Créditos: Lorena Dini

Giulia Be está vivendo um dos momentos mais significativos de sua carreira, como ela mesma descreveu em entrevista ao TMDQA!.

A jovem artista de 23 anos avisou aos fãs que nesta semana estaria aterrissando com seu primeiro álbum de estúdio, DISCO VOADOR, que inclui músicas inéditas e singles lançados anteriormente como “LOKKO”, “FBI” e “pessoa certa hora errada”.

O trabalho chega pouco menos de um mês após o lançamento do filme da Netflix Depois do Universo, em que Giulia fez sua estreia como atriz. O longa tem se consolidado como um verdadeiro fenômeno nacional e, em sua quarta semana no streaming, alcançou o quarto lugar entre os filmes de língua não-inglesa mais assistidos da plataforma.

Apesar das gravações do filme terem adiado o disco, a artista carioca acredita que tudo se alinhou para acontecer da forma que deveria.

Explorando uma estética alienígena e interplanetária, Giulia une influências da disco music dos anos 1970 e da Tropicália nas faixas de DISCO VOADOR que são dividas em três lados, como nos LPS: o lado A-LIEN que reúne músicas mais vibrantes, o lado B-E com composições mais humanas e sensíveis e também o Multiverso, que chega como um lado extra em que ela inclui músicas em espanhol e inglês.

Você pode conferir logo abaixo nossa conversa na íntegra com a Giulia Be, em que ela compartilha mais detalhes sobre o processo de criação do álbum, suas músicas e os planos da turnê do novo trabalho!

TMDQA! Entrevista Giulia Be

TMDQA!: Depois de tantos singles lançados e de ter consolidado uma base de fãs, qual é a sensação de estar lançando seu álbum de estreia?

Giulia Be: A criação deste álbum foi um processo bem longo, durante mais de um ano. Tive a oportunidade de experimentar diferentes estilos, sonoridades e referências. Foi realmente uma viagem entre diferentes universos que compõem toda a minha trajetória musical desde que eu comecei, então é muito gratificante para mim ver este projeto tomar forma, tendo um começo, meio e fim através de uma história que tem relação direta com a minha carreira e meu coração.

TMDQA!: Como foi o processo de criação das músicas e qual foi o maior desafio que você encontrou durante ele?

Giulia Be: Mais de sete faixas do DISCO VOADOR escrevi em parceria com o meu irmão Danyel. Foi um processo muito prazeroso, que fortaleceu nossa relação e tornou o projeto ainda mais pessoal, sendo composto na minha casa, com meu irmão, compartilhando as minhas histórias. Eu queria que toda a tracklist se conectasse em uma jornada e realmente foi uma montanha-russa de emoções para produzir cada uma delas, mas que, no final, o resultado foi um verdadeiro encontro comigo mesma. O maior desafio foi ter certeza de que a execução do projeto sairia da maneira que estava no meu cérebro, mas agora, com muito orgulho, lhe afirmo que conseguimos.

TMDQA!: Quais são as principais diferenças entre o lado A-LIEN e o lado B-E do disco?

Giulia Be: No “LADO A-LIEN”, são músicas mais vibrantes, que se conectam com atmosferas marcianas e retrofuturistas, em uma melodia mais disco club e os títulos em letras maiúsculas. Minha influência pelo tropicalismo veio da ideia de usar essas referências internacionais e de outras décadas, e ressignificá-las a partir da minha essência vinda da música brasileira.

Em seguida, o “LADO B-E” aterrissa o DISCO VOADOR no Brasil, com sonoridades mais familiares, acústicas, e vulneráveis, que exploram outras Giulias, em um lado humano e pessoal, e traz os títulos das faixas em letra minúscula. Também temos o “MULTIVERSO”, que chega como um lado extra, com músicas em espanhol e inglês, que representam mais uma faceta minha. Foram três faixas que entraram para a tracklist nos quarenta e cinco do segundo tempo, mas que não poderia deixar de fora uma identidade tão presente na minha carreira, que são os projetos em inglês e, principalmente, em espanhol. São faixas muito importantes para mim, que trazem na melodia e na letra referências bem importantes, fora que trabalhei com grandes produtores e compositores latinos nas faixas, como Cris Chil, Dallas K, e Caleb Calloway.

TMDQA!: Você explora diferentes sonoridades nas faixas do disco. Quais foram suas principais referências para este trabalho?

Giulia Be: As referências para esse projeto foram uma grande experiência sonora, de diferentes épocas, gêneros e estilos. Quero compartilhar com meu público essas influências, nomes que foram verdadeiros mestres nos anos 70 e 80, como Rita Lee, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa, e também internacionais como Earth, Wind & Fire e Barry Manilow.

TMDQA!: DISCO VOADOR segue uma estética muito específica relacionada a diferentes pontos do seu multiverso. Como surgiu a ideia de explorar esse lado do futurismo e dos astros?

Giulia Be: Eu me sinto conectada com o universo de uma maneira especial desde que nasci, numa sexta-feira 13 em agosto de 99. Acredito muito na relação da nossa vida com os astros, como eles realmente afetam nosso cotidiano e decisões, como a numerologia e também com forças místicas e de outros planetas, quem sabe. Todos os singles deste álbum foram lançados em datas específicas, em alguma referência alinhando com os astros. Tudo isso se uniu às minhas referências musicais, que vinham de um lugar retrofuturista, do disco de vinil, do disco club dos anos 70. A ideia deste álbum é realmente uma exploração sonora e espacial, a partir do DISCO VOADOR, que viaja por diferentes facetas da minha carreira, os diferentes multiversos.

TMDQA!: Você já tem planos para fazer uma turnê do DISCO VOADOR? Se sim, quando pretende começar?

Giulia Be: Com certeza, é uma das minhas maiores vontades agora com o lançamento do álbum. Já estou planejando muitas coisas sobre o projeto dos shows, porque quero que seja realmente uma viagem sonora e visual, como o álbum. Quero que o meu público embarque comigo em uma jornada espacial por uma noite, imerso entre esses os universos que compõem o DISCO VOADOR.

TMDQA!: Como está sendo esse momento pra você, que inclui o lançamento do seu primeiro disco e sua estreia como atriz em “Depois do Universo”?

Giulia Be: Como eu gosto de dizer, “DEPOIS DO UNIVERSO VEIO O DISCO VOADOR”, e não poderia ter sido num momento mais significativo para a minha carreira. Tivemos que adiar o álbum, que sairia ano passado, por conta das gravações do filme, e mais uma vez, Deus fez com que tudo se alinhasse. São dois lados da minha arte que se entrelaçam em uma trajetória super especial e muito transformadora para mim, ambas a estreia como atriz e o meu primeiro álbum, são passos muito importantes para a minha arte.

Ouça no player abaixo o novo disco de Giulia Be e confira o teaser de sua turnê!

TMDQA! SPOTLIGHT: assine a Newsletter oficial e gratuita do TMDQA! agora mesmo

Lançamentos da semana, Charts, textos exclusivos e muito mais: assine agora mesmo clicando aqui ou inserindo seu e-mail na caixa abaixo.

Compartilhar