Foo Fighters, Björk e Radiohead

O ano de 1997 foi bastante produtivo para a música, em uma época onde Pop e Rock disputavam as principais posições das paradas e o gosto da molecada.

O final dos Anos 90 nos trouxe bandas e artistas estreando, gigantes lançando obras marcantes e alguns dos melhores discos de todos os tempos sendo disponibilizados ao mundo.

Tudo isso em uma era onde nem pensávamos em smartphones, rede sociais e muito menos vídeos curtos, pois isso tudo aconteceu há nada mais, nada menos do que 25 anos.

Agora, nós viemos relembrar alguns dos grandes álbuns lançados há um quarto de século. Divirta-se com a lista a seguir!

Foo Fighters – The Colour And The Shape

Apesar desse ter sido o segundo disco da carreira do Foo Fighters, The Colour And The Shape foi o primeiro oficialmente como um grupo, já que o trabalho anterior foi inteiramente gravado por Dave Grohl.

O processo criativo passou por diversas alterações, pois o vocalista foi regravando algumas faixas já que não estava satisfeito com as baterias do então integrante William Goldsmith. Após o lançamento do álbum, Taylor Hawkins começou a tocar com o grupo na turnê de divulgação, e passou a ser integrante fixo dos Foos até sua trágica morte em Março de 2022.

Os singles “Monkey Wrench”, “Everlong” e “My Hero” atingiram o Top 10 da Billboard, além de terem um desempenho bastante satisfatório em diversos países. Apenas nos Estados Unidos, o álbum vendeu mais de 2 milhões de cópias, sendo o de maior sucesso comercial deles na terra do tio Sam.

 

Charlie Brown Jr – Transpiração Contínua Prolongada

Em 1997 os caras do Charlie Brown Jr invadiram a cidade e lançaram seu disco de estreia, que logo fez a banda estourar pelo país.

Com produção de Rick Bonadio, Transpiração Contínua Prolongada é uma verdadeira máquina de hits, tendo em seu repertório “O Coro Vai Comê!”, “Proibida Pra Mim”, “Quinta-Feira” e “Tudo Que Ela Gosta De Escutar”.

O álbum teve 250 mil cópias vendidas na época e chegou a ser relançado em 2013, após a morte do vocalista Chorão. Vinte anos depois, o disco ultrapassou as 500 mil cópias vendidas e segue fazendo muito barulho e influenciando muita gente.

 

Radiohead – OK Computer

OK Computer é o terceiro disco de estúdio do Radiohead, e o primeiro que foi produzido pelo próprio grupo. Aclamado pela crítica, o material presente no álbum fez com que ele fosse se tornando um dos mais influentes de todos os tempos.

Com vendas de aproximadamente 4,5 milhões de unidades, tem em seu repertório singles como “Paranoid Android”, “Karma Police”, “Lucky” e “No Surprises”.

 

 

Raimundos – Lapadas Do Povo

Em Outubro de 1997, o Raimundos lançava seu quarto disco de estúdio, Lapadas Do Povo. Gravado no estúdio Sound City em Los Angeles, o material é marcado por trazer uma sonoridade mais abrangente e pesada em relação aos trabalhos anteriores da banda.

Nele os caras começaram a abordar mais temas sociais em suas letras, como é mostrado, por exemplo, em “Baile Funky”. O álbum também conta com a regravação de “Oliver’s Army”, de Elvis Costello, e a versão em português de “Ramona”, dos Ramones, que ganhou o nome de “Pequena Raimunda”.

 

Green Day – Nimrod

Green Day - Nimrod

Nimrod foi responsável por trazer a revitalização do Green Day após seu álbum anterior, Insomniac. O disco mostra também uma maior variação de estilos no grupo, como folk, surf rock e ska. Um dos destaques é a faixa “Take Back”, em que Billie Joe utiliza vocais em estilo death metal durante seu refrão.

Apesar de comercialmente não obter o mesmo desempenho de seus antecessores, principalmente de Dookie, o álbum se tornou um verdadeiro sucesso de crítica. Um dos maiores sucessos da banda, “Good Riddance (Time Of Your Life)”, faz parte do material.

 

Silverchair – Freak Show

Após o sucesso de seu disco de estreia, os caras do Silverchair lançaram o seu segundo disco, intitulado Freak Show. Tendo em seu repertório hits como “Freak” e “Abuse Me”, o álbum trouxe novos experimentos ao grupo, porém ainda com uma forte influência do grunge.

Uma curiosidade em relação à obra é que as primeiras unidades prensadas em vinil incluíam também a versão inicial da faixa “Anthem For The Year 2000”, que entrou no disco seguinte do grupo. Inicialmente, ela se chamava “The Millennium Bug”, ou “O Bug do Milênio”.

 

The Offspring – Ixnay On The Hombre

A banda californiana The Offspring lançou seu quarto disco de inéditas três anos depois de seu material anterior. Com os hits “All I Want” e “Gone Away”, o álbum foi bem recebido pela crítica, apesar de na época ter sido considerado um sucesso moderado.

Ixnay obteve certificado de platina nos Estados Unidos e vendeu 3 milhões de cópias em todo o mundo.

Esse foi o primeiro disco da banda pela Columbia Records, o que significou a estreia do grupo por uma gravadora grande após lançamentos pela independente Epitaph.

A relação da banda com a gravadora de origem, inclusive, ficou estremecida durante essa época porque o dono da Epitaph e também guitarrista do Bad Religion, Brett Gurewitz, fez de tudo para conseguir vender os direitos do álbum anterior, Smash, para um grande selo, bem como “forçou” a ida dos caras para uma major.

 

Hanson – Middle Of Nowhere

O trio de irmãos do Hanson conquistou o mundo em 1997 ao lançar o seu álbum de estreia.

Com o mega hit “MMMBop”, eles conseguiram chegar ao topo das paradas musicais de diversos países.

Middle Of Nowhere atingiu a marca de 10 milhões de cópias mundialmente, ficando em primeiro lugar de discos mais vendidos durante muito tempo.

 

David Bowie – Earthling

Esse foi o vigésimo álbum de estúdio de David Bowie, que saiu no dia 03 de Fevereiro de 1997. Earthling mostra uma sonoridade influenciada pela música eletrônica, e foi o primeiro trabalho produzido pelo próprio cantor desde Diamond Dogs, lançado em 1974. Entre as músicas que embalaram o material está “I’m Afraid Of Americans”, uma parceria com Brian Eno e Nine Inch Nails.

O álbum não teve desempenho comercial satisfatório, mas foi muito bem visto pela crítica. Pouco tempo após o lançamento do material, Bowie ganhou uma estrela na Calçada da Fama.

 

Björk – Homogenic

Björk - Homogenic

O terceiro disco de estúdio da artista islandesa Björk é uma verdadeira obra de arte.

Aqui, a cantora encontrou um equilíbrio magistral de elementos orgânicos e eletrônicos, apresentando composições inspiradas e novos níveis de arte audiovisual à medida que desenvolvia sua carreira para públicos globais.

Mesmo tendo passado por períodos tensos, como o ataque de um stalker, Björk parece ter se inspirado na sua terra natal, a Islândia, e em influências de nomes clássicos para criar 10 faixas que redefiniriam a música nos anos seguintes.

Além da música, a artista ainda convidou nomes como Michel Gondry (“Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças”, Daft Punk, Foo Fighters, Radiohead, The White Stripes) para dirigir o clipe do primeiro single, “Jóga”.

 

Blur – Blur

Em um momento em que o britpop estava em alta na cena musical, os caras do Blur lançavam seu álbum homônimo, o quinto da carreira. O material tem em seu repertório o mega hit “Song 2”, e foi extremamente bem recebido pela crítica. Nele também há a faixa “M.O.R.”, um tributo a parcerias entre David Bowie e Brian Eno.

O disco vendeu mais de dois milhões de cópias ao redor do mundo, adquirindo certificado de platina por toda a Europa, Reino Unido, Canadá e Japão.

 

U2 – Pop

Em 1997 o U2 decidiu se reinventar ao lançar seu nono álbum. Pop tinha influências de rock alternativo, com techno, dance e música eletrônica. O disco foi a continuação de uma reinvenção que a banda vinha passando no decorrer dos anos 90 com Achtung Baby e Zooropa.

Apesar de não ter sido tão bem visto pelo público, seu primeiro single, “Discothèque”, atingiu o topo das paradas musicais de 35 países. Sem contar que a turnê de divulgação do álbum trouxe os caras ao Brasil pela primeira vez, em 1998.

 

Aerosmith – Nine Lives

Após quinze anos, os caras do Aerosmith fizeram de Nine Lives o primeiro disco de inéditas pela gravadora Columbia Records desde Rock In A Hard Place. Esse com certeza foi um dos álbuns de maior sucesso da banda, devido a seu incrível desempenho nas paradas musicais com uma máquina de singles.

O disco estreou no topo da Billboard e contou com os sucessos “Hole In My Soul”, “Full Circle” e “Pink”, que rendeu um Grammy ao grupo. Além de ter vencido uma das categorias na premiação musical, Nine Lives recebeu outra indicação, como “Melhor Álbum De Rock”.

 

Titãs – Acústico MTV

Gravado em Março de 1997 para celebrar os 15 anos de carreira da banda, o Acústico MTV Titãs se tornou um dos discos mais importantes do rock brasileiro. Seu sucesso foi estrondoso, vendendo cerca de 1,7 milhões de cópias.

O material conta com diversos sucessos do Titãs em novos arranjos e com participações especiais do argentino Fito Páez, do jamaicano Jimmy Cliff, além dos brasileiros Marisa Monte e Arnaldo Antunes, ex-integrante do grupo.

 

INXS – Elegantly Wasted

Em Abril de 1997, os australianos do INXS lançavam seu décimo trabalho de estúdio, o qual viria a ser o último com o vocalista Michael Hutchence, encontrado morto em Novembro daquele ano em Sidney.

 

The Verve – Urban Hymns

The Verve - Urban Hymns

O terceiro disco de estúdio da banda britânica The Verve é considerado um dos melhores dos Anos 90 e amplamente celebrado pela crítica.

Como se não bastasse tudo isso, ainda começa logo de cara com o hino “Bitter Sweet Symphony”, uma canção que não apenas virou o cartão de visitas da banda como marcou a sonoridade do final dos Anos 90 para sempre.

A canção foi eleita como a terceira melhor do Britpop em todos os tempos, ficando atrás de “Common People” do Pulp e “Don’t Look Back In Anger” do Oasis.

 

blink-182 – Dude Ranch

O segundo álbum de inéditas do blink-182 tornou-se um verdadeiro divisor de águas na carreira da banda. Além de ser o último lançamento deles através de uma gravadora independente, foi o último trabalho com a participação do baterista Scott Raynor, que foi dispensado da banda no ano seguinte e deu lugar ao icônico Travis Barker.

O single “Dammit” se tornou responsável em fazer o grupo ser reconhecido na cena mainstream e chamou a atenção das grandes gravadoras.

 

Oasis – Be Here Now

Com o sucesso de seus dois primeiros álbuns, o Oasis não decepcionou em seu terceiro trabalho. Com uma estratégia de divulgação bastante eficiente, Be Here Now vendeu 424 mil cópias apenas em seu primeiro dia, e se tornou o primeiro disco na lista dos que venderam mais rápido em toda história britânica.

O álbum estreou no topo das paradas em diversos países, e possui mais de 12 milhões de cópias vendidas. “Stand By Me” e “Don’t Go Away” são alguns dos sucessos extraídos do material.

Mesmo com todo esse sucesso, o disco sempre recebeu opiniões mistas a seu respeito, com muita gente celebrando os singles mas criticando a longa duração do álbum, por exemplo. A própria banda já chegou a dizer que esse é um dos piores álbuns do grupo e a destacar que eles viviam um momento interno terrível quando gravaram as canções.

Independente disso, Be Here Now chegou a ser considerado pela Q Magazine em 1998 o décimo terceiro melhor disco da história.

 

The Prodigy – The Fat Of The Land

Em 1997 o grupo The Prodigy lançava o seu terceiro e mais famoso disco da carreira.

The Fat Of The Land teve mais de 10 milhões de cópias vendidas mundialmente, sendo aclamado rapidamente por público e crítica.

O álbum faz parte de diversos rankings de sucesso até hoje, através de listas elaboradas pela mídia. Os singles “Firestarter”, “Breathe” e “Smack My Bitch Up” se tornaram fenômenos nas paradas musicais, entrando também em trilhas sonoras de filmes posteriormente.

 

Wu-Tang Clan – Wu-Tang Forever

Wu-Tang Clan - Wu-Tang Forever

O segundo disco do aclamado grupo de Hip Hop Wu-Tang Clan é um álbum duplo e conta com diversas participações de nomes ligados ao coletivo, como Cappadonna, Streetlife, 4th Disciple e mais.

Contra tudo e contra todos, o Wu-Tang Clan não cedeu às pressões da indústria para adequar suas canções a formatos das rádios e da MTV, tanto que o primeiro single do álbum, “Triumph”, tem quase seis minutos de duração e não tem refrão.

Ainda assim, o grupo chegou ao topo da Billboard vendendo 612 mil cópias do álbum na primeira semana de lançamento.

 

Missy Elliott – Supa Dupa Fly

Missy Elliott - Supa Dupa Fly

Em 1997, Missy Elliott estreou com seu primeiro álbum e a rapper logo foi aclamada como uma verdadeira gigante do Hip Hop.

Supa Dupa Fly está no Top 100 da lista de 500 Melhores Discos de Todos os Tempos da Rolling Stone e além de ter sido produzido pelo gigante Timbaland, ainda conta com nomes como Busta Rhymes, Lil’ Kim e Aaliyah.

No álbum, Missy Elliott mostra força, talento e rimas afiadíssimas para falar sobre questões que vão do social até sua vida pessoal, costurando tudo isso de forma incrível com elementos de R&B, Soul e até mesmo da música eletrônica.

Um clássico!

 

Sleater-Kinney – Dig Me Out

Sleater-Kinney - Dig Me Out

O terceiro disco de estúdio da banda norte-americana Sleater-Kinney é um dos mais influentes do rock alternativo nos Anos 90.

Misturando elementos de Punk Rock e Indie, as incríveis Carrie Brownstein, Corin Tucker e Janet Weiss colocaram verdadeiras pérolas no mundo ao mesmo tempo em que mostraram a força das guitarras acompanhadas de vozes femininas bastante fortes.

Celebrado pela crítica, o disco entrou em diversas listas de Melhores do Ano em 1997 e aparece no livro “1000 Discos Que Você Tem Que Ouvir Antes de Morrer”.

 

Spice Girls – Spiceworld

A girlband britânica lançava no final de 1997 o seu segundo álbum. Spiceworld se tornou um verdadeiro fenômeno, liderando a parada de discos em 13 países. O material vendeu mais de 20 milhões de cópias mundialmente, e um dos maiores sucessos extraídos dele foi seu primeiro single, “Spice Up Your Life”.

Esse foi o último trabalho de inéditas das Spice Girls como quinteto, já que no auge da divulgação do disco no ano seguinte, Geri Halliwell anunciou sua saída do grupo.

 

Shania Twain – Come On Over

Outro álbum que completa vinte e cinco anos de vida em 2022 é Come On Over, da canadense Shania Twain. Seu sucesso foi tão estrondoso que acabou se tornando o disco por uma artista mulher mais vendido da história da música, com um total de 40 milhões de cópias.

O disco também rendeu prêmios Grammy à cantora, além de permanecer entre os dez mais da parada country da Billboard durante 151 semanas não consecutivas. Come On Over também ficou no Top 10 da parada principal no período de 54 semanas, vindo a perder tal recorde apenas mais de dez anos depois para Taylor Swift.

Entre as músicas que fazem parte do repertório estão “You’re Still The One”, “Man! I Feel Like Woman” e “From This Moment On”.

 

Backstreet Boys – Backstreet’s Back

Backstreet Boys - Backstreets Back

Após o estrondoso sucesso do disco de estreia da boy band Backstreet Boys em 1996, a gravadora do grupo não esperou muito tempo até lançar seu sucessor no ano seguinte.

Com novos hinos compostos pelos gigantes suecos Max Martin e Denniz Pop, a banda emplacou verdadeiros clássicos do pop como “Everybody (Backstreet’s Back)” e “As Long As You Love Me”.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar