THAIIS
Foto por Will Souza
 

THAIIS é uma nova artista que tem feito barulhos interessantes com os seus lançamentos.

Após estrear com o single “Rede Elétrica”, a cantora está de volta com “Eu Não Aceito”, nova canção que dá recados claros sobre a força da mulher e o feminismo.

Com passagens como “Eu não aceito desrespeito contra mim ou às minhas”, THAIIS se coloca no lugar de diversas outras mulheres para entoar que celebra a memória de diversas figuras que vieram antes dela e afirmar que seguirá sempre lutando.

Ao falar, por exemplo, que é “Maria, Amélia e Madalena”, faz referências tanto à Virgem Maria quanto a Amélia, “a mulher de verdade”, citada em músicas machistas de outros tempos.

Além de suas avós compartilharem esses nomes, “Nidinha”, apelido da sua mãe, Genilde, também é citado.

THAIIS fala ao TMDQA!

Nós conversamos rapidamente com THAIIS para falar mais a respeito da música e você pode ler o papo logo abaixo.

“Eu Não Aceito” pode ser ouvida na playlist TMDQA! Radar, no Spotify.

TMDQA!: Quais foram as suas motivações para abordar esse tema de forma tão intensa?

THAIIS: A grande motivação pra abordar o tema do feminismo é o cansaço, é ver que cada dia mais as pautas feministas são mais necessárias, quando vejo todo dia uma notícia de uma mulher agredida, uma mulher morta pelo parceiro, uma mulher desrespeitada na rua, o mercado de trabalho que não acolhe mulheres, não é feito para mulheres, quando lembro de tantas vezes em que eu mesma fui desrespeitada e até violada…

Tudo isso me causa um sentimento potente de raiva e foi de um momento assim que “Eu Não Aceito” nasceu. Escrevi a letra num arroubo só, lembro de ter acabado de ver uma notícia de feminicídio no jornal e a maneira mais natural de deixar a raiva fluir, pra mim, é escrever.

Escrevi e chorei, porque também lembrei das minhas mulheres, minha mãe e minhas avós e das lutas que todas travamos nessa sociedade adoecedora.

TMDQA!: Como você imaginou o interessante contraste de aliar a temática feminista, de abraçar e defender bandeiras, com uma sonoridade dançante e vocais suaves?

THAIIS: Eu acho que a música é o canal por meio do qual nós assimilamos mais facilmente o que nos é exposto, e, bem, o meu estilo de cantar e a sonoridade na qual eu me encontrei é suave por essência, mas por que não aproveitar a suavidade pra passar uma mensagem que é importante pra mim?

Não faz sentido pra mim fazer música que não diga algo de mim, que não entregue um pensamento, um grito, um choro. E sendo um choro e um grito, por que não fazê-lo dançando?

A imagem na minha cabeça pra essa música é de força e suavidade, de pisar forte com olhar firme sem deixar de ocupar um espaço importante que é o pop.

 
Compartilhar