Banda formada entre a Argentina e o Brasil, Mandale Mecha celebra suas múltiplas raízes em Maracuyá-Azedo. Esta é a primeira parte de um álbum duplo – seu segundo de estúdio – somando 20 faixas, que o grupo prepara ainda para este ano.

O lado A será seguido pelo lado B, Maracuyá-Doce, previsto para setembro. O resultado é uma obra plural e sem amarras, em que Mandale Mecha abraça a festa com ritmos dançantes, porém sem abrir mão de letras empoderadoras, que cantam a libertação dos corpos femininos.

“A fruta e a flor do maracujá (maracuyá em espanhol) representam muito bem o conceito desse novo trabalho. Colocando em harmonia o doce e o azedo nas composições e sonoridade, o disco é um convite à ‘fruta da paixão’, afrodisíaca, azeda e ao mesmo tempo calmante, charmosa e tropical que te transportará para qualquer praia do Brasil num piscar de olhos”, resume o grupo.

O disco vem para celebrar o ótimo momento de Mandale Mecha, uma banda improvável que desafia fronteiras – tanto de gêneros musicais, quanto geográficas. O grupo é formado pela cantora argentina radicada em Florianópolis Michu Mendez (Petit Mort, Muñoz, Menage) e pelos músicos Chico Abreu (Skrotes, Los Desterros, Carolino), Juliano Parreira e Gustavo Koshikumo (ambos do ATR, AQUAmono e Deep Leaks).

Esta nova fase vem numa sequência de muitos lançamentos para a banda, que começou na pandemia e, neste meio tempo, já chegou à trilha sonora do sucesso mundial da Netflix, a série espanhola “Valéria”, com a faixa “Papi”.

Confira o novo disco e vídeos abaixo!

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!