Tília

A cantora Tília irá lançar seu primeiro disco de estúdio, 2003, no próximo dia 10 de maio.

Um projeto ousado que contará com cinco faixas inéditas e oito no total, o álbum terá participações de peso como Kevin O Chris, Dennis, OIK e Hyperaranhas.

Imersa no estilo desde muito jovem por causa dos seus laços familiares (Tília é filha de Dennis DJ), a artista falou ao TMDQA! com exclusividade sobre o projeto e também fez um faixa a faixa de cada uma das canções.

Ao explicar o disco, cujo nome retrata seu ano de nascimento, ela afirmou:

O meu álbum traz referências do pop, do funk e do trap, porque são os gêneros que me identifico como artista. Apesar disso, eu me considero uma cantora pop e para lançar uma faixa com bastante referência de outro gênero, eu penso sempre em convidar alguém.

Tília – Faixa a Faixa de 2003

Em “Tô Pronta”, as Hyperanhas participaram trazendo o trap. As meninas foram super atenciosas, eu amei o jeito que rolou a faixa. É aquela música que quando a gente começou a compor a minha parte eu falei: ‘gente, tem que ser elas’. Pensei em fazer a música para cantar com elas. É uma música super empoderada, fala bem sobre ser girl power, e as meninas chegaram abrilhantando com o universo delas, deixaram o resultado incrível.

“Venda Casada” foi um desabafo sobre o que eu sentia na época em relação aos haters e pessoas que colocaram pressão em mim por ser filha de quem eu sou. Ou até por falar que não iria dar certo, ou por falar que seria mais fácil. Foi um desabafo sobre tudo isso, que eu preferi fazer em forma de música em vez de responder comentários ou gravar stories me pronunciando sobre alguma coisa. Preferi guardar para mim e colocar na minha arte.

“Convoca” não tem muito uma mensagem. Eu diria que é aquela música que é para se divertir. Então, quando você tiver se arrumando pra balada, você colocar pra se preparar… É aquela música para as meninas dançarem.

“Roubando a Cena” é uma faixa que vem como single principal. Na composição a gente passa por várias épocas do funk. É um som super dançante, com diferentes comandos de dança, e que tem dois caras do funk que são incríveis e verdadeiras referências para mim, o Kevin O Chris e Dennis.

“Para que tá feio” é um rap/trap. Na letra eu mando uma indireta para algum boy que em algum momento quis me diminuir ou me atingir sobre algumas coisas. É uma indireta bem empoderada e que conta um pouco sobre a minha história e sobre o que eu sinto.

“Arrepiou” é um feat com o OIK, nossa energia bateu logo de cara. É uma música que vem super dançante, animada, pronta para as dancinhas de Tiktok. Um funkzinho com trap que eu amei fazer.

“Implorar Amor” é romântica. Mostrar esse lado mais sentimental é algo muito pessoal para mim e eu fico até com vergonha, às vezes, por falar. Mas essa música é muito a minha cara: me faço de durona e na real não sou sempre assim, me apaixono bem fácil. Por isso resolvi colocar nela meus dois lados de quando estou apaixonada. Em um momento estou super fofa e no outro tô tipo: “anda logo se não, próximo”.

Quando eu fiz “Tá Tarada”, queria algo que a gente conseguisse animar o público em algum show, algum evento, para quando tocasse a galera não ficasse parada. É um refrão bem chiclete e que não sai da cabeça. Ela é a única música do álbum que foge um pouco do funk, trap e pop. Ela traz um pouco da referência do afro beat. Então eu diria que ela é a faixa mais diferentona do álbum, porque a gente misturou funk com afro beat. Fico bem divertido.

A data de lançamento de 2003 está marcada para o dia 10 de maio.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!