Gilberto Gil, Elza Soares e Milton Nascimentos são excluídos de lista da Fundação Palmares
Fotos via Shutterstock, Reprodução/YouTube e Stephanie Hahne
 

Há algum tempo, falamos aqui no site sobre como algumas mudanças foram feitas nas regras da Fundação Cultural Palmares através do presidente Sérgio Camargo e, por isso, diversos nomes acabariam tendo seus nomes retirados da lista de personalidades negras.

A medida entrou em vigor neste dia 1º de Dezembro e o mandatário da fundação usou o Twitter para compartilhar quais foram as 27 pessoas excluídas, juntamente a uma mensagem em que afirma:

Aqui estão os 27 nomes excluídos pela Fundação Palmares, para quem perdeu. A lista de negros notáveis passou a prestar homenagens póstumas. Alguns podem voltar um dia, não todos.

Há personalidades de diversas áreas, desde a política (com Marina Silva, por exemplo) até a arte. Dentro da música, especificamente, nomes como Elza Soares, Gilberto Gil, Zezé MottaMartinho da Vila Milton Nascimento tiveram suas homenagens retiradas e, pelo visto, dependem de uma reinclusão póstuma.

Personalidades negras da Fundação Palmares

Em contrapartida, entraram na lista da Fundação oito novos nomes: Jacira de Almeida SampaioMussumLuiz MelodiaPixinguinhaLuiz Paulo Costa Silva, o “Negão do BOPE”, Wilson SimonalMarcílio Luiz Pinto João Carlos de Oliveira, o “João do Pulo”.

Sérgio Camargo fez uma publicação afirmando que essas novas indicações foram feitas para “valorizar quem merece”; em outra, celebrou nominalmente a entrada de Mussum e do “Nego do BOPE”. Ele ressaltou também que todos os nomes que ainda estão vivos foram excluídos da lista.

A Câmara dos Deputados tenta reverter a decisão das exclusões, por meio de um Projeto de Decreto Legislativo (PDL) apresentado pelo deputado federal José Guimarães (PT-CE) idêntico a propostas já apresentadas anteriormente por Túlio Gadêlha (PDT-PE), Bira do Pindaré (PSB-MA), Maria do Rosário (PT-RS), Áurea Carolina (PSOL-MG) e Perpétua Almeida (PCdoB-AC).

O argumento dos políticos é que a Fundação foi criada para “promover a preservação dos valores culturais, sociais e econômicos decorrentes da influência negra na formação da sociedade brasileira, não para uso político”, como conta o UOL.

Veja o Tweet abaixo com todos os 27 nomes excluídos.