Marcão, ex-guitarrista do Charlie Brown Jr.
Reprodução/YouTube

Os ataques terroristas em Brasília no dia 8 de Janeiro seguem dando o que falar e, na ocasião, um músico que se pronunciou foi o guitarrista Marcão, do Charlie Brown Jr.

Ele fez inicialmente uma postagem com registros fotográficos do ato antidemocrático na capital federal que, aparentemente, infringiu alguma das regras do Instagram e acabou sendo deletada.

De acordo com comentários em uma nova publicação, feita justamente para explicar suas intenções no post anterior, Marcão havia selecionado um trecho da música “Eu Protesto”, lançada pelo CBJR como parte do disco Abalando a Sua Fábrica em 2001, e deu margem para o entendimento de um apoio à tentativa de golpe.

Acusando a plataforma de censura, o guitarrista se explicou em sua nova postagem:

Censura??? Que [merda] é essa? Apagaram meu post… qualquer um que me conhece ou sabe o que faço, sabe que nunca compactuei com nenhum político e muito menos com violência. Errado sim são essas pessoas que promoveram o quebra quebra ou atos terroristas, como quiserem chamar, e principalmente errado está a segurança dos prédios públicos que foi incompetente e permitiu que isso acontecesse, não se preparou para algo que na minha opinião era [iminente]. Só acho que o povo está cansado de tanta injustiça e opressão por tudo que já sofreu… Sou a favor da liberdade de expressão e não vejo nada de errado com o que postei, é que às vezes parece ser necessário desenhar para algumas pessoas que querem adivinhar o que você pensa. Errado é quem veio aqui na minha página me julgando e tirando conclusões apenas porque postei um fato que hoje ocorreu, com uma letra do CBJR que, apesar [de] não falar sobre terrorismo, fala sobre a opressão gerada pela política.

Acho engraçado os políticos se darem aumentos absurdos e com tudo pago… auxílio isso… auxílio aquilo… enquanto vemos a população ganhando uma migalha, um aumento vergonhoso no salário mínimo, os hospitais lotados, crianças morrendo com balas perdidas… e essa realidade me deixa muito triste… Sonho que um dia poderemos viver sem essa polarização, sem lado A e sem lado B, e sim todos unidos por um país melhor… não é tão difícil de entender isso… mas percebo que muitas pessoas precisam sempre encontrar algo pra bater, umas foram ao congresso, outras vieram na minha página. Não tenho político de estimação e nunca fui ajudado por nenhum deles, nunca me vendi pra nenhum e assim como todos vocês desejo o bem geral da nação… Não só para mim mas para as próximas gerações! #Paz❤️ Por um mundo com menos ódio e mais amor no coração ❤️❤️❤️

Marcão (Charlie Brown Jr.) fala sobre ataques terroristas em Brasília

Com um misto de apoio e críticas à sua atitude, Marcão chegou até a responder um outro comentário, onde um fã pediu um posicionamento mais claro do guitarrista com relação à sua opinião política, dizendo que “tem um jeito de não ser chamado de bolsonarista”, que é “se posicionar de forma clara contra o fascismo”.

O músico, então, escreveu:

Mano… Só um idiota pra achar que apoio o [fascismo]! O problema é que colocaram na cabeça da galera que se você não apoiar o Lula então você é bolsonarista e [fascista]… pelo amor de Deus… ninguém precisa se sentir na obrigação de apoiar político nenhum.

Você pode ver a postagem de Marcão, que ainda está no ar até o momento de publicação desta matéria, logo abaixo.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Marco Britto Cbjr (@marcaobritto)

I WANNA BE TOUR

Em poucos dias o Brasil receberá uma turnê incrível com gigantes do Emo e Rock Alternativo; garanta o seu ingresso por aqui!