Governo francês determina limite de pessoas para festivais de música no verão de 2021
Festival Vieilles Charrues | Reprodução / Facebook
 

Autoridades americanas estão investigando novos surtos de COVID-19 nos Estados Unidos que estão ligados a dois festivais de música.

Em Michigan, pelo menos 96 casos positivos vieram do Faster Horses Festival, que aconteceu entre 16 a 18 de julho. Já no Oregon, são 62 casos ligados ao Pendleton Whiskey Music Fest, que aconteceu no dia 10 de julho. Nenhum dos dois eventos exigiu vacinação completa para seu público.

A Dra. Emily Lando, diretora de prevenção e controle de infecções do Centro Médico da Universidade de Chicago, disse (via Rolling Stone):

Esses eventos são um sinal vermelho. Acho que estamos descobrindo que o que você faz ao ar livre também importa. E mesmo que as pessoas sejam vacinadas, parece que precisamos ter mais cuidado com eventos superlotados.

O rastreamento ainda mostra que a contaminação, nos dois festivais, aconteceu em áreas onde as pessoas ficavam mais próximas, ou seja, em frente aos palcos. Mesmo com um espaço grande fornecido, quem tem ido a esses eventos não costuma respeitar o distanciamento social.

Futuro dos festivais

Pelo menos até então, os eventos continuam acontecendo nos Estados Unidos. Especialistas reforçam que estes festivais ao ar livre ainda são mais seguros que casas de shows no momento.

Aqui no Brasil, os maiores eventos de música estão marcados apenas para o próximo ano. Parece ser o certo, ao menos por enquanto.

LEIA TAMBÉM: Rock in Rio é adiado para setembro de 2022 por causa da pandemia

 
Compartilhar