Underoath
Foto: Divulgação / Nick Fancher
 

A banda de post-hardcore Underoath foi fundada em 1997 e desde o início de sua carreira se rotulou como um grupo cristão.

Acontece que nos últimos anos a banda andou um tanto quanto dormente e voltou em 2018 com seu primeiro disco desde 2010, lançando Erase Me e deixando bem claro que as coisas mudaram.

Há algum tempo a banda já havia dito que as raízes religiosas não estavam mais presentes, e em entrevista para a Loudwire eles reforçaram a opinião, com o vocalista Spencer Chamberlain sendo enfático:

Colocar a religião em uma banda; somos seis indivíduos diferentes, isso é realmente injusto. E se alguém decide seguir um caminho diferente? E se alguém começa a se questionar? E se alguém passa a não se sentir bem com as coisas? Eu acho que a religião não deveria estar na música.

Na conversa, o vocalista também falou ao lado do baterista Aaron Gillespie sobre como alguns fãs respeitaram a decisão deles e outros não tanto, e deu declarações pesadas:

A comunidade Cristã tem algumas das pessoas mais malvadas e mais alienadas entre todas que já trabalhamos, especialmente na indústria da música. Desde 2006, quando vazou a notícia de que eu tinha problemas com drogas, nunca houve nenhuma ajuda, era só tipo, ‘Vamos crucificar esse cara. Veja como ele é um exemplo terrível de Cristão.’ Nenhuma pessoa ofereceu ajuda, sempre foi algo tipo ‘Foda-se esse cara, vamos tirá-lo daqui.’

Você pode ver a entrevista logo abaixo.

 
 
Compartilhar