Pearl Jam com Dave Krusen
Ouça nova versão do disco ao vivo do Pink Floyd!  

30 anos após a formação do Pearl Jam, é fácil dizer que Eddie Vedder, vocalista do grupo, tornou-se o maior símbolo da banda.

Acontece que o núcleo do grupo de Seattle foi formado por outros músicos que, à procura de uma voz, encontraram Vedder na Califórnia e acabaram o recrutando para fundar um dos conjuntos que mudaria a história do Rock And Roll para sempre.

Por aqui, a gente vai te explicar exatamente como foi essa história já que diz a lenda que foi no dia 19 de Setembro de 1990 que Eddie Vedder foi escolhido como vocalista do Pearl Jam.

Formação do Pearl Jam

Vale lembrar que a formação da banda tem muito a ver com a rica história musical de Seattle.

O grupo surgiu, na verdade, como uma nova empreitada de Stone Gossard, Mike McCready e Jeff Ament, sendo que os dois primeiros são guitarristas e o terceiro é baixista do PJ até hoje.

Stone Gossard e Jeff Ament tocaram juntos na influente Green River e vieram a tocar com Andrew Wood, influente vocalista do Malfunkshun com quem formariam o grupo Mother Love Bone.

A banda teve reconhecimento quase instantâneo, conseguiu um contrato com uma gravadora e se viu em uma posição bastante interessante, já que Andrew Wood era considerado um verdadeiro gênio pela comunidade artística e pelos fãs.

Acontece que após uma overdose de heroína, o músico nos deixou, a banda lançou seu único álbum quatro meses após sua passagem e os outros integrantes chegaram a pensar em desistir da música.

Meses depois, Stone Gossard começou a fazer algumas jams com Mike McCready, que tocava em uma banda chamada Shadow e havia ficado sem lugar para se apresentar após seu término.

Os dois recrutaram Jeff Ament para a empreitada e começaram a procurar por um vocalista e um baterista que pudessem transformar esse brincadeira inicial em uma banda de verdade.

Um belo dia, eles entregaram uma fita demo para Jack Irons, ex-baterista do Red Hot Chili Peppers, tanto para saber se ele queria entrar na banda quanto para que ele indicasse possíveis vocalistas, e apesar de ter recusado o posto das baquetas, ele acabou transformando a história dos músicos para sempre.

Mookie Blaylock e O Resto É História

Isso porque Irons entregou a fita a um amigo com quem jogava basquete, um tal de Eddie Vedder que era vocalista de uma banda chamada Bad Radio em San Diego, na Califórnia.

Nascido em Chicago, do outro lado do país, o músico estava na Califórnia para cantar, surfar e tentar seguir adiante em sua carreira como artista, e ouviu as canções um dia antes de entrar no mar.

Surfando, o cara que trabalhava em um posto de gasolina teve ideias para os instrumentais que havia acabado de ouvir e acabou compondo letras que se tornariam as oficiais de “Alive”, “Once” e “Footsteps”, três canções do Pearl Jam.

Após se gravar cantando em cima da fita que havia recebido, Vedder enviou o resultado para Seattle, os três músicos originais amaram o que ouviram e pediram para que ele voasse até a cidade do Grunge, com o objetivo de realizar uma audição.

O teste foi feito, Eddie foi aceito, a banda recrutou o baterista Dave Krusen e surgiu com o nome de Mookie Blaylock, sendo que o resto é história.

Esse nome, aliás, foi rapidamente alterado porque era o nome de um jogador de basquete amado pelos integrantes da banda e isso poderia trazer problemas com direitos autorais e até confusão do público.

Para homenageá-lo de qualquer forma, o grupo batizou seu disco de estreia como Ten, ou “Dez”, que era o número da camiseta que Mookie usava nas quadras.

Nada mal estampar o título de um dos álbuns de estreia mais influentes de todos os tempos, hein?

LEIA TAMBÉM: em 1990, Eddie Vedder fazia seu último show com banda pré-Pearl Jam – assista ao vídeo