Capital Inicial no Lupaluna 2011
 

Capital Inicial

Capital Inicial no Lupaluna 2011

Fotos por Leandro Moraes

O Capital Inicial subiu ao palco do Lupaluna e mandou logo de cara nada mais nada menos do que uma versão de “Smells Like Teen Spirit”, do Nirvana.
A ousadia deixou jornalistas e público de ouvido em pé e parece ter dado certo pelo menos pra chamar a atenção para o começo da apresentação dos caras.

A partir daí a banda mandou seus sons como “Natasha” e “Quatro Vezes Você”, e uma interpretação de “Que País É Esse?”, dedicada ao mala sem alça da vez Jair Bolsonaro. “Veraneio Vascaína” foi tocada com todo o vigor de uma música punk e soou mais forte e perigosa do que muita música de protesto por aí e mereceu destaque.

Vale ressaltar também que há 2 anos a banda tocou no mesmo festival e houve um problema sério com o palco, que caiu e obrigou a banda a tocar apenas com um violão. Dinho ressaltou isso e avisou à plateia que iria compensar o fato no show de 2011.

Outra cover executada pela banda próximo ao final do show foi a de “Mulher de Fases”, do Raimundos, que contou com a participação de Digão na guitarra/vocal e que levou o público ao delírio, já se aquecendo para o show da banda de Digão que ao deixar o palco anunciou: “Mais tarde tem a gente ali na favelinha!!!”, se referindo ao palco EcoMusic.

Nada de muitas novidades, mas um show cheio de energia e que pareceu fazer os membros da banda muito felizes, esse foi o Capital Inicial no Lupaluna.

Capital Inicial no Lupaluna 2011 Capital Inicial no Lupaluna 2011 Capital Inicial no Lupaluna 2011

Capital Inicial no Lupaluna 2011 Capital Inicial no Lupaluna 2011

Capital Inicial no Lupaluna 2011 Capital Inicial no Lupaluna 2011

Capital Inicial no Lupaluna 2011 Capital Inicial no Lupaluna 2011 Capital Inicial no Lupaluna 2011

Capital Inicial no Lupaluna 2011 Capital Inicial no Lupaluna 2011

Capital Inicial no Lupaluna 2011 Capital Inicial no Lupaluna 2011

Capital Inicial no Lupaluna 2011 Capital Inicial no Lupaluna 2011

Capital Inicial no Lupaluna 2011 Capital Inicial no Lupaluna 2011

Capital Inicial no Lupaluna 2011

Vanessa da Mata

Vanessa da Mata no Lupaluna 2011

Vanessa da Mata é uma artista daquelas que passa a nítida impressão de estar se divertindo no palco.
Logo ao subir, com uma bela iluminação de palco e arranjo de flores no pedestal do microfone, a cantora construiu um clima muito bacana para seu show e durante nenhum segundo sequer deixou o espírito cair durante a apresentação.

Passando por quase todas as suas músicas mais conhecidas, Vanessa marcou um dos pontos épicos da edição 2011 do Festival, quando cantou “Ai, ai, ai” e seu refrão O que a gente precisa é tomar um banho de chuva justamente quando um temporal caiu sobre o BioParque em Curitiba.

Quando todos estavam apreensivos no backstage pensando qual seria a reação do público, Vanessa segurou a onda e o público, que veio atrás pulando e cantando e comprando capas de chuva.
Não se importando nem um pouco com o frio e a água que caía incessantemente, Vanessa deixou seu microfone de lado e foi para a extensão do palco pular e dançar ao som de sua banda, tomando literalmente um banho de chuva como todos os presentes ali.

É sempre bacana ver alguém fazendo o que mais gosta, justamente o caso no show de Vanessa da Mata.

Vanessa da Mata no Lupaluna 2011 Vanessa da Mata no Lupaluna 2011 Vanessa da Mata no Lupaluna 2011

Vanessa da Mata no Lupaluna 2011 Vanessa da Mata no Lupaluna 2011

Vanessa da Mata no Lupaluna 2011 Vanessa da Mata no Lupaluna 2011

Vanessa da Mata no Lupaluna 2011 Vanessa da Mata no Lupaluna 2011 Vanessa da Mata no Lupaluna 2011

Vanessa da Mata no Lupaluna 2011 Vanessa da Mata no Lupaluna 2011

Vanessa da Mata no Lupaluna 2011 Vanessa da Mata no Lupaluna 2011 Vanessa da Mata no Lupaluna 2011

Vanessa da Mata no Lupaluna 2011 Vanessa da Mata no Lupaluna 2011

Vanessa da Mata no Lupaluna 2011

 

Fresno

Fresno no Lupaluna 2011

O Fresno foi uma das primeiras bandas do segundo dia do festival e fez um show seguro, para seus fãs (a grande maioria do sexo feminino) matarem a vontade de ver a banda ao vivo.
Sem grandes novidades ou surpresas a banda passeou pelos seus hits e interagiu com o público, que em boa parte cantava todas as letras de suas músicas.

A banda mostrou que está ficando cada vez mais acostumada a lidar com grandes públicos e se apresentar com propriedade, mas também mostrou que poderia ousar um pouco mais e tentar andar por outras direções em seus sons, sempre muito parecidos.

Fresno no Lupaluna 2011 Fresno no Lupaluna 2011

Fresno no Lupaluna 2011 Fresno no Lupaluna 2011

Fresno no Lupaluna 2011 Fresno no Lupaluna 2011

Fresno no Lupaluna 2011 Fresno no Lupaluna 2011

Fresno no Lupaluna 2011 Fresno no Lupaluna 2011 Fresno no Lupaluna 2011

Fresno no Lupaluna 2011 Fresno no Lupaluna 2011

Fresno no Lupaluna 2011 Fresno no Lupaluna 2011

Fresno no Lupaluna 2011 Fresno no Lupaluna 2011 Fresno no Lupaluna 2011

Fresno no Lupaluna 2011

 

   
Nosso site utiliza de cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Consulte nossa Política.