Lançamentos Nacionais: BAAPZ, André Medeiros Lanches, Brita e Valuá

BAAPZ, André Medeiros Lanches, Brita e Valuá. Conheça projetos nacionais com ótimos lançamentos e prontos para integrarem suas playlists!

BAAPZ
Imagem: Divulgação

A metalinguagem artística e tecnológica ganha centralidade em “Maré de Azar“, o mais novo videoclipe do músico e produtor mineiro BAAPZ.

Feito com uso de Inteligência Artificial, o vídeo dá vida a um protagonista que, enquanto divaga ideias sobre o universo e sua vida particular, tem sua humanidade tomada pela tecnologia que nos consome diariamente, em uma tour de force melancólica e divertida.

Sobre o debate proposto pela obra, o artista comenta:

A distinção do que é arte, o que é artesanato e o que é chorume é um debate de muitos parágrafos que valem dezenas de TCCs de bacharelado em áreas culturais. Um lado da discussão está repleto de críticos esnobes que leu um xerox de duas páginas do Gombrich e de outro lado um tiozinho reacionário que viu a manchete no zap e precisa dar a sua opinião. Mas agora parece ter surgido uma discussão em comum entre os dois grupos. Algo que gera dúvidas que só poderão ser respondidas com o tempo: qual o impacto da popularização da inteligência artificial no meio artístico?

O clipe foi uma colaboração do artista com a produtora audiovisual Filmes do Mato. O filme tem roteiro (e prompts) de Bruna Schelb, filmagens de Caio Dezidério, montagem de Luis Bocchino e animações de André Salles. A finalização é do próprio Pedro BAAPZ.

André Medeiros Lanches

André Medeiros Lanches
Foto por Caio Dezidério

Depois de sua estreia com “Chofer”, a banda mineira André Medeiros Lanches retorna com os singles “Fitônia” e ““. As canções farão parte do disco de estreia do quarteto formado por Stephanie Fernandes, Amélia do Carmo, André Medeiros e Victor Fonseca.

“Fitônia” elabora uma mistura única de elementos poéticos. A letra apresenta uma diversidade de elementos, resultando numa composição de peças variadas, como um divertido jogo de quebra-cabeças. “Pá”, por outro lado, se coloca como uma canção mais misteriosa. Sua letra fala sobre a dualidade do mundo em que vivemos e o que é possível respirar entre o vazio e o caos e como é sempre possível irmos em busca de um lugar seguro e familiar.

As faixas foram captadas ao vivo no estúdio Lá do Bê, em Juiz de Fora, com gravação de Alice Werneck e Bernardo Merhy (Varanda), e overdubs de voz em “Fitônia” por Pedro BAAPZ (BAAPZ / Mixirica Recs). A mixagem e produção ficou a cargo de André Medeiros, enquanto a masterização foi realizada por Lauiz Martins (Pelados).

Brita

Brita
Foto por Matheus Guanais

Intrínseco é o álbum de estreia da banda fluminense Brita. Em um mergulho profundo, o grupo transforma, por meio de versos sensoriais, o que é físico em metafísico para retratar, nas entrelinhas do cotidiano, uma busca por autoconhecimento e cura pela arte.

Segundo a vocalista e guitarrista Barbara Guanais, “o mar e suas simbologias são fontes de inspiração neste disco“:

[…] sua imensidão e movimento constante, ora revolto, ora manso, me faz pensar sobre as inconstâncias do viver. Busquei traduzir no som esses aspectos em canções fluidas que transitam nos tempos e ambiências.

O primeiro álbum da banda, que ainda conta com Daniel Duarte (bateria), Hugo Noguchi (baixo) e Victor Cardoso (guitarra), foi gravado no Estúdio Terra, em Búzios, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, com produção de Guanais e Duarte.

Valuá

Valuá
Foto: Reprodução / Capa do álbum “Não Tem Porque Dizer Adeus”

Formada por Rodrigo Reis (vocal), Gabriel Leite (bateria) e Carlo (guitarra), a banda carioca Valuá está divulgando Não Tem Porque Dizer Adeus, o seu segundo disco de estúdio.

Ao longo de suas 12 faixas, o registro explora temas como sensibilidade, desejo, afeto e as incertezas do amor. Com uma sonoridade pensada para os palcos, a novidade tem produções assinadas por LARINHX, Ana K, Joca, Ruxell, Carlos do Complexo, BAKA e Theo Zagrae.

Para ajudar a imersão do público, a Valuá produziu visualizers para todas as faixas de Não Tem Porque Dizer Adeus. Uma mistura de fotos e vídeos dirigida e fotografada por Arthur Staneck, Maitê Vasconcelos e Fass Bender consegue ditar o ritmo e a energia que o trabalho transmite. Os vídeos estão disponíveis no canal da Valuá no YouTube.