Carabobina
Foto: Filipa Aurelio
 

O goiano Raphael Vaz (Boogarins) e a venezuelana Alejandra Luciani se uniram para dar vida ao projeto Carabobina, que lançou recentemente o seu homônimo disco de estreia. O nome, por sinal, é uma homenagem ao estado natal de Alejandra, Carabobo. Raphael chegou a adiantar o que estava por vir em uma entrevista exclusiva concedida ao TMDQA! mais cedo este ano.

Gravado de forma caseira ao longo dos últimos dois anos, entre intervalos da intensa rotina musical da dupla, o disco é composto por músicas quase improvisadas. O material mistura elementos orgânicos com eletrônicos e resulta em um interessante rock alternativo que também pode ser enquadrado como “noise pop”, por causa de suas estruturas.

Temos aqui uma sonoridade diferenciada que conforta os ouvintes através de sua inventividade. Vale o play!

 

Lamutes

Lamutes, Dog Caos e Amanda Matos
Foto: Pedro Figueiredo

A banda carioca Lamutes disponibilizou recentemente o seu mais novo single. A canção, intitulada “Interestelar“, amplia a sonoridade do grupo ao ser o primeiro lançamento que conta com participações especiais. Isso porque Dog Caos e Amanda Matos, além de participarem da composição da faixa, agregam ao resultado final.

A atmosfera “good vibes”, inspirada pelo surf rock e com referências de reggae, é pano para a criativa letra, que versa sobre nostalgia e simula uma espécie de invasão alienígena. “Logo eu, uma espécie rara que acredita na bondade humana e que, um dia, todo mundo ainda vai se amar”, diz a canção. Confira abaixo:

 

André Pelo Mundo

André Pelo Mundo
Foto: Reprodução / Instagram

O projeto André Pelo Mundo, do músico carioca André Buarque, está preparando o terreno para lançar seu disco de estreia. Após o single “Areia“, o lançamento da vez é “Mariana, Por Favor“.

Retomando suas raízes no samba, a canção se mostra macia e contagiante. As imagens ensolaradas e selvagens presentes no videoclipe estão recheadas por glitches digitais, dialogando, de certa forma, com a ambiência da quarentena. A cadência característica da música popular brasileira, aqui, se encontra com a melancolia do mundo digital. Sobre o vídeo, André conta:

É uma carta de amor, um retrato pintado em melodias simples. Instrumentos variados se intercalam no decorrer da faixa e ajudam a diferenciar as emoções, que são a matéria-prima dessa música. É um delírio pop, também, uma melodia deliberadamente convidativa. No vídeo utilizamos a narrativa do sonho, e dividimos o clipe em um trecho ensolarado, na floresta, e uma noite na cidade.

Podemos chamar esse trabalho de “samba indie”? Confira abaixo o clipe, dirigido por João Fujioka e Lucas Guimarães, e tire suas próprias conclusões.

 

KATZ

KATZ
Foto: Bruno Fioravante

Saudades dos bons tempos das girl e boy bands? Pois bem, o grupo KATZ está aí para mostrar o que o teen pop moderno é capaz de fazer. Formada pelas integrantes Bella (MG), Mayra (SP) e Flavinha (MT), a girl band acabou de lançar seu primeiro EP, homônimo.

Além dos singles “Boomerang” e “Efeito Dominó“, lançados anteriormente, a novidade conta com mais três músicas inéditas. Isso inclui um clipe dançante para a faixa “Kaboomda“. Cá temos um grupo de mulheres livres, independentes e que sabem o que querem.

 

Maíra Baldaia

Maíra Baldaia no clipe de "Tempoio"
Foto: Divulgação

A cantora e compositora mineira Maíra Baldaia homenageou o tempo em sua nova música “Tempoiô“. A faixa antecipa seu próximos projetos musicais, que envolvem um novo álbum e seu primeiro EP.

A canção é fruto de uma pesquisa sonora que desemboca no afro pop mineiro. Liricamente, é um acordo com a atemporalidade e com o universo criativo em tempos de pandemia. Mais do que isso, trata-se de uma representação de Tempo, o orixá patrono do universo que também é conhecido como Iroko.

Tanto a música quanto o clipe, que tem direção de Clara França e Fernando Leles, foram desenvolvidos por uma equipe majoritariamente composta por mulheres. A artista conta:

“Eu diria que ‘Tempoiô’ é um convite para que todos pulsem na sábia e leve experiência do tempo e aprendam a voar num acordo sereno com a arte, com a memória viva do passado e com a liberdade do futuro. Sinto como se esse single fosse a força-bálsamo do tempo-mulher!”