O Gambito da Rainha
Crédito: divulgação
 

Uma das maiores jogadoras de xadrez do mundo, a enxadrista georgiana Nona Gaprindashvili, hoje com 80 anos, processa a Netflix por ter considerado uma cena de O Gambito da Rainha errônea.

No diálogo em questão, em uma das cenas finais da minissérie, a personagem fictícia Beth Harmon, vivida por Anya Taylor-Joy, vai disputar partida na Rússia, quando um comentarista cita Nona.

Ele diz:

A única coisa incomum sobre ela realmente é seu gênero. E mesmo isso não é único na Rússia. Há a Nona Gaprindashvili, mas ela é a campeã mundial feminina e nunca enfrentou homens.

Diferentemente do que foi passado na produção, a enxadrista enfrentou, e venceu, diversos adversários do sexo oposto em sua carreira.

Sendo assim, Nona afirmou que a fala é “mentirosa e degradante” e, por ter sido exibida para uma audiência global, pede uma indenização de US$5 milhões (o que representa R$26 milhões).

Favorecimento da personagem principal

Gaprindashvili alega que a história falsa foi utilizada para favorecer a personagem e colocá-la em uma posição de precursora feminina no xadrez.

“Na realidade, eu já tinha aberto o caminho e inspirado muitas gerações. Esta é a ironia,” disse Nona em entrevista ao The New York Times.

O processo corre em um tribunal de Los Angeles, na Califórnia. No documento, Gaprindashvili afirma ter enfrentado 59 jogadores homens, 28 deles simultaneamente em uma mesma partida, no ano de 1968.

A Netflix ainda não se pronunciou oficialmente sobre o caso, mas disse ao jornal que “tem muito respeito por Nona Gaprindashvili” e que “considera que a ação não tem mérito”.

A controvérsia surge às vésperas do Emmy 2021, que será realizado neste domingo (19), a partir das 21h (horário de Brasília). Na premiação, O Gambito da Rainha concorre em 18 categorias, incluindo Melhor Minissérie e Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para TV.

O Gambito da Rainha

Criada por Frank e Allan Scott, a série de ficção que mostra a determinação de sua protagonista foi um sucesso improvável, já que fala sobre o xadrez dos anos 1950 e 1960.

Na trama, uma jovem órfã desafia todas as expectativas e barreiras sociais para se tornar a melhor jogadora de xadrez do mundo. O elenco da minissérie também conta com Thomas Brodie-SangerHarry Melling e Bill Camp.

Produtor executivo e cocriador, Scott já tinha adquirido os direitos da produção há quase 30 anos. Sua ideia inicial era fazer um filme sobre a história e ele chegou a trabalhar a ideia com cinco diretores.

O último foi Heath Ledger, que além de dirigir iria atuar no longa ao lado de Ellen Page (hoje Elliot Page). Infelizmente, Ledger faleceu durante a produção em 2008.

LEIA TAMBÉM: Phoebe Waller-Bridge está fora de “Sr. e Sra. Smith”, série de Donald Glover

   
Nosso site utiliza de cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Consulte nossa Política.