Gal Gadot em
 

Já faz algum tempo que a versão original de Liga da Justiça está rendendo diversas polêmicas para além da qualidade do filme.

A substituição de Zack Snyder por Joss Whedon foi “corrigida” em questão cinematográfica com o recém-lançado Snyder Cut, mas as repercussões quanto ao tratamento dado por Whedon aos astros da obra continuam fortes.

O caso principal é o de Ray Fisher, que interpreta o Ciborgue, como te contamos melhor no especial sobre 10 grandes mudanças das duas versões. No entanto, Gal Gadot também parece ter sido vítima dos comportamentos péssimos do diretor, conforme um novo relatório do The Hollywood Reporter (via IndieWire).

A própria atriz já disse anteriormente que sua experiência com Joss “não foi a melhor” e, agora, uma fonte confiável da matéria do THR reporta qual foi “o maior embate” entre a dupla:

[O maior embate] veio quando Whedon forçou Gadot a gravar falas que ela não gostava, ameaçou ferir a carreira de Gadot e menosprezou a diretor Patty Jenkins, de ‘Mulher Maravilha’. Ainda que [Ray] Fisher se negue a discutir qualquer coisa que tenha acontecido com Gadot, uma testemunha da produção que falou com investigadores diz que depois de um embate, ‘Joss estava se gabando de que havia dado um basta em Gal. Ele disse a ela que era o escrito e ela iria calar a boca e dizer as falas [ou então] ele pode fazê-la parecer incrivelmente estúpida nesse filme.’

No especial citado acima, contamos por exemplo sobre como Gal se recusou a gravar uma cena em que um “acidente” de teor sexual acontecia entre ela e o Flash; para manter a cena, Whedon usou uma dublê. Somando-se a isso, havia uma preocupação da atriz com o fato de sua personagem estar repentinamente muito mais agressiva do que em Mulher Maravilha.

Em comunicado ao THR, Gadot disse apenas que a situação foi levada ao então chefão da Warner Bros., Kevin Tsujihara, que lidou com tudo de maneira urgente. Ela não quis se pronunciar sobre como se sente com isso no momento, nem deu detalhes sobre como foi feita essa resolução.