Foto por Mats L Photography

Em 2017 a banda brasileira Labirinto pegou as suas guitarras e levou todo o peso e melodia de seu post-metal à Europa em uma turnê.

Dois anos depois os caras estão repetindo o efeito e assim como lá atrás, novamente o TMDQA! irá publicar uma série de diários de turnê dos caras, mostrando os bastidores de como é se apresentar no velho continente a partir da visão dos próprios músicos.

Você pode encontrar a segunda parte logo abaixo e a primeira por aqui.

Ljubljana // Channel Zero

Labirinto em Ljubljana, 2019

Terceira vez da banda em terras eslovenas, mais especificamente na comunidade metalúrgica chamada Metelkova – um lugar repleto de esculturas de todos os tipos e com originalidade que só a capital do design poderia proporcionar – onde tudo acontece ao mesmo tempo, com várias casas de shows de estilos diferentes. Chegamos e ficamos felizes que a “era das escadas” havia terminado e pudemos fazer a montagem do palco mais tranquilos!

Daí por diante foi uma surra de qualidade sonora, o Sasha (técnico do Channel Zero) manda bem demais e deixou o som tinindo! Resultado da noite: satisfação total das bandas e do público! Foi muito bom reencontrarmos o Sasha e o Sony, galera que sempre nos acolhe quando vamos ao Metelkova. Infelizmente a Nanika não pôde ir por motivos de saúde e mandamos boas vibrações pra ela e abraços labirínticos.

Tivemos o dia seguinte livre e almoçamos no vegano Loving Hut antes de partirmos para o castelo central da cidade. Também aproveitamos para reabastecer o estoque de comida da van e andamos pelo agradável centro antigo de Ljubljana.

 

Oberhausen // Druckluft

Labirinto em Oberhausen

Após Ljubljana, voltamos para a Alemanha para tocar na cidade de Oberhausen. Tivemos três dias de folga em que pudemos conhecer Pillig, uma pequena província perto de Colônia. O povoado tem paisagens lindas com castelos nas montanhas e estradinhas ladeadas por plantações de trigo e azaleias na pegada fundo de tela do Windows (não deu para não comparar, risos).

Em Oberhausen, chegamos na Druckluft e fomos muito bem recebidos. Com o Gutz, técnico de som dos bons, já na passagem sentimos que o show iria ser demais! A banda belga “Briqueville” abriu a noite com um som carregado, graves imponentes, sintetizadores e riffs stoners obscuros. Eles tinham uma produção visual muito interessante também, com luz, fumaça, capuzes e máscaras. Bandaça!

Subimos ao palco e fomos surpreendidos com a reação da galera nas pausas e intervalos entre músicas. O pessoal tem se manifestado nos shows durante a tour e isso tem sido muito legal pra gente. A passagem por Oberhausen valeu demais, pelos shows, pelo som, pelo público e pela geladeira cheia de fritzcola. Uma grande noite!

Zottegem // Dunk!Festival

Labirinto no Dunk! Festival
Crédito Labandzi Spiew

Após o fantástico dia em Oberhausen partimos em direção à Zottegem, na Bélgica, onde ocorreria o show mais aguardado por nós, o Dunk!Festival, um evento de 3 dias com diversas bandas do mundo inteiro de post rock/metal, doom, sludge e experimental. O festival movimenta toda a cidade, contando com a ajuda e o trabalho dos moradores e pequenos produtores e fornecedores que se mobilizam nesse período. O festival é organizado magistralmente pela família Lievens, que cuida de cada artista e banda como se fossem seus parentes. Comida, bebida e hospedagem que são excepcionais. A qualidade da infraestrutura de luz e som é algo monumental, como nunca vi em outro evento.

Pessoas de diversos continentes se encontram por lá, e a descontração e a interação entre bandas, produtores é mais um dos atrativos do evento. Foi a terceira vez que o Labirinto tocou (até há 2 anos era a única banda da América Latina a se apresentar); e certamente foi o nosso melhor show de todas as edições. Foi muito bacana, pois pela primeira vez conseguimos nos apresentar com a formação completa, igual tocamos no Brasil. O show foi emocionante, ficamos comovidos com a reação do público que elogiou bastante; foi algo mágico e único na nossas vidas, que nunca mais esqueceremos.

Depois do show descontraímos; alguns puderam usufruir das lendárias cervejas e batatas belgas, conversamos muito com as outras bandas e público (principalmente no espaço do merch e comida). O clima de festa era contagiante, onde pudemos extravasar um pouco, até nos lembrarmos que no outro dia tocaríamos em Paris.

Paris // Espace B

Labirinto em Paris, 2019

Já na entrada de Paris, notamos um cenário bem diferente do de 2015, com muitos moradores de rua e uma crescente desigualdade social que nos remeteu ao centro de São Paulo. Foi um momento de reflexão para todos nós, já que a maioria deles são negros e provavelmente excluídos pela sociedade. E estamos falando aqui da “glamourosa” Paris, cidade de primeiro mundo que teoricamente tem mais recursos e soluções. Não foi o que vimos na chegada à capital francesa.

Chegamos no Espace B, um bar-restaurante que nos fundos mantém um espaço para shows. A noite teve Saar, banda local com que já tocamos quatro anos atrás, Tangled Thoughts of Leaving novamente e Labirinto. Vale ressaltar que foi o último show com os australianos da TToL, pessoas incríveis que podemos chamar de família! Levamos na bagagem dessa tour muito carinho e cumplicidade em relação a eles! ♥

 
 
Compartilhar