Clipe de
Foto: Reprodução / Youtube
 

Não é nenhum segredo que o cantor canadense The Weeknd gosta de explorar bem suas diferentes fases musicais. A cada “era”, somos apresentados a um novo personagem e também a novas temáticas e estéticas. Seu disco mais recente, After Hours, é um bom exemplo dessa construção narrativa.

O conceito do novo álbum é complementado pelos clipes que têm sido lançados nos últimos meses. É o caso de “Snowchild“, a faixa mais recente a ganhar um videoclipe oficial. Trata-se de uma animação produzida pelo D’ART Shtajio, primeiro estúdio de animes comandado por negros no Japão.

O vídeo, com design e cenas impecáveis, mostra a trajetória de The Weeknd desde o início da sua carreira até os dias atuais. Todos os seus lançamentos até então ganham algum espaço no clipe na forma de referências.

 

De House of Balloons até After Hours

E aí? Pegou as referências? Não? Pode ficar tranquilo que a gente te ajuda!

A jornada do protagonista começa quando ele cai em um buraco, voltando ao início de sua trajetória artística em Toronto. The Weeknd sai de uma casa que está repleta de balões, o que é uma referência clara à sua primeira mixtape, House of Balloons (2011), e à compilação Trilogy (2012). A estética preto-e-branco, além de remeter à capa da obra, é uma referência ao passado sombrio do músico.

Quando o vídeo volta a ter cor, somos transportados para o Japão, que inspirou muito do mundo ao qual o cantor nos apresenta em seu primeiro disco de estúdio, Kiss Land (2013). Os fãs rapidamente vão comparar essa parte do vídeo ao clipe de “Belong to the World“.

Quando uma mulher revela-se um ciborgue para o cantor, entramos na parte que corresponde ao ótimo Beauty Behind the Madness (2015), disco que catapultou The Weeknd. Ao chegar em Los Angeles, o cantor se depara com algumas criaturas demoníacas (e sem cabeça) que representam males que continuam presentes em sua vida. Um deles, por sinal, se assemelha muito ao personagem interpretado por Rick Wilder nos clipes de “Tell Your Friends” e “Can’t Feel My Face“.

A fase seguinte é a de Starboy (2016), disco que colocou The Weeknd em um território mais pop (e que mudou sem consagrado estilo de cabelo). Vemos referências às panteras negras do curta “M A N I A” e, é claro, ao famoso crucifixo neon do clipe da faixa-título. Mas essas mudanças não foram capazes de resolver seus problemas do passado.

Depois, o cantor é transportado por morcegos até o mesmo cânion que serviu de cenário para o clipe de “I Feel It Coming“. Toda essa narrativa nos leva ao The Weeknd com o visual de After Hours. Na porta de um estabelecimento em Las Vegas, o personagem fuma um cigarro e olha para cima, rindo. O reflexo em seu óculos remete ao vídeo de “Blinding Lights“.

O que achou do clipe? Deixe sua opinião nos comentários!

View this post on Instagram

A Decade of Xo 🎥

A post shared by The Weeknd (@theweeknd) on

 
Compartilhar