The Who e Nine Inch Nails

Álbuns conceituais têm o poder de transcender a música, contando histórias completas ou explorando temas complexos ao longo de suas faixas.

Eles criam uma experiência imersiva que vai além de músicas isoladas e o TMDQA! separou 15 exemplos que você precisa conhecer ou ouvir com mais atenção. Divirta-se!

1. Pink Floyd – The Wall (1979)

The Wall conta a história de Pink, um personagem fictício que enfrenta traumas pessoais e a alienação social, construindo metaforicamente um “muro” ao seu redor. A obra explora temas como isolamento, opressão e perda, culminando na tentativa de derrubar essas barreiras emocionais.

Faixas-Destaque: “Another Brick in the Wall, Pt. 2”, “Comfortably Numb”, “Hey You”

2. The Who – Tommy (1969)

Tommy é uma ópera rock que narra a vida de um menino surdo, mudo e cego que se torna um mestre no pinball e uma espécie de messias. O álbum aborda temas como abuso, fé, trauma e redenção.

Faixas-Destaque: “Pinball Wizard”, “See Me, Feel Me”, “Tommy Can You Hear Me?”

3. David Bowie – The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars (1972)

Este álbum apresenta a saga de Ziggy Stardust, um alienígena andrógino e roqueiro que se torna um messias para a juventude terrestre. A história explora a ascensão e a queda de Ziggy, abordando a fama, a identidade e a alienação.

Faixas-Destaque: “Starman”, “Ziggy Stardust”, “Suffragette City”

4. The Beatles – Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (1967)

Embora não siga uma narrativa linear, Sgt. Pepper’s é considerado um álbum conceitual por seu tema unificador de uma banda fictícia e seu foco na experimentação sonora. O álbum reflete a cultura psicodélica e o espírito de inovação da época.

Faixas-Destaque: “Lucy in the Sky with Diamonds”, “A Day in the Life”, “With a Little Help from My Friends”

5. Green Day – American Idiot (2004)

American Idiot é uma ópera punk que segue a história de Jesus of Suburbia, um jovem desiludido com a sociedade e em busca de significado. O álbum critica a política americana e a cultura de consumo, abordando temas de rebeldia e auto-descoberta.

Faixas-Destaque: “American Idiot”, “Boulevard of Broken Dreams”, “Jesus of Suburbia”

6. Radiohead – OK Computer (1997)

Embora não seja um álbum conceitual no sentido tradicional, OK Computer tem um tema coeso de alienação moderna, a desumanização pela tecnologia e a ansiedade existencial. As faixas exploram o impacto da vida digital e a sensação de desconexão.

Faixas-Destaque: “Paranoid Android”, “Karma Police”, “No Surprises”

7. Kendrick Lamar – good kid, m.A.A.d city (2012)

Este álbum é uma narrativa autobiográfica de um dia na vida de Kendrick Lamar em Compton. Ele explora temas como violência, gangues, redenção e o impacto do ambiente na juventude.

Faixas-Destaque: “Bitch, Don’t Kill My Vibe”, “Swimming Pools (Drank)”, “Backseat Freestyle”

8. Janelle Monáe – The ArchAndroid (2010)

The ArchAndroid continua a saga de Cindi Mayweather, um arquétipo de andróide, que enfrenta opressão em uma sociedade futurista. O álbum mistura diversos gêneros musicais e explora temas de liberdade, identidade e revolução.

Faixas-Destaque: “Tightrope”, “Cold War”, “Come Alive (The War of the Roses)”

9. My Chemical Romance – The Black Parade (2006)

The Black Parade segue a história de “The Patient”, um personagem que revisita sua vida ao morrer de câncer. O álbum aborda temas de morte, arrependimento e a busca por redenção.

Faixas-Destaque: “Welcome to the Black Parade”, “I Don’t Love You”, “Famous Last Words”

10. Rush – 2112 (1976)

A faixa-título de 20 minutos de 2112 narra a história de um futuro distópico onde a música é proibida. Um protagonista encontra uma guitarra e descobre a liberdade através da música, desafiando a opressão do governo.

Faixas-Destaque: “2112 Overture/The Temples of Syrinx”, “A Passage to Bangkok”, “Something for Nothing”

11. The Flaming Lips – Yoshimi Battles the Pink Robots (2002)

Este álbum conta a história de Yoshimi, uma guerreira que luta contra robôs rosas para salvar o mundo. A obra é uma mistura de ficção científica, filosofia e emoção humana, explorando a luta entre o bem e o mal.

Faixas-Destaque: “Do You Realize??”, “Yoshimi Battles the Pink Robots, Pt. 1”, “Fight Test”

12. The Decemberists – The Hazards of Love (2009)

The Hazards of Love é uma ópera folk que segue uma história de amor proibido entre uma jovem chamada Margaret e um metamorfo chamado William. O álbum explora temas de amor, sacrifício e luta contra forças malignas.

Faixas-Destaque: “The Wanting Comes in Waves/Repaid”, “The Hazards of Love 1 (The Prettiest Whistles Won’t Wrestle the Thistles Undone)”, “The Rake’s Song”

13. Coheed and Cambria – Good Apollo, I’m Burning Star IV, Volume One: From Fear Through the Eyes of Madness (2005)

Parte de uma série de álbuns conceituais, esta obra narra a saga épica de Coheed e Cambria em um universo de ficção científica. O álbum explora temas de amor, traição e vingança.

Faixas-Destaque: “Welcome Home”, “The Suffering”, “Ten Speed (Of God’s Blood & Burial)”

14. Nine Inch Nails – The Downward Spiral (1994)

Este álbum segue a espiral descendente de um personagem que luta com a auto-destruição e o niilismo. As faixas exploram a degradação mental e emocional, culminando em um colapso total.

Faixas-Destaque: “Closer”, “Hurt”, “March of the Pigs”

15. Arcade Fire – The Suburbs (2010)

The Suburbs é um álbum que explora a nostalgia e as complexidades da vida suburbana. As músicas abordam temas de crescimento, mudança e a luta para encontrar um sentido em um mundo em constante transformação.

Faixas-Destaque: “The Suburbs”, “Ready to Start”, “Sprawl II (Mountains Beyond Mountains)”

OUÇA AGORA MESMO A PLAYLIST TMDQA! BRASIL

Música brasileira de primeira: MPB, Indie, Rock Nacional, Rap e mais: o melhor das bandas e artistas brasileiros na Playlist TMDQA! Brasil para você ouvir e conhecer agora mesmo. Siga o TMDQA! no Spotify!