Kate Winslet em Mare Of Easttown
Divulgação/HBO
 

No decorrer dos sete episódios de Mare Of Easttown, acompanhamos a jornada de Mare Sheehan (Kate Winslet) na resolução de dois crimes centrais que movimentam a cidade de Easttown.

O primeiro, um desaparecimento. O segundo, no entanto, acaba sendo o grande motor da narrativa: o assassinato de uma adolescente local. Por se tratar de uma cidade pequena, não leva muito tempo para conhecermos todos os personagens e as suas nuances. De cara, no piloto, o espectador percebe o furacão de atuação de Winslet.

Um divórcio recente, o suicídio do filho mais velho, a mãe que decide morar com a filha, uma filha adolescente, a batalha judicial pela guarda do neto, os problemas amorosos e os embates internos. Mare enfrenta de maneira corajosa e visceral todos esses conflitos no desenrolar da série. Naufragada por todas essas questões, a personagem vive ansiosa, exausta e aflita, conforme os problemas parecem apenas se proliferar.

Assim como no estilo novelão, nessa minissérie vemos de maneira nítida e ultra prazerosa todos os arcos dramáticos se fechando, trazendo uma narrativa que apresenta começo, meio e fim muito bem delineados. Frente a tempos tão incertos, chega a ser reconfortante assistir algo em que tudo acaba se encaixando. Mas isso não é feito de modo óbvio.

Kate Winslet em Mare Of Easttown
Divulgação/HBO

Kate Winslet nos carrega na atmosfera de suspense até os minutos finais do último episódio. Por meio de uma grande reviravolta, descobrimos que o grande assassino da série é na verdade uma criança, Ryan, de apenas 13 anos, que comete o crime com uma arma, num disparo acidental.

A violência juvenil também é um dos pontos centrais da série. Desde o começo, o enredo vai mostrando e esmiuçando os núcleos familiares desses adolescentes, o que acaba sendo essencial para poder entender as raízes desses personagens. Em grande parte dos casos, vemos figuras paternas explosivas, agressivas, permeadas por alcoolismo e atividades extraconjugais.

Mare of Easttown

Todo esse contexto acaba servindo inevitavelmente aos filhos. Não à toa, Ryan decide resolver com as próprias mãos o quadro conjugal dos pais. Mas é justamente nessa tentativa de intimidação que acontece o disparo acidental. Essa morte levanta um cenário latente e recorrente nos Estados Unidos: o fácil acesso às armas e o aumento das mortes de adolescentes por armas de fogo.

Não se trata apenas de uma resolução de um crime incomum numa cidade pequena. Recebemos o convite para olhar com profundidade a vida desses moradores. Ao mesmo passo que a protagonista evita lidar com as questões pessoais e se sente inconsolada, ela é nitidamente um consolo para os moradores dessa cidade. Desde uma ajuda informal, para auxiliar um vizinho na instalação de uma câmera de segurança, à resolução de um crime: Mare Of Easttown faz jus ao seu nome.

Kate Winslet em Mare Of Easttown
Divulgação/HBO

É por meio dos tantos problemas da cidade que a protagonista também encontra seu consolo. No último episódio, em uma das cenas finais, a filha de Mare reforça a dificuldade da mãe em sair da cidade, de tanto que ela ama estar ali. Realmente, Easttown se tornou uma muleta e um amparo para ela.

Após o suicídio de seu filho (encontrado morto por ela no sótão de sua casa), a protagonista se carrega na culpa e evita o assunto na temporada toda. Mas é somente na cena final que ela decide subir nesse mesmo sótão. Depois de resolver tantos problemas e mistérios, a minissérie termina da mesma maneira que começou, com Winslet enfrentando um novo mistério (mais desafiador ainda): agora ela terá de olhar para si mesma, depois de tanto tempo distante.

Kate Winslet em Mare Of Easttown
Divulgação/HBO

Diferentemente de outras séries policialescas ou de suspense, Mare Of Easttown traz camadas intensas e muito bem trabalhadas dos seus inúmeros personagens. Especialmente da protagonista, o que revela um grande marco nesse gênero narrativo.

Frente à consagração no decorrer dos anos de tantos personagens homens com arquétipos complexos e difíceis, vemos estampado aqui, de maneira brilhante, em pleno horário nobre americano e dentro de uma das maiores redes televisivas (HBO), uma detetive mulher no foco deste mesmo tipo de ficção.

Sem sombra de dúvidas a personagem veio para consagrar ainda mais o trabalho de Winslet na televisão. Além disso, já levanta desde agora a expectativa dos fãs e da crítica de que tanto a atriz como a trama levarão algumas estatuetas premiadas para casa num futuro próximo.

Confira o trailer de Mare Of Easttown, disponível no Brasil pela HBO Go.