Sem perder a classe, Lázaro Ramos rebate críticas de bolsonaristas
Reprodução / Twitter

Lázaro Ramos foi o convidado mais recente do programa Roda Viva na TV Cultura e alguns de seus comentários repercutiram nas redes sociais.

Durante sua participação na noite desta segunda-feira (11), o ator e diretor rebateu os ataques que ele e sua esposa, a atriz Taís Araújo, receberam de Mario Frias, ex-secretário especial da Cultura, e de Sérgio Camargo, ex-presidente da Fundação Palmares, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

Em um momento da entrevista, Lázaro foi questionado pela jornalista Marina Caruso sobre uma colocação de Mario Frias, na qual ele disse que o diretor e sua mulher são “dois artistas que não fazem nada pelo país”, e também sobre Sérgio Camargo ter chamado a atriz de “mimizenta”.

Segundo a jornalista, os ataques surgiram após Taís afirmar que os últimos quatro anos “não foram só difíceis, foram infernais. Um pesadelo em que a gente andou para trás a galope”. Rebatendo as declarações, Lázaro disse:

Isso é campanha política que eles estão fazendo pra chamar a atenção em cima de nós que temos relevância, temos público, e isso vai tirar inclusive o foco dos problemas do governo. É uma cortina de fumaça, isso não tem nada a ver com a gente. É para as pessoas não debaterem sobre o preço da gasolina, o preço dos alimentos. É para as pessoas não debaterem a crueldade, e a falta de valor à vida com que a pandemia foi tratada. É para isso.

Na verdade, essa é uma tentativa que eles fazem há muito tempo, mas cada um luta com as armas que tem. Eu acredito muito nas armas com que a gente está lutando, que é ser ético, correto, respeitoso, trabalhador. É isso que a gente tem a oferecer ao mundo. Com relação a isso, quem vai atrás deles: só lamento.

Elegante e certeiro!

Lázaro Ramos no Roda Viva

Durante o Roda Viva, Lázaro Ramos também falou sobre seu novo filme, Medida Provisória, que estreia nesta quinta-feira (14).

O longa, que tem como protagonista o ator inglês Alfred Enoch, que fala português fluentemente, retrata o Brasil num futuro distópico em que uma MP aprovada pelo governo brasileiro obriga todos os cidadãos negros a serem enviados de volta para a África como forma de reparação ao passado escravocrata do país.

O filme ainda tem nomes como Seu Jorge, Mariana Xavier, Luís Miranda, a própria Taís Araújo e muito mais em seu elenco.

No programa, o ator ainda falou sobre a falta de oportunidade dos jovens negros, se emocionou ao relembrar sua infância, mencionou um boicote ao filme Medida Provisória e ainda confessou que sentiu ciúme ao dirigir cenas de Taís Araújo com Alfred.

Confira abaixo o trecho de Lázaro Ramos rebatendo as críticas dos apoiadores de Jair Bolsonaro e em seguida a entrevista completa do Roda Viva.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar