Dona Cislene em

Após três anos afastada dos holofotes, a Dona Cislene retornou com o lançamento da música “Gigante”, que chega pouco antes do show de despedida que a banda fará nesta quinta-feira (20) no Capital Moto Week 2023, em Brasília.

Formada por Bruno Alpino (vocal e guitarra), Guilherme de Bem (guitarra), Pedro Piauí (baixo) e Paulo Sampaio (bateria), a banda brasiliense anunciou o fim de suas atividades em 2020, mas irá homenagear sua trajetória e os próprios fãs com este retorno especial e único aos palcos, em uma noite que também terá Supla e os Punks de Boutique e o show especial de 30 anos do Charlie Brown Jr. comandado por Marcão BrittoThiago Castanho.

Os ingressos para o evento estão disponíveis aqui e você pode conferir o line-up completo no Instagram do festival.

“Gigante”

Em “Gigante”, que você ouve ao final da matéria, a Dona Cis fala sobre o sentimento que os integrantes carregam ao reviver toda a experiência de ativar seus fãs e também sobre sentir a energia da expectativa pela troca no palco.

O TMDQA! aproveitou a chegada do single para conversar com a banda e o resultado da entrevista você confere logo abaixo!

Dona Cislene fala sobre show de despedida ao TMDQA!

TMDQA!: Para os fãs da Dona Cislene, foram três anos esperando esse momento de poder reencontrar vocês no palco, nem que seja só para se despedir direito. Vocês conseguem explicar o que significa pra vocês esse reencontro com essas pessoas, que ganharam esse “presente”, por assim dizer?

Bruno: Esse reencontro era algo que a gente sentia que precisava acontecer! De alguma forma em algum momento. Estávamos só esperando a hora e a oportunidade certa. Todos nós merecíamos isso. Público e banda! Pra gente poder voltar em cima de um palco 3 anos depois e sentir toda essa energia de novo está sendo surreal! Sem dúvida será uma noite pra ficar guardada.

TMDQA!: O show vai acontecer no Capital Moto Week, que é um evento muito ligado ao Rock de Brasília e bem conectado também com a proposta de vocês. Dá pra dizer que é o local perfeito pra realizar esse show? Rolou um pouco aquela sensação de esperar o momento certo e agora o alívio de finalmente ter chegado esse momento?

Gui: Acredito que sim! Não conseguimos nos despedir dos palcos, isso me machuca até hoje. Estamos planejando esse show há pelo menos um ano e estávamos esperando o local e o evento certo. Conversamos com alguns festivais e até pensamos em fazer o nosso próprio evento e, com certeza, o Capital Moto Week foi a melhor decisão. Tocar em casa e naquele palco colossal vai ser insano.

TMDQA!: Quando a banda anunciou o seu fim, não existia nenhuma direção clara sobre a possibilidade de um reencontro no futuro. O quão importante foi dar esse ponto final antes de uma grande briga ou coisa do tipo, que poderia vir a impedir uma reunião como essa no futuro? Olhando pra trás, vocês ainda sentem que foi a decisão certa?

Bruno: Considero que essa atitude foi mais que necessária pra preservar nossa amizade e o amor que a gente sente um pelo outro! O propósito da banda sempre foi se divertir, amar tocar, estar com sorrisão no rosto pro que vier. E nesse momento estávamos desgastados e cansados! Isso em algum momento também iria acabar respingando na nossa relação pessoal. Não nos arrependemos! O fim foi necessário pro nosso crescimento e pra chegarmos na mentalidade que temos hoje. Por fim, conseguimos resgatar o sentimento de fazer música porque amamos! Sem pensar em mercado ou dinheiro. Estamos muito felizes com esse reencontro.

Piauí: Nosso objetivo maior sempre foram os shows ao vivo, transmitir e disseminar a nossa energia pelo Brasil. Mas é o que dizem, “a estrada estraga”! (risos). De fato, não é fácil, mas no fim sempre compensou todo o esforço. A parada de shows por conta da pandemia foi brutal para a gente, já que não conseguíamos fazer o que mais gostávamos, e isso nos afetou mais do que qualquer outra coisa. Decidimos parar, porque não seria fácil manter tudo com tanta ansiedade acumulada. Se foi certo ou não, não dá para imaginar multiversos (risos)! Mas funcionou, acho que foi a melhor e mais honesta decisão conosco e com os fãs.

TMDQA!: O final de uma banda sempre traz muitas especulações, mas a realidade é que a Dona Cis sempre manteve boas relações mesmo depois do fim e acredito que foi um caso de algo que não fazia mais sentido naquele momento pra vocês. Quais foram os fatores que levaram a essa decisão? Hoje, existe alguma possibilidade de um retorno mais concreto ou a ideia é só esse show mesmo?

Bruno: Antes do término a gente já conversava sobre a possibilidade mas sempre tinha algo muito importante pra fazer ou algum grande projeto pra entregar. Quando veio a pandemia e não vimos possibilidade nenhuma de retorno dos eventos decidimos dar esse passo, não foi uma decisão fácil. Não teve briga, nem discussão, sempre nos respeitamos mesmo discordando quase sempre um do outro, somos 4 pessoas com visões completamente diferentes. Tivemos a Dona Cis como prioridade em nossas vidas durante 10 anos, acho que isso pesou, abrir a cabeça e o coração pra novos projetos. A ideia é esse realmente ser o único e o último show mas nunca se sabe.

OUÇA AGORA MESMO A PLAYLIST TMDQA! METAL

Nu Metal, Metalcore, Heavy Metal, Thrash e muito mais: todo peso das guitarras aparece na Playlist TMDQA! Metal para você ouvir clássicos e conhecer novas bandas agora mesmo. Siga o TMDQA! no Spotify!