Foto: Divulgação
 

O ano de 1977 merece um capítulo longo na história da música.

Foi o grande auge das vendas de vinil nos Estados Unidos. O punk rock explodiu mundialmente com a formação de grupos influentes para o gênero. Elvis Presley morreu. A trilha sonora de Os Embalos de Sábado à Noite mudou os rumos da cultura pop. E por aí vai…

Alguns artistas lançaram grandes hits. Entre eles estão Donna Summer, Iggy Pop, David Bowie e mais. No entanto, é pouco provável que outra canção tenha perdurado tão bem quanto “Hotel California“, do grupo Eagles.

LEIA TAMBÉM: “Complicated”, o single de estreia de Avril Lavigne que influenciou toda uma geração

Separamos, após o vídeo, algumas curiosidades sobre essa emblemática e simbólica música. Confira abaixo!

 

A “Californização”

Não, o Red Hot Chili Peppers não foi a primeira banda a tratar do tema. “Hotel California” traça uma narrativa sobre materialismo e excesso e usa o famoso estado americano como fundo. É uma crítica à cultura consumista norte-americana como um todo.

Em entrevista, Don Henley, um dos compositores da faixa, disse que “é uma música sobre o lado negro do sonho americano e sobre o excesso na América”. De fato, essa teoria fica evidente conforme prestamos atenção na letra da música, que lista itens caros e faz diversas referências à luxúria.

 

“Bienvenido al Hotel California”

Ao longo da história da música moderna, contemplamos diversas histórias envolvendo disputas por direitos entre artistas. No entanto, esse caso é diferente, já que é uma banda que colocou um estabelecimento na justiça.

A queixa veio a partir do fato de que os proprietários do Hotel California, no México (reparem: sequer fica nos EUA), queriam convencer seus hóspedes de que o local e a canção do Eagles estavam relacionados de alguma forma. O erro, teoricamente, está na ideia de um estabelecimento lucrar a partir do nome de uma música.

O hotel, no entanto, afirma em seu site não ter relação com a música. Afinal, o nome também pode ser uma mera coincidência com a localização no estado mexicano da Baixa Califórnia. Também não ajuda muito o fato de que foi inaugurado em 2001, 24 anos após o lançamento do hit.

Entre idas e vindas, o caso foi resolvido em 2018 com um acordo entre as partes.

Hotel California, no México. Foto: Reprodução

 

Lugar de fala

Além de Henley, outros dois integrantes são responsáveis pela criação do single: Don Felder (ex-guitarrista) e Glenn Frey (ex-vocalista e guitarrista), sendo Felder responsável pela parte instrumental.

Nenhum dos três, no entanto, é de fato californiano. Henley, Felder e Frey são, respectivamente, do Texas, Flórida e Michigan. Na verdade, o único integrante efetivamente nascido na Califórnia é o baixista Timothy B. Schmit, que faz parte do grupo desde 1977. Ele, no entanto, só entrou na banda após Hotel California já estar no ar. A gravação dos graves do álbum ficou por conta de Randy Meisner (nascido no Nebraska).

 

Hospital ou templo satânico?

Naturalmente, é inevitável tentar trazer a fictícia localização da música para a nossa realidade. Várias teorias, a maioria delas sem qualquer embasamento, apontam para diferentes tipos de estabelecimentos (obviamente localizados no estado da Califórnia).

Uma hipótese popular é a de que o tal hotel seria, na verdade, um hospital psiquiátrico na cidade de Camarillo. O lugar, por sinal, fechou em 1997 e foi remodelado para se tornar uma universidade.

Outra teoria conspiratória que ganhou notoriedade foi uma declaração feita por um padre de Wisconsin nos anos 80. Segundo ele, o “Hotel California” dizia respeito a um hotel em São Francisco que foi comprado por Anton LaVey, o “pai do satanismo”. O estabelecimento foi transformado na primeira Igreja do Satã.

 

Grammy

Com os frutos do disco homônimo, o Eagles teve sua melhor performance (na visão da Recording Academy, obviamente). Isso levou a banda a ter grande destaque na edição de 1978 do Grammy.

“Hotel California”, a faixa-título, ganhou a prestigiada estatueta de Gravação do Ano, consagrando o produtor Bill Szymczyk (que também já trabalhou com nomes como B.B. King e Joe Walsh). Na ocasião, a banda competia com Linda Ronstadt, Crystal Gayle, Barbra Streisand e Debby Boone.

Já o disco completo estava na disputa pela categoria Álbum do Ano, mas não levou a melhor. Quem saiu vitorioso na ocasião foi a banda Fleetwood Mac, com o ótimo Rumours.

 

Quase rolou um filme

Com sua bela letra e diante da popularidade alcançada, “Hotel California” poderia tranquilamente ganhar uma adaptação para as telonas — e saiba que isso quase aconteceu!

A produtora cinematográfica Julia Phillips (“Taxi Driver” e “Contatos Imediatos de Terceiro Grau”) havia demonstrado interesse na história e propôs isso para a banda. No entanto, um desentendimento entre Phillips e os membros da banda fez com que o projeto não fosse para frente.

Em sua autobiografia You’ll Never Eat Lunch in This Town Again, a produtora relembra o episódio, chamando os membros da banda de arrogantes e alegando que era muito difícil lidar com eles. Por outro lado, Henley disse que Phillips ofereceu cocaína para a banda e ainda se sentiu ofendida quando os integrantes recusaram.

De qualquer maneira, a Rolling Stone apurou que a banda nunca curtiu muito a ideia, especialmente por conta do medo de perderem o controle do projeto.