Discos péssimos do Nu Metal
Fotos via Reprodução/YouTube

Ame-o ou odeie-o, o Nu Metal muito provavelmente fez parte da sua vida se você nasceu nos anos 90. Através de bandas como Linkin ParkEvanescence e mais, o gênero se “infiltrou” nas rádios e marcou época para toda uma geração que parecia se dividir quase igualmente entre amor e ódio.

Enquanto alguns vão defender com unhas e dentes os trabalhos de nomes como o KoRn, é fato que a mera existência de personalidades como a dos caras do Limp Bizkit é suficiente para irritar outros. No entanto, em questão de música, o estilo sempre foi bem característico e é relativamente fácil identificá-lo sem grandes confusões e polêmicas.

Por isso, há algum tempo, selecionamos por aqui 10 discos do Nu Metal que não possuem nenhuma música ruim. Essas obras representam o que o gênero tem de melhor mas, para sermos justos com o outro lado, é necessário também mergulhar no que há de pior dessa sonoridade tão anos 2000.

Embarque com a gente nessa viagem no tempo que vai te lembrar de 10 discos que você provavelmente preferiria esquecer!

Crazy Town – The Gift of Game (1999)

Crazy Town - The Gift of Game

A lista já começa com um álbum que dá bem o tom do que vem por aí. The Gift of Game é o trabalho de estreia do Crazy Town, banda que ficou famosa pelo hit “Butterfly” — uma das melhores faixas dessa era, diga-se de passagem. Para além dela, no entanto, o disco deixa muito a desejar e, em diversos momentos, o Crazy Town parece uma banda cover ruim de Limp Bizkit.

Músicas como “Toxic” até fizeram sucesso na época, mas resenhas já faziam críticas fortes à pegada “machão” do grupo, que parece permanecer até hoje já que recentemente os dois vocalistas saíram na porrada depois de uma confusão.

Drowning Pool – Sinner (2001)

Drowning Pool - Sinner

Mais uma vez, temos uma banda que ganhou uma exposição surreal por conta de um grande hit. “Bodies” fez o Drowning Pool ter uma carreira que iria de mal a pior, e não é exagero dizer que Sinner, apesar de estar nessa seleção, é o melhor trabalho da banda.

Ainda assim, e mesmo considerando o status de clássico que Sinner veio a ter por sua influência em outros grupos de Nu Metal, é difícil fugir do fato que todas as músicas parecem seguir uma mesma fórmula e trazem praticamente nenhuma inovação. Dá pra gente dizer que é o menos pior daqui, mas bom não é…

Hollywood Undead – Swan Songs (2008)

Hollywood Undead - Swan Songs

Apesar de não ser exatamente um disco de Nu Metal, Swan Songs é sem dúvida alguma um produto de tudo que vinha sendo construído pelo gênero nos últimos anos. Aliás, toda a estética do Hollywood Undead parece com um grande Frankenstein dos anos 2000, desde a mistura de Rap com Metal até a estética visual, com máscaras e outros adereços.

Por ter surgido em 2008, a banda tinha tudo para absorver o que havia de bom no Nu Metal e criar algo mais legal. No entanto, foi exatamente pelo caminho contrário e Swan Songs parece uma grande síntese de tudo que havia de pior na música daquela década.

Kid Rock – Devil Without a Cause (1998)

Kid Rock - Devil Without a Cause

É até difícil saber por onde começar ao falar de Devil Without a Cause. Na época, Kid Rock já vinha tentando uma carreira na música há alguns anos e foi com esse disco que ele alcançou a tão buscada fama, graças a um certo pioneirismo de fazer Country Rap, sem dúvidas bastante influenciado pela cultura do Rap Rock e Nu Metal que permeava aquele momento.

Novamente, não é um disco exatamente de Nu Metal. Mas é difícil pensar que, sem os lançamentos dos anos anteriores, as portas teriam sido abertas para o desprazer que é ouvir essas músicas. Isso sem falar na visibilidade dada a um dos maiores babacas da indústria da música…

Limp Bizkit – Results May Vary (2003)

Limp Bizkit - Results May Vary

Sem dúvidas a banda mais divisora do Nu Metal, o Limp Bizkit é um dos grandes responsáveis pelo sucesso do gênero e isso é inquestionável. Na nossa lista de discos do estilo sem nenhuma música ruim eles estiveram presentes e, mostrando o quanto estamos falando de um grupo volátil, Results May Vary foi pedida certa para entrar nesta seleção.

Para contextualizar, a sensação é de que o Limp Bizkit estava se segurando como podia à fama, uma vez que o Nu Metal começava a perder popularidade e as tensões internas da banda cresciam. O resultado é um disco ruim, para falar o português claro, que nos “presenteou” com uma versão tão popular quanto péssima de “Behind Blue Eyes”.

Puddle of Mudd – Come Clean (2001)

Puddle of Mudd - Come Clean

Puddle of Mudd poderia ter sido uma banda super interessante. Basta ouvir “Blurry”, grande sucesso do disco Come Clean, que tem uma pegada Post-Grunge bem legal e até emocionante. Acontece que, no mesmo álbum, a banda tentou surfar na onda do Nu Metal enquanto ainda se prendia ao sucesso do Grunge e o resultado não foi bom.

Caindo em letras totalmente genéricas e instrumentais que parecem ter sido gerados por uma inteligência artificial bem ruim tentando copiar o Nirvana, o Puddle of Mudd é o resultado do cruzamento temporal entre o fim dos anos 90 e início dos anos 2000 da forma mais caricata possível.

Saliva – Every Six Seconds (2001)

Saliva - Every Six Seconds

Não dá pra discutir a popularidade de “Click Click Boom”, grande hit do Saliva. Mas dá, sim, pra discutir a qualidade: com uma tentativa de levar vocais do Rap para o seu Metal bem genérico, a banda conseguiu chegar às rádios justamente com uma letra que falava sobre… estar na sua rádio.

Talvez a banda mais próxima do Hard Rock nessa lista, o Saliva pelo menos tentou fazer algo diferente. Para a infelicidade de todos os envolvidos, nem o seu principal hit salva o disco Every Six Seconds.

Sugar Ray – Floored

Sugar Ray - Floored

A gente nem precisa falar nada. Basta olhar essa capa e dar o play na música abaixo e você vai entender.

(Mas podemos admitir que “Fly” tem seu valor…)

Tommy Lee – Never a Dull Moment (2002)

Tommy Lee - Never a Dull Moment

A síndrome de eterno jovem acompanha Tommy Lee há bastante tempo. Lá em 2002, o baterista do Mötley Crüe já dava sinais de que não estava disposto a se aquietar e simplesmente agir de acordo com a sua realidade, resolvendo lançar uma carreira solo com um disco de Nu Metal.

Never a Dull Moment é, para ser claro, um álbum genuinamente péssimo. Todas as músicas soam caricatas, e nem mesmo as baladinhas como “Hold Me Down” se salvam em meio a um registro que, felizmente, parece ter sido esquecido pela maioria das pessoas. A gente também queria esquecer…

Trapt – Trapt (2002)

Trapt - Trapt

Vamos ser sinceros aqui: “Headstrong” é uma baita música. Todo o resto que envolve o Trapt, entretanto, vai de mal a pior, a começar pelo líder da banda. Chris Taylor Brown se mostrou nos últimos anos um dos maiores babacas da indústria musical, rivalizando até mesmo com Kid Rock por esse título.

Musicalmente falando, o disco autointitulado de 2002 tem como pior defeito o sucesso do seu principal single, que abriu as portas para que essa banda tivesse uma carreira muito mais longa do que deveria graças ao flerte do Trapt com elementos mais Pop, que hoje em dia soam, na grande maioria, bem ultrapassados e mal feitos.

Ah, se pudéssemos voltar no tempo e deixá-los na irrelevância!

OUÇA AGORA MESMO A PLAYLIST TMDQA! METAL

Nu Metal, Metalcore, Heavy Metal, Thrash e muito mais: todo peso das guitarras aparece na Playlist TMDQA! Metal para você ouvir clássicos e conhecer novas bandas agora mesmo. Siga o TMDQA! no Spotify!