Avril Lavigne e os 20 anos de Let Go
Arista Records

Quem viveu o início dos anos 2000 e diz nunca ter tido uma “fase Avril Lavigne” na vida muito provavelmente está mentindo. A cantora, além de ter sido muito representativa no cenário do pop punk para as mulheres, trazendo mais visibilidade para bandas e artistas solo femininas, também conseguiu inserir a cena canadense no mainstream da MTV na época.

No último sábado, 4 de junho de 2022, o seu álbum de estreia Let Go completa oficialmente 20 anos desde o seu lançamento. Avril tinha apenas 17 anos quando o trabalho foi lançado e impressionou o mundo.

Avril Lavigne

Tudo começou em 2000, quando um representante da Arista Records levou o chefão Antonio “LA” Reid para conhecer Lavigne e ouvi-la cantar. Foram apenas 15 minutos necessários para que ele estivesse totalmente entregue ao talento da jovem. Imediatamente, as partes assinaram um contrato no valor de US$1,25 milhão, incluindo o lançamento de dois álbuns.

A estética de skatista e “garota rebelde” já vinha no pacote, visto que Lavigne descobriu que se encaixava nesse grupo de sua cidade natal. Saindo da escola, ela decidiu focar 100% em sua carreira musical: “Foi o meu sonho durante toda a minha vida”.

Desde muito jovem, ela assinava suas próprias músicas e foi assim que nasceram os primeiros sucessos “Losing Grip” e “Unwanted”, consideradas pela própria cantora como as mais reflexivas de todo o trabalho.

Continua após o vídeo

A gravadora, no entanto, não se entusiasmava tanto com o fato de Lavigne trazer tantas guitarras para suas faixas, o que fez com que novos produtores fossem recrutados para andar lado a lado com a proposta da cantora.

Foram dois anos de produção, composição e muitas reflexões para que Let Go de fato nascesse em 2002.

Quando “Complicated” surgiu, Lavigne via-se um pouco perdida em seu processo criativo e, portanto, foi necessário conversar com um trio popularmente chamado de “the Matrix” — composto por Lauren Christy, Scott Spock e Graham Edwards. Avril mal sabia, mas esse seria o time que daria vida não somente a “Complicated”, como também “Sk8r Boi” e “I’m With You”.

Continua após o vídeo

O nascimento de Let Go

Originalmente programado para se chamar “Anything But Ordinary”, o pedido para se chamar “Let Go” veio diretamente de Lavigne, que conversou com o dono da gravadora e contou o carinho que sentia por aquele trabalho. A confiança do selo com a cantora era tão alta que Reid a deu carta branca para compor 10 faixas com o trio “the Matrix”.

A produção, no entanto, foi um pouco tumultuada: Avril tivera vários conflitos criativos com os produtores e compositores Curt Frasca e Peter Zizzo. Eles eram donos do estúdio em que a cantora gravou algumas faixas para o álbum de estreia mas, durante todo o processo de nascimento do disco, Avril chegou a não se identificar com como as coisas estavam andando.

Continua após o vídeo

Quando Let Go finalmente ficou pronto, era hora de escolher um single para promover o trabalho e apresentar a cantora ao mundo. Mais uma vez, Avril tinha muita confiança em suas próprias ideias, mas a gravadora insistia para que “Complicated” fosse o primeiro single. Ela, por sua vez, tinha um carinho enorme por “Losing Grip”.

“Complicated” e o sucesso estrondoso de Avril Lavigne

“Complicated” foi quem de fato venceu a “briga” de singles e, felizmente, deu todo o sucesso que Avril precisava para se apresentar ao público. Enfim as pessoas conheciam quem era a skatista rebelde Avril Lavigne, e notavam também que sua música poderia ser consumida por pessoas de todas as faixas etárias e gêneros, sem limitação de audiência.

O videoclipe é um marco até hoje, e mostra Avril cantando numa pista de skate com sua banda, enquanto, em paralelo, passeia pelo shopping com um grupo de amigos. A música liderou as paradas de vários países e chegou a ser indicada ao Grammy de Canção do Ano, além de Melhor Performance Vocal Pop Feminina.

Continua após o vídeo

“Sk8er Boi” foi lançada logo em seguida, flertando muito mais com o lado pop punk da cantora. A disponibilização foi meio polêmica, visto que muitos diretores de rádio tiveram desacordos para tocar a canção. A “rotação” do single, contudo, foi bem sucedida e alcançou a posição 1 entre as mais pedidas nas rádios norte-americanas.

Por fim, “I’m With You” foi lançada em novembro, bem perto do Natal. Foi outro sucesso estrondoso para Lavigne e alcançou a posição nº 4 na Billboard Hot 100, além de liderar as paradas no Reino Unido e Canadá. A canção também marcou outra indicação de Lavigne no Grammy, nas mesmas categorias de “Complicated”.

Continua após o tweet

A favorita de Lavigne, “Losing Grip”, veio logo em seguida justamente para apresentar ao público o que seria seu próximo disco de trabalho, Under My Skin.

Depois do disco, a estrada

O álbum foi lançado em 4 de junho de 2002, no Canadá e nos Estados Unidos. Em julho, as cópias físicas começaram a chegar em partes da Europa e Reino Unido. Para promover a cantora e, é claro, o trabalho, Lavigne passou a apresentar-se em diversos shows ao lado de artistas gigantes na época, cujo público podia conversar com a proposta que ela trazia em suas músicas.

Ao todo, Let Go acumula uma nota 68 de 100 no Metacritic, sendo um verdadeiro sucesso entre os especialistas na época — ainda mais considerando todo o preconceito que estava envolvido não só na cena pop punk, mas especialmente com uma mulher fazendo isso. De modo geral, entretanto, os elogios vieram para o potencial vocal de Lavigne, além da facilidade da cantora de viajar por diversos estilos musicais ao longo do trabalho.

Nas vendas, Let Go foi bem sucedido comercialmente nos Estados Unidos, com a Entertainment Weekly o considerando um dos maiores álbuns de estreia pop do ano de 2002. O trabalho estreou na Billboard 200 na posição 8, vendendo 62 mil cópias inicialmente. A ajuda veio também da MTV, visto que o canal impulsionou a divulgação com a exibição do clipe de “Complicated”.

Sua primeira turnê, iniciada em janeiro de 2003, se chamava “Try to Shut Me Up Tour” — “Turnê Tente Calar a Minha Boca”. Lavigne tocou todas as canções de seu disco e ainda apresentou covers de “Basket Case”, do Green Day, e “Knockin’ on Heaven’s Door”, de Bob Dylan. Entre esses shows, ela chegou a gravar a apresentação em Buffalo, Nova York, para lançar como DVD mais tarde naquele ano.

Avril Lavigne comemora 20 anos de Let Go

Completando duas décadas neste sábado (4), Avril Lavigne relançou Let Go para celebrar a história de seu primeiro disco de estúdio. O disco traz a tradicional e icônica fotografia da cantora de capa, só que dessa vez com uma tonalidade vermelha sobrepondo o caos urbano por trás dela.

Nas faixas extras e comemorativas, Lavigne lançou sua versão de “Breakaway”, composta para Kelly Clarkson, e também as canções “Falling Down”, “I Don’t Give” e “Make Up”, que já eram conhecidas pelo público mas não faziam parte do álbum. O trabalhou chegou às plataformas digitais na última sexta-feira (3).

Embarque no túnel da nostalgia e ouça abaixo a nova versão de Let Go!

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar