Mark Hoppus, do blink-182, usa inteligência artificial para criar artes
Reprodução/Twitter (@markhoppus)

Você já ouviu falar de geradores de arte por Inteligência Artifical?

A tecnologia, que está cada vez mais presente em serviços de autoatendimento, assistentes domésticos e na área da saúde, agora também pode ser usada para desenvolver a criatividade.

Com um pouco de prática, qualquer pessoa pode alimentar o sistema com referências de imagens ou até textos, e criar uma imagem que represente a sua ideia.

E quem está aparentemente explorando esse mundo é Mark Hoppus, baixista do blink-182. Em uma sequência de postagens no Twitter, o músico compartilhou artes inspiradas nas letras da banda.

Usando a ferramenta Midjourney, Mark Hoppus criou imagens que representam as músicas “What’s My Age Again?”, “Adam’s Song”, “Dammit” e “Fighting the Gravity”, a partir de trechos das letras de cada uma delas.

Embora a maioria das imagens geradas artificialmente ainda sejam um pouco bizarras, as artes publicadas pelo baixista surpreendem pela qualidade e conceito.

E aí, acha que essas imagens poderiam servir como capa dos singles? Veja ao final da matéria!

blink-182 pode vir ao Brasil pela primeira vez

Vale lembrar que os rumores de uma reunião da formação original do blink-182 estão fortíssimos, assim como de uma passagem da banda pelo Brasil em 2023.

O grupo, que nunca se apresentou em terras tupiniquins, pode ser uma das atrações do Lollapalooza no ano que vem, com a volta de Tom DeLonge e um show especial em celebração ao disco Take Off Your Pants and Jacket.

OUÇA AGORA MESMO A PLAYLIST TMDQA! ALTERNATIVO

Clássicos, lançamentos, Indie, Punk, Metal e muito mais: ouça agora mesmo a Playlist TMDQA! Alternativo e siga o TMDQA! no Spotify!