Kanye West em 2009
Foto de Kanye West via Shutterstock

Se engana quem pensa que Kanye West vai só criticar a indústria da música sem oferecer soluções.

O rapper chamou muita atenção por seu protesto fora do modelo convencional que incluiu até mesmo um vídeo em que urinava em um Grammy, mas muita gente (felizmente) levou seu desabafo a sério pois ele destaca uma questão considerada bastante injusta dentro do ramo: os contratos com gravadoras.

Muitas vezes se aproveitando da inocência dos artistas, as empresas oferecem acordos péssimos para os músicos e é isso que Kanye quer mudar. Em uma nova série de Tweets, West dividiu em oito passos as medidas que devem ser tomadas para os acordos daqui pra frente sob a sua perspectiva.

Você pode conferir a seguir (via Billboard) e nos resta torcer para que pelo menos algumas delas sejam aceitas.

Oito passos de Kanye West para melhorar a indústria da música

  1. O artista é dono dos direitos autorais das gravações e músicas e os empresta à gravadora/publicadora por um tempo limitado. Acordos de 1 ano

  2. A gravadora/publicadora é uma provedora de serviço que recebe um percentual da renda por um tempo limitado. A divisão pode ser 80/20 a favor do artista.

  3. DEPENDENTES Artistas devem ser dependentes de ninguém além de si mesmos para cuidar de seus catálogos. Você não deve precisar de mais NINGUÉM para entender o negócio em que está inserido.

  4. ADVOGADOS a primeira coisa que muda sobre Acordos de Discos é na verdade os advogados. Nós precisamos de contratos em Inglês Claro. O papel de um Advogado é MELHORAR os acordos…. não cobrar por contratos que não conseguimos entender ou rastrear. Reescrevam os acordos para que sejam compreensíveis na PRIMEIRA LEITURA.

  5. EQUIDADE & LICENÇAS COBERTAS [tipo de licença que permite que um comprador possa usar todas as músicas de um determinado catálogo] SÃO A MAIOR PARTE DA NOVA RENDA FUTURA. Se você está assinado com uma grande gravadora você investiu suas ‘canções’ como cotas no poder deles de obter equidade e acordos. Quase TODOS os novos acordos agora são baseados em TODAS as músicas indo para uma loja ou app. A equidade é os Artistas. CHEGA de licenças cobertas. Deve ficar claro a partir do primeiro dia… que cotas você recebe AGORA e quando você sai. Se sua canção ajuda a levar um acordo pra frente você investiu naquela loja / app da mesma forma que eles.

  6.  ADIANTAMENTOS SÃO APENAS EMPRÉSTIMOS!! Aos Artistas assinando novamente esses, parem. Adiantamentos são Empréstimos com taxas de juros de 75% (ou piores). NENHUM outro negócio no mundo olha para o negócio, compra cotas, começa a lucrar quando ele lucra. As Gravadoras têm que comprar de você, não te emprestar.

  7. ROYALTIES Novamente de volta aos dependentes. Você precisa de um gestor de negócios para entender como você foi [em vendas]? Então você paga para ver seu dinheiro!!! NÃO MAIS. Portais de royalty devem mostrar (e não o fazem agora) Toda canção que você entregou Toda loja que você está Quantos streams por música Renda por música. Parece básico e lógico mas [isso] NÃO existe. Eles focam nos que mais ganham e olham ZERO para as lojas 440…. Apenas os poucos do topo. Artistas são globais. É por isso que os seus contratos de território dizem departamento de Royalty GLOBAL em TODAS as gravadoras.

  8. PORTAIS Não são apenas para royalties. Eles são para todo o seu negócio. Cada arquivo de áudio, cada recurso, cada negócio armazenado COM o dinheiro. Dinheiro e Música devem andar juntos. Quando seu termo acaba, faça download de tudo. Saia.

Esse é um chamado para que os artistas se unam … eu vou obter minhas ‘masters’ , eu tenho o advogado mais poderoso na música e eu posso pagar por eles mas todo artista deve ser libertado e tratado igualmente

I WANNA BE TOUR

Em poucos dias o Brasil receberá uma turnê incrível com gigantes do Emo e Rock Alternativo; garanta o seu ingresso por aqui!