Fã paraguaio compartilha um dos últimos momentos do FF com Taylor Hawkins
Reprodução / Instagram

Novos relatos de pessoas que conviveram com o icônico e saudoso Taylor Hawkins em seus últimos dias de vida continuam a surgir.

Desta vez, quem descreveu alguns detalhes sobre um dos últimos momentos de convivência entre o baterista e os membros do Foo Fighters foi um professor do Paraguai, Lucas Ovelar.

O rapaz foi guia turístico e intérprete da banda durante a visita deles a Assunção nos dias 21 e 22 de Março, dias antes do trágico falecimento do artista que ele admirava.

Em um longo texto enviado ao Consequence of Sound, Ovelar compartilhou sua experiência, citando sua relação com o Foo Fighters e também descrevendo a passagem da banda pelo Paraguai.

Lucas iniciou o relato falando sobre a empolgação que sentiu ao ver sua “banda favorita de todos os tempos” desembarcar em seu país pela primeira vez. “Parecia que o Papa estava vindo para a cidade”, declarou o professor. Em seguida, ele contou:

Eu era fã do Foo Fighters desde os 13 anos, e toda a minha adolescência foi consumida pela banda. Tanto que eu e minha namorada Ailyn os acompanhamos sempre que eles faziam turnê pela América do Sul, viajando para países próximos como Argentina e Brasil. A paixão que compartilhávamos pelos Foos fortaleceu nosso vínculo. Nossas viagens nos levaram a locais inesperados na América do Sul, como Colômbia e Chile, e até a Europa para shows na Espanha, Bélgica e França.

Taylor Hawkins e Foo Fighters no Paraguai

Em seguida, Lucas contou que, após ser contratado pelos produtores locais para servir como intérprete e guia turístico da banda, ele foi até o hotel em que os músicos estavam hospedados no dia 21 de Março.

Ao chegar no local, ele falou com todos os membros da banda e, naquela noite, eles queriam provar a carne paraguaia. Ele disse:

Fomos ao melhor restaurante da cidade. Eles gostaram da comida e foram super entusiasmados, falantes e muito fáceis de conversar. Também era óbvio o quanto eles estavam ansiosos para tocar aqui no dia seguinte. Eles foram para a cama naquela noite esperando se apresentar no festival no dia seguinte – mas ninguém imaginava o que o destino estava preparando para todos nós.

O Foo Fighters seria a atração principal do festival mais importante do país, o Asuncionico, na terça-feira (22), porém o evento foi cancelado por conta das más condições climáticas.

Sem a realização do evento, vários fãs da banda se reuniram do lado de fora do hotel que eles estavam e começaram a chamar pela banda. Foi lá, inclusive, que a jovem baterista paraguaia Emma Sofía teve a sorte de encontrar seu ídolo três dias antes da morte do músico. Por aqui, te contamos mais alguns detalhes dessa história.

Lucas Ovelar conta ainda que, no momento em que Taylor desceu para atender os fãs, ele prometeu voltar ao Paraguai o mais rápido possível.

Sobre o dia seguinte, quando o Foo Fighters estava se preparando para ir a Colômbia, onde ia se apresentar no Festival Estéro Picnic de Bogotá, o professor conta:

Embora ainda chateados com a chuva da noite anterior, os membros da banda estavam visivelmente empolgados em continuar sua turnê latino-americana. Taylor, em particular, estava conversando alegremente com o colega de banda Pat Smear sobre a recente colaboração do Foo Fighters no palco com Perry Farrell.

Minutos antes de sua partida, pedi-lhes uma fotografia e eles aceitaram alegremente. Sem saber, capturei um dos últimos momentos felizes de toda a banda junta.

Dois dias depois, surgiu a triste notícia de que Taylor Hawkins havia falecido dentro de seu quarto de hotel em Bogotá. Lucas, que esteve em contato dias antes com o baterista, disse que ficou “chocado e devastado”, e que na verdade ainda está se sentindo assim.

Próximo do final de seu texto, ele citou sua admiração por Hawkins e descreveu seu encontro com a banda como “um conto de fadas do rock ‘n’ roll da vida real”:

Eles dizem ‘nunca conheça seus heróis’, porque eles irão decepcioná-lo. Isso não se aplicava a Taylor Hawkins. Antes mesmo de conhecer Taylor, ele teve um impacto monumental na minha vida. Ele foi a prova de que você pode ser um baterista incrível, um frontman incrível e um ser humano incrível, tudo ao mesmo tempo e mantendo-se humilde.

Ele foi a razão pela qual eu me tornei baterista em primeiro lugar, e ele me ensinou a apreciar outros grandes nomes do rock como Roger Taylor, John ‘Bonzo’ Bonham e Neil Peart. Todas essas qualidades e outras ficaram aparentes quando eu vivi um conto de fadas do rock ‘n’ roll da vida real, passando dois dias com Hawkins e o resto do Foo Fighters.

Confira abaixo alguns registros de Lucas ao lado do Foo Fighters, que ele compartilhou em sua conta do Instagram. Que falta você faz, Taylor!

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar