Travis Scott em 2014
Foto de Travis Scott via Shutterstock
 

Em meio a diversas críticas, Travis Scott ganhou um defensor: Chuck D.

O músico do Public Enemy fez uma declaração em seu Instagram a respeito do que pensa sobre a tragédia no Astroworld, festival de Scott, que terminou com 10 pessoas mortas e centenas de feridos. Sobreviventes do acontecido estão processando o rapper e a produtora Live Nation em um total de R$11 bilhões de reais, como contamos por aqui.

Para D, porém, Travis não deveria ser apontado como um dos culpados — ainda que vídeos mostrem que o cantor percebeu a emergência acontecendo na plateia, mas decidiu por não parar seu show ou pedir calma ao público.

No texto, Chuck diz:

Travis Scott é um artista, não um promotor de shows. Ele não constrói palcos ou coordena a logística, ele não é um especialista em controle de multidões ou um segurança ou um paramédico. Mas ele confia na Live Nation e em todos os outros promotores de shows que deveriam fazer tudo isso.

Ele continua:

Estou cansado dessas empresas se afastarem de suas responsabilidades mais importantes. Essa negligência não pode continuar. As pessoas querem respostas. Eu não estou acreditando que um jovem negro fez isso. Ele está sendo culpado por um crime enquanto os velhos brancos só comandam a empresa… eles ficam quietos nas sombras, contando seu dinheiro e vendo os preços de suas ações subirem cada vez mais. A desculpa das ações irresponsáveis ​​de Scott não serão apagadas. Se seu show tinha um histórico com esse comportamento, por que promovê-lo em locais maiores? Por que fazer parceria com ele em primeiro lugar?

Em seguida, Chuck D ainda acusou a Live Nation de “silenciar” pessoas que estão saindo em defesa de Travis Scott, afirmando que a empresa os coloca em uma “lista negra” e “prejudica suas carreiras”. Ele finalizou reforçando que os promotores são os culpados, e que estão deixando um “jovem negro levar a culpa, o ódio, e o cancelamento”.

Complicado. Veja a postagem de Chuck abaixo.

Chuck D defende Travis Scott