Gary Holt com o Slayer no Rock In Rio 2019
Foto por Marta Ayora / TMDQA!
 

Gary Holt relembrou sua participação no nascimento do Thrash Metal lá nos anos 80.

Em entrevista à Metal Hammer (via Louder Sound), o guitarrista do Slayer e do Exodus falou sobre os primeiros anos da cena em San Francisco, nos Estados Unidos. Holt ainda falou sobre a suposta “rixa” com o Metallica.

Ao ser questionado sobre a importância do Exodus para a cena Thrash, Gary disse: “nós criamos a cena violenta”. E continua:

A cena era incrível. Você poderia ir a um clube diferente cinco noites por semana e nunca veria a mesma banda duas vezes. Não havia competição no Thrash Metal, porque no início éramos apenas nós e o Metallica — a primeira vez que os ouvi foi quando tocamos com eles, e parecia que estávamos olhando no espelho. Mais tarde, até teve alguma competição. As bandas eram todas amigas e nós saíamos juntos, mas o Exodus era dono do lugar. Todo mundo atirava em nós, mas ninguém nos derrubava.

Gary Holt ainda falou sobre a última vez em que tocou com o Metallica, na véspera de ano novo de 1985, quando segundo ele, “o Exodus fez o Metallica comer terra”:

Estávamos zoando depois do show, e James [Hetfield] riu e disse, ‘essa é a última vez que vocês vão abrir para nós.’ E foi a última vez que o fizemos.

Exodus e Metallica

Pouco antes, o também guitarrista Kirk Hammett deixou seu posto no Exodus para se unir ao Metallica. De acordo com Holt, foi isso que o influenciou a assumir as rédeas criativas de sua banda. Sobre sua amizade com Hammett, ele conta:

Kirk Hammett e eu passamos um verão inteiro tomando ácido. Nós vendíamos alguns discos de Jazz antigos ou o que quer que seu pai tenha deixado em casa, e comprávamos um pacote de 12 cervejas e um pouco de ácido ou o que fosse. […] Aprendemos muita guitarra com LSD na cabeça.

LEIA TAMBÉM: Metallica divulga novas datas de seus aguardados shows no Brasil; veja