Bivolt, Filipe Ret, Edi Rock e Spvic celebram Dia do Rap Nacional
Fotos: Luq Dias / @louquera / Divulgação / Gabriel Brasil
 

O dia 6 de Agosto é de suma importância para a música brasileira. Afinal de contas, é nessa data que é celebrado o Dia do Rap Nacional, comemorando um gênero que não para de crescer e já tomou o lugar que lhe é de direito há muito tempo.

Para essa ocasião, resolvemos falar com algumas das figuras que mais entendem do assunto no país hoje em dia em uma tentativa de entender qual a importância desse gênero que não apenas nos alegra, mas também transforma vidas e coloca em evidência a história de pessoas que, caso contrário, passariam anos e anos sendo silenciadas.

Uma dessas pessoas é Edi Rock, conhecido por seu trabalho solo e com o Racionais MCs, que explicou ao TMDQA! o que o Rap fez por ele:

O rap nacional influencia várias vidas, influenciou a minha e a de muitos… estamos indo pra terceira geração de rappers aqui, deu certo! Isso influenciou de forma positiva, mudou vidas, caminhos, mudaram atitudes, influenciaram comportamentos, tá ligado? E muitos comportamentos estudantis… profissional, intelectual… o rap nacional é a trilha sonora de vidas.

Continua após o vídeo

Dia do Rap Nacional

Quem corrobora bastante com o discurso é Bivolt, uma das grandes revelações da cena nacional nos últimos anos. Ela descreve o Rap como uma “manifestação política e musical, que faz parte de um movimento muito grande, cultural, chamado Hip Hop”. Ela define, então, o que é esse movimento:

É um instrumento de resgate e de transformação, tudo que [se] transformou na minha vida, o direcionamento, o rumo dos meus passos, foi tudo graças ao Rap mesmo… que pra mim é uma música de resgate. E eu sou extremamente grata por fazer parte de uma cultura tão linda.

A cantora, aliás, é uma que vem trazendo várias mudanças ao gênero. Isso fica bastante claro em sua nova música “Pimenta”, que tem a participação de Gloria Groove e expande a sonoridade do Rap para incluir uma pegada romântica, sensual e, ao mesmo tempo, dançante.

Outra grande revelação — se é que ainda pode ser chamado assim — é o incrível Filipe Ret, que foi nosso artista do mês em Março. Em um quase-desabafo, o músico explica a transformação que o Rap trouxe à sua vida:

O Rap me deu identidade, um lugar no mundo, e me fez sonhar grande. Hoje ele é minha realidade e minha sobrevivência. Deus me trouxe pra vida, o Rap me trouxe pro mundo.

Continua após o vídeo

Por fim, mas definitivamente não menos importante, finalizamos essa comemoração desse dia tão especial com um depoimento pra lá de emocionante e sincero de Spvic, integrante do Haikaiss:

Se eu disse que o Rap é minha vida é bem literal mesmo, não é exagero. Meu contato com o Rap foi desde pequeno. Por conta do meu pai ser DJ, eu logo já tive uma identificação com o Rap por conta da forma como ele se comunica, do assunto que é abordado. Então, de alguma forma, você percebe que… quem tem uma vocação pra trabalhar com isso ou quem sente essa necessidade de trabalhar musicalmente abordando as pessoas com alguma mensagem… você percebe que o Rap é esse caminho, é a melhor plataforma, é algo tão profundo e grandioso que você não consegue achar o termo correto ou um adjetivo ou definir o que é o Rap, por que ele é desse tamanho todo e por que ele se diferencia de outros gêneros.

Pra mim é uma escola, uma faculdade, é tão presente desde que eu era pequeno, fez parte do meu amadurecimento e crescimento, como músico também. É muito cabuloso isso e lembra muito uma frase do Criolo quando perguntaram sobre isso pra ele. Ele diz algo como, ‘Cara, eu não consigo definir o Rap e nem tenho tamanho pra poder falar do Rap porque as pessoas é que sabem o quanto isso muda a vida de outras pessoas, o poder que tem por trás do Rap’, sabe? É quase como se fosse uma religião mesmo, as pessoas que se envolvem, que vão no show e choram, que cantam cada letra, é sua música fora da curva.

O rap mudou minha vida e como ainda tem mudado! Ele transformou minha vida. Desculpa até não conseguir definir em menos palavras, o rap é louco. Eu sou o rap! [risos]

Agora só falta a trilha sonora pra curtir esse dia, né? Bom, deixa por nossa conta: a playlist TMDQA! Beats, que você confere logo abaixo, está recheada de grandes obras do Rap nacional (incluindo canções dos artistas acima) e é sempre atualizada com novidades internacionais e nacionais.

Feliz dia para todos os rappers e fãs do gênero no Brasil!