Foto: Guto Costa
 

A cantora e atriz paraibana Lucy Alves é uma das figuras mais carismáticas da cultura pop recente nacional. Ela conquistou o Brasil empunhando sua sanfona no The Voice Brasil onde foi finalista, depois disso estreou e brilhou como atriz na novela Velho Chico e repetiu a boa atuação em Tempo de amar. Mas a história dela com música é longa.

Com apenas quatro anos, Lucy já tocava violino e se apresentava ao lado das irmãs em João Pessoa. Com talento e disciplina impressionantes seguiu estudando piano, sanfona e aperfeiçoando o canto. Ela integrou orquestras importantes do Nordeste como as Sinfônicas da Paraíba e do Recife e da Câmara de João Pessoa. No início dos anos 2000 montou com a família o grupo Clã Brasil com ritmos regionais e repertório com grandes ídolos Nordestinos. Em 2016 o grupo foi indicado ao Grammy Latino como melhor disco de raízes brasileiras.

Agora ela lança o single “Doce Companhia”, versão de Fernanda Takai para um sucesso da mexicana Julieta Venegas. A faixa é o tema de abertura da novela Orgulho e Paixão e foi gravada por Felipe Rodarte, na Toca do Bandido.

Conversamos com ela sobre esse novo momento e você pode comparar

TMDQA: Como você chegou nessa versão da Julieta pela Takai?

Lucy Alves: Fui convidada para dar voz a abertura da novela e a música escolhida foi “Doce Companhia” que é versão da música da Julieta. A versão da Fernanda é muito boa e funcionou bem com os arranjos de voz e sanfona que fiz.

TMDQA: Ela antecipa algo de um novo disco?

Lucy Alves: É um projeto especial, assim considero. Mas não deixa de estar nesse meu momento de produção. Estou em estúdio preparando novas músicas.

TMDQA: Você gravou com o Rodarte na Toca, certo? Como foi trabalhar por lá?

Lucy Alves: A Toca tem toda uma áurea, um encanto de um espaço que tem uma energia especial; grandes produções foram feitas lá. O lugar todo emana algo único. Sempre maravilhoso para qualquer músico estar lá.

TMDQA: Nos últimos tempos você tem feito alguns trabalhos como atriz. No que isso muda o seu modo de pensar música?

Lucy Alves: Atuar tem me ajudado bastante nos palcos e a me expressar de um modo geral nas artes. É uma linda ferramenta. Veio pra somar. A música ajuda muito no caminho inverso também. Usar a música para as cadências das falas, dos textos… Tem me ajudado muito.

TMDQA: Você tem mais discos que amigos?

Lucy Alves: Talvez! (Risos) Discos, seja em formato digital ou físico são melhores companhias! Hoje a gente disponibiliza tido digitalmente mas ainda curto ter encarte, ver ficha técnica ao abrir o disco.