Sharon Osbourne
Foto via Shutterstock

Depois de se envolver em uma dura polêmica no ano passado, Sharon Osbourne falou recentemente o que pensa sobre a cultura do cancelamento.

A apresentadora e esposa de Ozzy Osbourne irá retornar à televisão, em parceria com o jornalista Piers Morgan, em uma versão britânica do programa The Talk, do qual ela fazia parte na emissora americana CBS.

Isso ocorre cerca de um ano depois que Sharon foi oficialmente demitida do talk show original após defender seu amigo Morgan, que fez ofensas racistas direcionadas a Meghan Markle durante um programa em uma intensa discussão com a co-apresentadora Sheryl Underwood.

Além disso, o que também contribuiu para sua saída do talk show foram os relatos de ex-colegas que revelaram alguns de seus comportamentos por trás das câmeras, incluindo alguns episódios que envolveriam polêmicas raciais.

Em Setembro do ano passado, Sharon disse em uma entrevista que sentiu que havia sido vítima de uma armadilha e se sentiu completamente traída por suas colegas de programa. Sobre sua demissão, ela disse:

Então você diz algo errado – você não está ameaçando alguém – mas você diz algo errado, e você está fora. Você está fora.

Eles me disseram: ‘Você está em suspensão permanente. Não achamos que você esteja arrependida o suficiente. E decidiremos se você voltará’. E eu disse: ‘Bem, quem vai tomar essa decisão?’ E eles disseram: ‘Não podemos dizer a você’.

A investigação interna da CBS alegou que não houve nenhum tipo de armadilha.

Sharon Osbourne e a cultura do cancelamento

Em uma nova entrevista ao Sunday Times do Reino Unido (via Loudwire), Osbourne afirma que foi colocada em uma lista de rejeição e recebeu ameaças de morte por seu apoio público ao direito de liberdade de expressão de Morgan:

Eles estavam dizendo que viriam à noite, cortariam minha garganta, cortariam a garganta do [meu marido] Ozzy, cortariam a garganta dos meus cachorros. Eu disse: ‘Não vou sair, não vou fazer nada’. Eu simplesmente não conseguia parar de chorar porque tudo que eu estava pensando eram todas as coisas que eu passei na minha vida, e agora eles estão me chamando de racista, isso é insanidade.

A esposa de Ozzy apontou que, nos Estados Unidos, sua carreira essencialmente parou após o incidente. Após a reação pública, ela decidiu recorrer à terapia com ketamina para tratar a ansiedade e a depressão sentidas.

Em seguida, Sharon refletiu sobre a cultura do cancelamento e chamou a atenção para a hipocrisia que acaba existindo muitas vezes com aqueles que se manifestam, destacando o recente episódio envolvendo Will Smith e o tapa que ele deu no comediante Chris Rock no Oscar:

Quando [Smith] ganha [o prêmio de Melhor Ator], todo mundo se levanta. Vocês são tão hipócritas. Vocês vão para casa e dizem o quão vergonhoso o comportamento dele foi, mas vocês se levantam e o aplaudem de pé.

Sabe, é como eu sempre disse, nesta indústria, se as pessoas puderem ganhar um dinheirinho com você… Se Hitler estivesse vivo hoje, eles lhe dariam um programa de TV.

O novo programa apresentado por Sharon Osbourne e Piers Morgan, The Talk, está previsto para ir ao ar na nova rede Talk TV do Reino Unido.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar