Clipe de
Foto: Reprodução / Youtube
 

É difícil caracterizar a música pop da década de 2000 sem citar o fenômeno Black Eyed Peas.

Todos os álbuns do grupo renderam hits que se tornaram íntimos das rádios. A boa notícia é que, apesar de já terem se passado 8 anos desde o lançamento do último disco de estúdio, o grupo ainda se mostra firme e forte.

No início do ano foi divulgada a nova “Street Livin'”, onde criticam a supremacia branca e pedem mudanças sociais. Agora o grupo deixa claro seu novo posicionamento com mais uma novidade: a canção “Ring The Alarm“.

Dividida em três partes, a música conta com vocais dos três membros atuais do grupo, will.i.am, Apl.de.ap e Taboo. É a terceira música lançada pela banda, desde 2015, sem os vocais de Fergie.

No entanto, o refrão da nova música conta, assim como alguns dos maiores sucessos dos BEP, com a presença de uma voz feminina no refrão. São versos de fácil memorização que prendem na cabeça, mas não é a mesma voz que nos habituamos a ouvir durante uma década inteira. Seria apenas uma convidada especial, ou será que teremos revelações em breve?

“Chegou a hora da revolução”

A música se divide em três momentos que ficam bem identificados através do clipe oficial da música, que acompanhou o novo lançamento. Cada parte é cantada por um integrante diferente.

Referências militares, científicas e religiosas ficam claras no vídeo, que conta com uma paleta escura de cores, talvez como forma de enfatizar a seriedade do assunto abordado. A misteriosa voz do refrão da canção também aparece no clipe, usando uma máscara enquanto canta, voltada para a câmera, o pegajoso refrão.

Grupo clama por investimentos em educação

A inspiração para a composição de “Ring The Alarm” foi a brutalidade da polícia, em casos que ficaram famosos nos últimos anos nos Estados Unidos. Em entrevista ao veículo Complex, will.i.am falou sobre o assunto:

Toda vez que temos um tiroteio policial, ele acontece em torno de uma área onde o financiamento de educação é baixo. Você não vê um tiroteio policial por causa de um homem negro desarmado em Brentwood, por exemplo.

Na música, o grupo critica a precariedade de investimentos em educação, argumentando que ela é a base para tudo. Críticas à internet também são feitas, uma vez que as novas mídias acabam fazendo cada vez mais parte da educação das novas gerações. Um verso da canção, por exemplo, aponta:

Eles não ensinam nada para as crianças. Só sabem de iPad e de açúcar em seus bolinhos. Eles não entendem nada sobre divisão; não acrescentam em nada.

Pouco foi divulgado a respeito da volta do grupo, mas especula-se que um novo álbum tem previsão de lançamento ainda para este ano. Enquanto aguardamos as novidades, confira abaixo o vídeo desse “soco no estômago” que é a nova música: