Heitor Gomes, baixista do Charlie Brown Jr.
Foto: Divulgação

Em uma participação no Canal Amplifica, podcast dos Estúdios Flow apresentado por Rafael Bittencourt (Angra), o baixista Heitor Gomes revelou uma história curiosa sobre a “reforma” de integrantes que o Charlie Brown Jr. viveu em 2005.

Como muitos já sabem, após o lançamento de Tamo Aí na Atividade (2004), alguns desentendimentos vieram a público, com Chorão fazendo declarações desencontradas nos shows sobre como “tudo aquilo podia acabar amanhã”.

Até que, em abril de 2005, o baixista Champignon, o guitarrista Marcão Britto e o baterista Ricardo Pelado anunciaram que estavam de saída.

Inicialmente, os integrantes alegaram “divergências profissionais e contratuais”. Depois, em uma entrevista, Champignon explicou que essas diferenças não foram musicais e criticou o empresariamento da banda.

Chorão, decidido a seguir em frente com o grupo, convocou então Heitor Gomes, Thiago Castano e Pinguim, que depois seria substituído por Graveto, para continuar fazendo música sob o nome do Charlie Brown Jr., mas até agora essa é a história que todos nós já sabemos.

Seleção dos novos integrantes foi misteriosa

Acontece que, no Canal Amplifica, Heitor deu detalhes de como foi convidado para a banda. Inclusive, na verdade, ele não foi! No início, como contou, pensou que faria apenas uma turnê da carreira solo de Chorão:

Teve um convite de um ‘brother’ de Santos que tinha um projeto autoral também. Aí eu fui só pra gravar o trecho de baixo que ele precisava, e depois a gente veria se seguiria adiante. Foi quando eu conheci o Rick Bonadio. Mas aí me ligou o produtor executivo do Charlie Brown na época, que hoje é empresário do CPM 22, inclusive. Eu falei que já tinha um compromisso e ele disse, ‘Não, esquece! Amanhã você tem um teste com o Chorão às 14 horas’.

Heitor, que também tocou no CPM 22 entre 2011 e 2016, lembrou o momento em que Chorão fez a grande revelação:

O papo era ‘projeto Chorão Tour 2005’. Mas só eu tava acreditando nessa ideia, os caras já deviam saber que haveria uma reviravolta no Charlie Brown. Eu fiz o teste ainda achando que era Tour Chorão. Até que um mês depois veio essa novidade, o Chorão juntou a gente no estúdio e falou, ‘Olha, a gente está se separando, e vocês vão ser o Charlie Brown Jr. daqui pra frente’.

Champignon e Marcão voltariam para o Charlie Brown Jr. em 2011, anunciando que a amizade deles com Chorão estava mais forte do que nunca. Eles ainda lançariam juntos o DVD Música Popular Caiçara (2012) e o álbum La Familia 013 (2013).

Você pode conferir a fala de Heitor na íntegra abaixo ou clicando aqui!

LEIA TAMBÉM: Charlie Brown Jr.: um ranking do pior ao melhor disco

Heitor Gomes no podcast Canal Amplifica

 

View this post on Instagram

 

A post shared by AMPLIFICA (@canalamplifica)

AMAZON MUSIC UNLIMITED

Você pode ouvir esse e outros artistas no Amazon Music Unlimited. Clicando aqui, você ganha 3 meses para curtir o app de graça!