Cat Vids
Foto por Mayã Guimarães

Foram nas aventuras e emoções do cotidiano que a banda Cat Vids encontrou o mood para seu novo EP, Radicalíssimo Pt. 2. O registro, divulgado pelo selo e produtora Cavaca Recods, encerra a trilogia que teve início no EP Radical (2017), sucedida pelo disco Radicalíssimo (2020).

Mais enérgico do que seus antecessores, o novo trabalho da Cat Vids conta com 6 faixas que passam por momentos acelerados e divertidos, mas reservando espaço para músicas mais tranquilas, assuntos sérios e experimentações, sem deixar de lado o clima indie-surf-garage. Tudo isso em 15 minutos e alguns segundos.

O registro foi produzido pelo guitarrista Paulo Senoni e pelo vocalista e guitarrista Pedro Spadoni. As gravações rolaram no Estúdio Aurora por Alejandra Luciani em parceria com o baterista Aecio de Souza. A masterização é de Fernando Sanches (El Rocha). Além de Pedro (voz e guitarra), Paulo (guitarra) e Aecio (bateria), a Cat Vids conta também com Tiago França (baixo).

bala de eucalipto

bala de eucalipto
Foto por Ted Sá

Quebrapassos é o álbum de estreia da banda mineira bala de eucalipto. O grupo, que nasceu e cresceu no underground de Belo Horizonte, acaba de lançar, de forma independente, o seu primeiro disco.

Produzido por Elias Sadala (Mineiros da Lua), Quebrapassos é um disco conceitual, de 14 faixas, com pouco mais de 50 minutos de duração. O que parece um álbum longo, se destaca pela fluidez das faixas, fazendo o registro percorrer como um suspiro.

O álbum perpassa por muitos ritmos e sensações, passagens instrumentais, jogo de vozes, samples e cortes cinematográficos. Usando principalmente a roupagem do math rock, do noise e do emo, o quarteto aborda o cotidiano de um centro urbano, a velocidade da cidade, os sons dos carros e o eterno retorno às lembranças.

Pablo Vermell

Pablo Vermell
Foto por Yuri Milicevic

Pablo Vermell versa sobre anseios, dores e reinícios em seu mais recente EP, Dissolver. Para representar esses sentimentos, o músico e compositor paulista inspirou-se em nomes como The Flaming Lips, Semisonic, The Verve, The Beatles e até Fábio Jr, mas sem deixar de lado o entusiasmo pelo pop e pelo indie contemporâneo.

Para desenvolver o mini-álbum, que conta com 4 faixas, o artista trabalhou com o baterista e produtor Daniel Cataldi nas sessões de gravação. Na ocasião, Pablo gravou vozes, violões e guitarras enquanto Daniel trouxe desde as linhas de baixo até as percussões e sintetizadores. A canção “Faz Parte da Vida“, excepcionalmente, conta com o suporte do baixista Guilherme Pacito. Já a masterização é de Hiero Barhtolo.

Dissolver é um lançamento do selo Musikorama e da gravadora New Music. Segundo Pablo Vermell, o trabalho é um ponto fora da curva em sua discografia, constantemente inspirada pelos clichês dos anos 1980.

Jandaia

Jandaia
Foto: Reprodução / YouTube

Em Abril deste ano, a Jandaia colocou no mundo o seu álbum de estreia, Estrago. Meses se passaram e agora o quarteto catarinense apresenta 3 músicas do registro em uma ótima session ao vivo.

Ei Mulher“, “Baile” e “Grude” foram as faixas selecionadas para a ocasião, que contou com as participações de Marcos Aurino, na bateria; e Hiago Oliveira, na percurssão. A novidade foi gravada no Estúdio do Pipe, com imagens de Larissa Peligrini.

Formada por Victor Fabri, Murilo Salazar, Idyan Lopes e Lucas Prá, a Jandaia define seu som como “pop brasileiro” — fruto de uma mistura de muita coisa que a juventude tem escutado nos últimos tempos: como indie, hip hop, brega e, claro, funk. O álbum Estrago conta com 10 faixas que possuem absolutamente todas as características do que é o projeto.

LEIA TAMBÉM: TMDQA! Entrevista: Jandaia cria misturas inusitadas e reinventa o jeito de fazer música pop em “Estrago”

I WANNA BE TOUR

Em poucos dias o Brasil receberá uma turnê incrível com gigantes do Emo e Rock Alternativo; garanta o seu ingresso por aqui!