Kesha perde processo contra Dr. Luke e Sony

Juíza alegou que estupro não é crime de ódio, e se torna inválido na acusação por ter ocorrido fora de Nova York

Kesha perde processo contra DR Luke
 

O caso de Kesha contra Dr. Luke chegou ao fim de uma maneira triste e desfavorável à cantora e às vítimas de abuso no geral.

Uma juíza de Manhattan rejeitou as acusações da artista e anulou todo o processo contra o produtor, que foi acusado de sedá-la e estuprá-la. Segundo ela, não há provas de que o estupro foi um crime de ódio ao gênero feminino (acusação feita por Kesha), e é “inválido” (pelo menos para o seu julgamento) por ter acontecido fora de Nova York. Leia abaixo as declarações do julgamento:

Embora as supostas ações [de Luke] foram direcionadas a Kesha, que é do sexo feminino, [suas reivindicações] não alegam que a ação de Luke tenha sido motivada pelo ódio ao gênero quando ele supostamente se comportou violentamente em direção a Kesha. […] Nem todo estupro é um crime de ódio motivado por gênero. […] Os alegados incidentes aconteceram fora de Nova York, estão além dos prazos legais e não se enquadram em ‘imposição intencional de sofrimento emocional.’

Kesha vem tentando se desvincular de seu contrato com a Kemosabe Records, de Dr. Luke e subsidiária da Sony Music, apesar da gravadora ter dito que ela poderia gravar com outros produtores se quisesse. Por entender que foi dada a oportunidade de trabalhar com alguém diferente de Dr. Luke mas Kesha não aceitou, a juíza decidiu que a cantora não foi “razoável”.

Em comunicado, a gravadora demonstrou apoio à vítima e disse ser incapaz de quebrar o contrato, já que este foi assinado por ela com o selo do próprio produtor.

Kesha revelou recentemente por meio de seu Instagram que recebeu uma oferta para o término do contrato caso fosse a público para mentir e dizer que nunca foi abusada por Dr. Luke.

Diversos artistas como Lady Gaga, Adele e Taylor Swift mostraram indignação com os desdobramentos do caso, e não é por menos. Kesha é apenas mais uma das milhares de vítimas de abusos sexuais e emocionais que são silenciadas ao redor do mundo, e a declaração da juíza responsável pelo caso mostra o quão absurdos são os motivos pelos quais o processo foi negado.

A cantora de “Tik Tok” ainda não se pronunciou sobre o ocorrido.

 

Comentários