Polêmica? Brian May diz que Freddie Mercury não se enxergaria como artista queer

Em novo documentário, Adam Lambert e integrantes do Queen discutem a influência da sexualidade de Freddie Mercury em seu talento artístico.

Freddie Mercury no Live Aid
Reprodução / YouTube

O icônico e saudoso Freddie Mercury foi relembrado no novo documentário Adam Lambert: Out, Loud and Proud, sobre o atual vocalista do Queen.

No longa, que foi exibido na ITV1 nesta quinta-feira (20), Adam Lambert apontou que ele e os membros remanescentes da emblemática banda britânica, Brian May e Roger Taylor, encontraram uma “maneira respeitosa” de conversar sobre a sexualidade do falecido vocalista.

Causando uma certa polêmica, May apontou em um de seus depoimentos no filme que Mercury não iria gostar do rótulo de artista queer, termo usado para descrever pessoas que não correspondem à heterocisnormatividade, ou seja, que fogem da identidade padrão da sociedade (heterossexualidade e cisgênero).

Ao invés disso, segundo Brian, o vocalista daria ênfase no fato de ser um artista, sem se preocupar tanto em se identificar sexualmente – algo que, na visão do guitarrista, Freddie sempre buscou explorar de forma mais particular. Portanto, May acredita que a resposta de Mercury seria algo como:

Eu sou um artista, querido.

Apesar disso, os músicos também acreditam que a sexualidade de Freddie influenciou seu talento artístico.

A sexualidade de Freddie Mercury e o Queen

Segundo o Mirror (via NME), Lambert confessou que, mesmo sendo membro do Queen desde 2011, ele nunca havia encontrado uma maneira de conversar com May e Taylor sobre a sexualidade de Freddie até a gravação do documentário:

Eles geralmente não se sentem confortáveis ​​falando sobre a sexualidade de Freddie diante das câmeras – eles respeitam sua privacidade. Mas encontramos uma maneira de falar sobre isso de maneira respeitosa. Não era revelando segredos. Era como aquilo agregava a ele como um ser criativo, um artista, um ser humano e parceiro de banda.

Eu sempre tento homenagear Freddie. Tudo que faço no palco é uma homenagem a ele. Estou honrado que eles se sentiram confortáveis ​​comigo e abertos para falar sobre sua experiência com Freddie e sua experiência como um homem queer em uma época em que era tabu falar sobre isso publicamente.

Por enquanto, Adam Lambert: Out, Loud and Proud não tem previsão de exibição no Brasil.

Adam Lambert e Queen

Além de emprestar seus vocais ao Queen, Adam Lambert se dedica à sua carreira solo. Nesta sexta-feira (21), após o lançamento do documentário, o músico liberou seu novo single “CVNTY”, que você pode ouvir abaixo.

Enquanto isso, foi divulgado nesta semana que a Sony Music vai comprar os direitos de todas as músicas do Queen por cerca de US$1,27 bilhão (o que representa quase R$7 bilhões), se tornando a maior venda quando se trata de aquisição de catálogos. Saiba mais detalhes aqui.