Theo Bial
Crédito: reprodução

Nesta última sexta-feira (8), Theo Bial lançou o clipe da faixa-título de seu primeiro álbum, Vertigem”.

Gravado na Praia do Sossego, em Niterói, município no Rio de Janeiro, o vídeo exibe belas paisagens através de cenas tanto coloridas quanto em preto e branco. As imagens destacam o artista e seu alter ego em takes contemplativos ao pôr do sol.

Com referências claras na Bossa Nova de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, no Samba de Chico Buarque e até mesmo no Jazz contemporâneo, Theo une passado e presente para dar forma a sua identidade musical que se aproxima da boemia carioca.

Em Vertigem, lançado no início de Maio, o jovem artista faz parceria com grandes nomes da música brasileira como Mart’nália, em “Remelexo”, e Moacyr Luz, em “Beijo e Sal”, além de seu amigo de infância, Gabriel Miranda, sua empresária, Luisi Valadão, e seu pai, Pedro Bial.

Para o disco, o apresentador e jornalista gravou ao lado do filho a música “Azul”, segunda colaboração feita entre os dois. A primeira vez que Theo e Pedro gravaram juntos havia sido em “Mais uma Vez”, faixa presente no EP Pra Sonhar, de 2021.

Para saber mais sobre o disco de estreia e novos projetos, o TMDQA! conversou com Theo Bial e o resultado da entrevista você confere a seguir!

TMDQA! Entrevista Theo Bial

TMDQA!: Definitivamente essa é uma nova fase muito interessante para você. A gente gostaria de começar falando de participações incríveis no disco “Vertigem”, como as de Mart’nália e Moacyr Luz. Como elas vieram a se concretizar e como acha que elas impactam o resultado final do álbum?

Theo Bial: Ambas vieram graças à minha empresária, Luisi Valadão, que já os conhecia e me apresentou. Com a Mart’nália, foi logo depois de gravar a base instrumental de “Remelexo”, a gente achou que era uma música forte e tinha tudo a ver com ela. Ela tem uma alegria contagiante que ficou impressa na gravação. Moacyr Luz, além de cantar comigo “Beijo e Sal”, fez a letra da música, que na minha opinião é uma das melhores letras do disco! É uma grande honra ter um compositor, dos maiores da música brasileira, como parceiro no meu álbum.

TMDQA!: Além disso, um dos marcos dessa obra é a participação do seu pai, Pedro Bial, que canta pela primeira vez em um disco. Antes de tudo a gente queria saber como é o envolvimento do seu pai com a música, e como foi a abordagem de ambos para concretizar a parceria?

Theo Bial: Meu pai gosta muito de música e sempre conversamos muito sobre cantores, composições, estilos. Ele gosta muito de cantar e cantamos juntos em casa às vezes. Depois que “Azul” estava quase pronta eu fiz o convite, achei que combinaria com a voz dele. Ele aceitou de primeira!

TMDQA!: Todos nós conhecemos uma gravação célebre do seu pai em formato de “palavra falada”, mas agora é diferente. Como você descreveria a adição da participação do seu pai ao resultado final da canção?

Theo Bial: Emocionante. Para mim é muito simbólico ter a voz dele gravada numa parceria nossa. Além dele ter feito uma interpretação extraordinária, sentindo o gosto de cada palavra.

TMDQA!: Bossa Nova, Samba, Jazz: há muito no seu caldeirão musical. Como você misturou esses elementos com seus traços originais para criar uma identidade sonora em “Vertigem”?

Theo Bial: Geralmente tudo nasce, ou é sintetizado, no violão. A partir daí a música vai tomando forma. Acredito muito na repetição e na imersão em cada letra, acorde, nota… Até que instintivamente se chegue no resultado final, deixando as coisas acontecerem.

TMDQA!: Quais são os artistas que você mais diria que influenciaram a sua obra quando você vinha compondo as canções desse álbum?

Theo Bial: Acredito que o João Gilberto principalmente, mas também ouvi bastante Chico Buarque nesse período. Lembro que conheci o Lúcio Alves nessa época e fiquei louco. Frank Sinatra também ouvi bem e muito atentamente.

TMDQA!: O nome do nosso site é Tenho Mais Discos Que Amigos!, e temos um senso de que discos são verdadeiros amigos em momentos importantes. Quais discos da música brasileira você diria que são seus verdadeiros amigos?

Theo Bial: Vou fazer uma lista: Amoroso (João Gilberto), Inédito (Tom Jobim), Malásia (Djavan), Seja Sambista Também (Grupo Fundo de Quintal), In Tokyo (João Gilberto),  Boss Guitar (Wes Montgomery), Intérprete (Beth Carvalho), O Canto Crescente de Emílio Santiago ( Emílio Santiago), O Som Sagrado de Wilson das Neves (Wilson das Neves) e Nara Dez Anos Depois (Nara Leão).

TMDQA!: Daqui pra frente, quais são os planos para o futuro próximo como forma de divulgação de “Vertigem”?

Theo Bial: O lançamento desse clipe, da música “Vertigem” e ainda tem um outro conteúdo audiovisual pra vir também, de outra música do álbum. Além disso, focar nos shows, levando a minha música para o máximo de locais possíveis.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar