Kendrick Lamar em Londres, 2016
Foto de Kendrick Lamar via Shutterstock

Com o lançamento de “The Heart Part 5”, Kendrick Lamar se tornou um dos assuntos mais comentados de todo o planeta. O rapper entregou tudo e mais um pouco que os fãs esperavam na nova música, primeira prévia do disco Mr. Morale & The Big Steppers, e a gente detalhou por aqui as referências e inspirações do músico por trás da faixa.

Apesar do sample de Marvin Gaye ser uma excelente escolha e do flow de Kendrick ser fundamental para o sucesso da canção, o grande segredo de “The Heart Part 5” é a sua letra emblemática e cheia de trechos impactantes.

Por isso, resolvemos separar os 5 momentos mais fodas dessa música e vamos detalhá-los logo a seguir! Aproveite e veja esse baita clipe novamente ao final da matéria.

“As I get a lil’ older / I realize life is perspective / And my perspective may differ from yours”

Aqui, Kendrick discorre sobre as divergências que encontrou quanto às suas opiniões durante toda sua carreira. O verso que introduz a música se traduz para “Conforme fico um pouco mais velho / Eu percebo que a vida é sobre perspectiva / E a minha perspectiva pode ser diferente da sua”, mostrando que o rapper está disposto a dialogar e não tratar a sua perspectiva como verdade absoluta.

“In the land where hurt people hurt more people / Fuck calling it culture”

O trecho, cantado no clipe enquanto Kendrick está com o rosto de Will Smith, se traduz para algo como “Na terra em que pessoas machucadas machucam mais pessoas / Vá a merda com chamar isso de cultura”; em suma, Kendrick pede o fim de um ciclo de violência e vingança, usando o tapa de Will como um exemplo de alguém que sofreu um ataque (a piada com sua esposa) e rebateu na mesma moeda (o tapa) ao invés de reagir com empatia.

“‘Cause you can’t help the world until you help yourself / And I can’t blame the hood the day that I was killed”

Aqui, Kendrick Lamar versa sob a perspectiva de Nipsey Hussle no final da música, usando-o como exemplo para levar sua mensagem: “Porque você não pode ajudar o mundo antes de se ajudar / E eu não posso culpar o bairro no dia em que fui morto”.

Ao falar como Nipsey, de quem sempre se declarou admirador, Kendrick reafirma o perdão e a empatia como os pontos centrais para uma evolução que pode finalmente trazer mudanças.

“I come from a generation of pain, where murder is minor / […] / Desensitized, I vandalized pain / Covered up and camouflaged”

Relembrando o fato de que cresceu rodeado por violência, Lamar traz no trecho em questão uma espécie de desabafo sobre a normalização do assassinato e como ele, assim como muitos outros, lutou contra o fato de que possuía essa sensibilidade de não tratar a vida como algo banal: “Eu venho de uma geração de dor, onde o assassinato é coisa pouca / […] / Dessensibilizado, eu vandalizei a dor / A escondi e camuflei”.

“Analyze, risk your life, take the charge / Homies done fucked your baby mama once you hit the yard, that’s culture”

Um dos temas centrais de “The Heart Part 5” é a indignação com o que é considerando “cultura” para a Black America. A normalização das gangues, por exemplo, é abordada nesse verso que aponta para o fato de que as relações construídas nelas não são verdadeiras, são apenas oportunas.

Para isso, usa o termo “take the charge” fazendo uma metáfora com o basquete, onde “charge” é uma jogada em que o atleta da defesa coloca seu corpo em risco para tomar uma carga do atleta de ataque e causar uma falta deste, ou seja, uma espécie de “sacrifício pelo time”: “Analise, arrisque sua vida, ‘take the charge’ / Os manos foderam a mãe do seu bebê assim que você entrou em cana, isso é a cultura”.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar