é tão profundamente significativa para ele.

Na entrevista, Corgan disse que o primeiro grupo que escutou foi The Beatles, aos 5 anos de idade, mas que o Sabbath representou algo ainda mais profundo, aos 8 (via Loudwire):

[O] Sabbath foi a primeira banda com a qual eu realmente me conectei pessoalmente. Eu amava os Beatles quando tinha cinco anos, mas o Sabbath estava fazendo música para mim e eu não sabia o que isso significava. Eu nem consigo articular isso até hoje. Há algo no Sabbath que me faz pensar sobre as estrelas e a lua e como é um universo grande e louco lá fora e estamos apenas navegando aqui neste pequeno planeta. Aos oito anos de idade, eu ouvi o Sabbath e senti isso. Meu Deus, o que é esse sentimento?

Billy, que pôde trabalhar em 2000 com Tony Iommi em seu primeiro álbum solo, Iommi, também descreveu o Sabbath como uma banda com “humanidade”:

Certa vez, tive uma conversa com Tony e ele estava falando sobre quando eles iam de Birmingham para Londres. Eles sempre eram criticados pela imprensa. Eu fiquei tipo, ‘Não entendo’. As pessoas reconheceram desde o início que algo estava acontecendo com o Sabbath. Eles eram uma grande banda. Mas ele disse, ‘Sim, mas nós éramos de Birmingham. Não éramos de Londres e porque não éramos de Londres, nós sempre teríamos uma divulgação ruim. Toda vez que entramos na van para ir a Londres, nós meio que resmungávamos, tipo, lá vamos nós. Sabemos que vamos fazer nossa viagem e seremos a porra do Black Sabbath, mas no fundo da nossa mente, sabemos que há um cara que vai tentar nos atacar’.

Quando se tem talento nada pode atrapalhar, né?

Billy Corgan também citou Judas Priest e Queen

Na sequência, Billy ainda mencionou Thin Lizzy, Judas Priest e Queen como referências para o Smashing Pumpkins:

Acho que a semelhança entre nós e bandas como Thin Lizzy ou Judas Priest ou Black Sabbath e até Queen, até certo ponto, é a conexão. Porque as pessoas realmente vieram dessa classe trabalhadora e fizeram músicas muito ambiciosas e, em algum lugar, algum crítico simplesmente não gosta da maneira como andam ou das coisas sobre as quais cantam.

Corgan, citando também RainbowDeep Purple e Joy Division, explicou que os Pumpkins podem ser uma banda de metal se e quando quiserem, mesmo que a cena não os reconheça como tal:

Eu sei que isso meio que irrita algumas pessoas do metal porque no metal, você tem que ser um líder, você tem que estar totalmente comprometido, cada música tem que estar gritando no topo de seu cérebro. Nós realmente amamos metal. Sempre nos esforçamos para homenagear as bandas que nos inspiraram, Rainbow e Deep Purple, não preciso listar as grandes bandas… E se você olhar para isso, nós realmente fomos uma das únicas bandas alternativas que realmente se esforçaram para dizer, ‘Vamos prestar uma homenagem’. Sempre vou lembrar aos jornalistas hipsters que o Joy Division foi muito influenciado pelo Black Sabbath e isso é algo que faz a cabeça deles explodir porque Deus me livre que o Black Sabbath tenha qualquer influência em suas preciosas bandas alternativas.

Se você tem alguma dúvida sobre o potencial metaleiro dos Pumpkins, vale resgatar algumas músicas da banda como “The Everlasting Gaze”, cujo riff faz inveja em muitos dos nomes mais pesados por aí!

LEIA TAMBÉM: As 11 maiores bandas de Metal da história segundo Billy Corgan, do Smashing Pumpkins

OUÇA AGORA MESMO A PLAYLIST TMDQA! METAL

Nu Metal, Metalcore, Heavy Metal, Thrash e muito mais: todo peso das guitarras aparece na Playlist TMDQA! Metal para você ouvir clássicos e conhecer novas bandas agora mesmo. Siga o TMDQA! no Spotify!