Snyder Cut de Liga da Justiça

Depois de muita espera, finalmente o aguardado corte de Zack Snyder para o filme Liga da Justiça está entre nós.

O lançamento foi feito pelo HBO Max no exterior e, no Brasil, ele só está disponível para aluguel por valores que chegam a quase R$50. Mas muita gente já assistiu, já amou, já odiou e definitivamente já opinou sobre a nova versão do longa que decepcionou muitos quando chegou aos cinemas pela primeira vez.

Por outro lado, alguns ainda não tiveram a chance de assistir ou não se lembram tão bem da edição original para perceber todas as diferenças que existem entre eles. Por isso, resolvemos separar 10 das maiores com base em um vídeo feito pela GameSpot (disponível na íntegra em inglês por aqui) que aponta 23 mudanças no total e também nessa matéria da Vulture.

Confira a seguir e, claro, lembre-se que muito do que aparece aqui contém spoilers tanto do corte de Whedon como do corte de Snyder.

Ciborgue

Um dos personagens que mais mereciam justiça após a versão lançada por Joss Whedon, o Ciborgue finalmente foi explorado à fundo e ganhou novas e ótimas cenas que lhe fazem ser um personagem fundamental na história.

Uma das principais diferenças é quanto a Silas, pai do herói. Na versão original, os dois resolvem seus conflitos e se acertam no final; no Snyder Cut, Silas sofre uma morte bastante cruel em uma espécie de sacrifício, o que contribui bastante para o arco do personagem e para a missão da Liga da Justiça de forma geral.

Aquaman

Quem também ganha mais atenção é o Aquaman, com a reinserção da cena envolvendo o conselheiro-chefe ao Trono de Atlantis, Vulko (vivido por Willem Dafoe). A ideia é que ele aparecesse antes por lá ao invés do filme solo do herói, mas sabemos que não foi assim que acabou acontecendo.

De toda forma, esse “erro” foi corrigido e agora há uma explicação muito mais condizente para a relação de Aquaman com Atlantis e como personagem de forma geral.

Nick Cave substituindo The White Stripes

Falando em Aquaman, não podemos deixar de apontar uma diferença crucial quanto à música. Várias das cenas do herói na versão original eram acompanhadas de Rock and Roll, como em um momento que conta com “Icky Thump”, do The White Stripes.

No Snyder Cut, essas cenas receberam uma trilha sonora muito mais sombria e o momento citado acima viu os White Stripes dando lugar para nada menos que Nick Cave and the Bad Seeds.

Vale também destacar a trilha sonora feita completamente do zero por Junkie XL, que estava escalado para o longa original e já tinha começado seus trabalhos mas foi substituído por Danny Elfman quando Whedon assumiu o comando.

Aparição de Darkseid, Desaad e Apokolips

Talvez uma das maiores reclamações quanto ao original foi que Whedon transformou Steppenwolf em um super vilão — nos quadrinhos, ele não passa de um lacaio de seu sobrinho, Darkseid, o “Novo Deus” que comanda o planeta Apokolips.

O Snyder Cut também corrige isso, inclusive colocando Ray Porter no papel do super vilão em flashbacks que mostram a batalha pela Terra há 2 mil anos. Na versão original, era o próprio Steppenwolf quem aparecia lutando contra as forças do planeta. Outro bônus é a aparição de Desaad (Peter Guinness), o torturador-mestre e conselheiro de Darkseid.

Adeus à piadinha do laço da verdade

Não é de hoje que filmes de herói tentam incluir cenas bem-humoradas para trazer um certo alívio cômico e identificação com os personagens, mas é verdade que Liga da Justiça não fez isso muito bem em sua versão original.

Um dos momentos mais vergonha alheia aconteceu quando Aquaman sentava-se no Laço da Verdade da Mulher Maravilha e começava a desabafar, gerando uma situação (supostamente) cômica que não arrancou grandes risadas por aí. Para bem ou mal, a cena foi removida no Snyder Cut.

Cena constrangedora com Flash e Mulher Maravilha foi removida

Ainda no assunto remoção de cenas, outra ocasião bem vergonhosa foi tirada do corte de Snyder. Durante a primeira luta com Steppenwolf na versão original, o Flash tropeçava e caía em cima da Mulher Maravilha, criando o que deveria ser um efeito cômico — algo que não deu certo desde o começo, já que a própria Gal Gadot se recusou a filmar a cena, feita com uma dublê.

Felizmente, esse momento totalmente desnecessário não acontece mais.

Iris West tem rápida aparição

Falando em Flash, ele é outro personagem que recebe muito mais atenção na nova versão. Isso inclui até mesmo uma aparição de Iris West, que virá a ser a paixão de sua vida em momentos futuros.

No Snyder Cut, ela é interpretada por Kiersey Clemons e tem sua vida salva pelo herói, que está bem mais agradável na nova edição.

Mudança na visão sombria do Batman

A única cena totalmente nova no Snyder Cut é quanto à visão sombria do Batman; na versão original, não há muita explicação e só vemos que o homem-morcego está passeando em um futuro distópico em que o Super-Homem é mau.

Agora, há toda uma contextualização e podemos entender que o motivo do herói ter ficado desse jeito é a morte de Lois Lane, que fez com que Darkseid pudesse colocá-lo sob seu comando. Para combater isso, Batman se junta a Flash, Mera, Exterminador e ao Coringa de Jared Leto (!) para salvar o planeta. Infelizmente, é bem, bem improvável que a gente veja esse filme sair do papel, mas definitivamente vale para atiçar a imaginação.

Super-Homem com traje preto e “sem bigode”

Talvez a única mudança que parece não ter muito sentido e que recebeu algumas críticas: o Super-Homem aparece com um traje preto ao invés do seu tradicional azul com vermelho e amarelo. Não há uma explicação para isso, e talvez seja um mecanismo de Snyder para deixar o longa mais sombrio — mas não deu lá muito certo.

Ainda assim, a parte boa no que diz respeito ao herói é que o fato das filmagens serem novas permitiu corrigir o famigerado “bigode” de Henry Cavill. Explicamos: na versão original, ele filmou cenas enquanto gravava Missão: Impossível — Fallout, longa no qual o ator aparece com um bigode. Na época, o estúdio não o deixou mudar o visual para Liga da Justiça, e a solução foi ajeitar tudo no computador. Muita gente não curtiu.

Sem cena pós-créditos

Para fechar e mostrar que realmente o Snyder Cut não estava para brincadeiras, a cena de alívio cômico que aparecia no pós-créditos da versão de Whedon não está mais presente.

Isso significa que não há mais a corrida entre Flash e Super-Homem para ver quem é o mais rápido da Liga da Justiça e, por mais que pareça um detalhe bobo, é realmente um atestado à intenção de Zack Snyder com sua versão do longa. Goste você ou não, o cara realmente abraçou sua perspectiva e deu uma nova cara a um filme tão criticado.

 
Compartilhar