Xuxa em
Reprodução/YouTube

Quem cresceu junto com a Xuxa certamente já ouviu o grande hit “Ilariê” e, claro, todas as teorias da conspiração que vêm junto com ele.

A cantora infantil já foi acusada de inúmeras coisas, desde mensagens subliminares até pactos com o diabo, e “Ilariê” muitas vezes aparece no centro dessas acusações em grande parte por conta do neologismo que dá nome à música. A palavra foi inventada por Cid Guerreiro, compositor da faixa, que recentemente finalmente falou sobre ela.

Em entrevista ao Splash, o músico que se converteu à religião evangélica há 17 anos, falou que foi justamente um pastor evangélico quem começou a espalhar os rumores sobre um suposto pacto de Xuxa com o diabo:

O boato surgiu dentro da igreja evangélica. Falavam que era um ex-bruxo que virou pastor e espalhava que ‘Ilariê’ tinha a ver com ‘erê’, as crianças do candomblé, que a Igreja considera como pequenos demônios. Inventaram que era uma palavra de um dialeto africano, sendo que fui eu que inventei. Esse cara dizia que eu fiz o pacto e entreguei a música para a Xuxa. Ela era o alvo.

Ainda no mesmo papo, Cid finalmente revelou de onde surgiu e o que significa o termo “ilariê” — e a verdade, como muitas vezes é o caso, acaba sendo bem menos empolgante do que toda a ficção criada por trás:

A Xuxa é uma pessoa animada, feliz, alto astral, sempre para cima. Ela é hilária. Criei o refrão pensando nisso. Na música da Bahia, temos muito forte isso do refrão com ‘iê iê’, ‘uô uô’. ‘Ilariê’ vem disso. Eu precisava de um refrão forte e, na época, tinha uma música de sucesso chamada ‘Dança do Bambolê’. Fiz para rimar.

Faz todo sentido, né?

LEIA TAMBÉM: Intolerância religiosa: mulher perde um olho após facada de vizinho que se incomodou com “música de macumba”

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar