Estudo diz que músicas de maior sucesso têm ficado cada vez mais simples

Pesquisa sugeriu que os grandes sucessos na música atualmente possuem menos complexidade de melodias em comparação com faixas populares mais antigas.

Charts, músicas mais populares
Foto stock via Shutterstock

Cientistas recentemente descobriram que as músicas que dominam as paradas de sucesso atualmente são menos complexas do que as canções do passado.

As pesquisas realizadas por eles apontam que a mudança pode – pelo menos em parte – estar relacionada ao surgimento de novos gêneros musicais ao longo das décadas, como o Arena Rock, ou Rock de Estádio, a Disco Music e o Hip Hop.

Apesar do cenário indicar uma direção nada otimista, Madeline Hamilton, coautora da pesquisa da Universidade Queen Mary de Londres, disse que os resultados não significam que a música esteja necessariamente “emburrecendo” (via TheGuardian):

Meu palpite é que outros aspectos da música estão ficando mais complexos e as melodias estão ficando mais simples como forma de compensar.

A pesquisadora também observou que, embora a música nas décadas anteriores fosse feita com mais instrumentos analógicos, o que significa que a complexidade tendia a ser adicionada através de vocais, faixas produzidas hoje em dia envolvem muitas camadas e texturas sonoras através do uso da tecnologia. Faz sentido?

Elvis Presley, Beatles, Madonna, Lady Gaga e Beyoncé aparecem no estudo

Em publicação na revista Scientific Reports, Madeline e o Dr. Marcus Pearce descreveram como foram estudadas as canções colocadas entre as cinco primeiras na parada musical de singles de fim de ano da Billboard dos Estados Unidos entre 1950 e 2022.

Entre elas estão grandes clássicos como “Heartbreak Hotel”, de Elvis Presley, “Hey Jude”, dos Beatles, “Vogue”, de Madonna, “Poker Face”, de Lady Gaga, e “Irreplaceable”, de Beyoncé.

Eles, então, analisaram oito características associadas ao tom e à estrutura rítmica de cada melodia. Os resultados deixaram claro que a complexidade média das melodias caiu ao longo do tempo, com duas grandes quedas em 1975 e 2000, bem como uma menor em 1996.

Novos gêneros musicais influenciaram dados da pesquisa

Hamilton disse ainda que uma explicação para o fenômeno observado foi a ascensão de diferentes gêneros musicais, com a primeira queda ocorrendo na época em que o Arena Rock e a Disco se tornaram populares. Já quanto ao ano 2000, ela explica:

A [queda] por volta do ano 2000 [é] provavelmente, pelo menos parcialmente, devido à ascensão do Hip Hop, porque essas melodias são muito distintas. Normalmente são melodias muito simples.

O declínio menor por volta de 1996, acrescentou ela, também pode estar ligado ao Hip Hop, embora outra possível influência seja a ascensão da digitalização das gravações, o que facilita a repetição de seções e frases nas músicas. “Pensamos que isso pode estar levando a um aumento na repetição das melodias,” completou Madeline.

Logo abaixo, você pode conferir a música que ocupou o topo das paradas de final de ano em 2023: “Last Night”, de Morgan Wallen. Conta para gente se achou a melodia simples demais!

LEIA TAMBÉM: 70% dos artistas estão insatisfeitos com seus ganhos no streaming, diz estudo