Nova Orquestra - homenagem a Cazuza

Não há dúvidas de que Cazuza foi um dos nomes mais incríveis da música brasileira.

Além disso, se ele estivesse vivo com certeza estaria sendo uma das mais importantes vozes no que diz respeito à situação política e social do país.

Há algum tempo a Nova Orquestra tem celebrado uma série de artistas nacionais que vão do rock alternativo até a MPB, e chegou a hora de homenagear o icônico vocalista do Barão Vermelho que trilhou uma das carreiras solo mais importantes da década de 80 no Brasil.

“EXAGERADO”: Nova Orquestra homenageia Cazuza

Dando seu toque clássico a verdadeiros hits da música, a Nova Orquestra irá realizar apresentações incríveis onde transformará canções como “Exagerado”, “Pro Dia Nascer Feliz”, “Brasil”, “O Tempo Não Para” através de arranjos com dezesseis violinos, seis violas, quatro cellos, uma flauta, uma clarineta, duas trompas, dois trompetes, um trombone, uma bateria e um baixo elétrico.

O TMDQA! conversou com Eder Paolozzi, regente titular da Nova Orquestra e da Funk Orquestra, responsável pela direção artística do tributo a Cazuza e ele falou mais sobre “Exagerado”.

TMDQA!: A Nova Orquestra criou uma tradição recente de celebrar obras dos mais variados estilos musicais com suas interpretações, do Indie ao Rock. Como surgiu a ideia de abordar a obra de Cazuza?

Eder Paolozzi: Queremos sempre homenagear grandes artistas da nossa música brasileira, que é uma das mais ricas do mundo. Tivemos a bênção da própria mãe do Cazuza e isso nos deixou muito motivados. Buscamos sempre alternar concertos de música internacional com brasileira, e o Cazuza era um encontro natural!

TMDQA!: O nome de Cazuza é tão forte, e praticamente incontestável, que só de ouvi-lo já pensamos em um punhado de hits e performances históricas. Como funciona o processo de adaptação de suas canções para o formato de Orquestra? Como é trabalhar com um nome tão grande e ter o cuidado para que suas canções sejam revisitadas de maneira criativa?

Eder Paolozzi: A música do Cazuza é fantástica! Dessa riqueza, procuramos extrair o maior número de cores e matizes possíveis, sem descaracterizar as canções. A ideia é que as pessoas reconheçam o Cazuza mas tenham aquele frescor, como se estivessem ouvindo pela primeira vez. De fato é uma versão única pensada com todo carinho pra trazer uma experiência diferente!

TMDQA!: A formação de músicos que irá se apresentar é bastante plural. Conta pra gente sobre o time de artistas!

Eder: Nós estamos sempre de olho, ou melhor, de “ouvidos” para os talentos emergentes do cenário musical, seja nas escolas de música ou nos projetos sociais, procurando sempre valorizar a diversidade no grupo. Temos uma base que foi se formando ao longo dos últimos anos, e a característica principal dos nossos músicos é a entrega e energia contagiante nas apresentações. Buscamos músicos de mente aberta, que se identificam com estilos musicais variados e com a proposta da Nova, e a Vale Música nos trouxe todo um grande universo de novos talentos por todo o Brasil. Não vemos a hora de juntar aos palcos músicos do Rio, Corumbá, Serra e Belém!

TMDQA!: Uma dúvida que deve surgir na cabeça de muita gente é como vocês fazem para “substituir” os vocais em performances orquestrais, já que as letras das canções de Cazuza são tão fortes. Como é esse processo? Quanto vocês contam com o público para cantar junto em um ambiente onde muitos até têm vergonha de fazê-lo, por acharem que é um desrespeito à orquestra?

Eder: Uma das nossas missões é justamente desmistificar o que é uma orquestra. Queremos que o público se sinta à vontade e seja parte do espetáculo. A gente ama ouvir esse lindo coral formado na plateia. Desde a primeira música já incentivamos essa participação e quebramos essa barreira palco/plateia.

TMDQA!: Quais são os planos da Nova Orquestra para o futuro?

Eder: Vamos gravar um documentário e teremos algumas turnês pelo Brasil. Uma característica legal da Nova é a relação próxima com o público e as cidades pelas quais passamos sempre pedem nossa volta. Esse ano devemos ter algumas apresentações também no Nordeste. Vem muita coisa boa por aí!

Serviço

05/04 – Rio de Janeiro
Local: Sala Cecília Meireles (Rua da Lapa, 47 – Centro)
Horário: 20h
Classificação: Livre

06/04 – Vitória
Local: Sesc Gloria (Av. Jerônimo Monteiro, 428 – Centro)
Horário: 20h
Classificação: Livre

08/04 – Belo Horizonte
Local: Minascentro (Av. Augusto de Lima, 785 – Centro)
Horário: 20h
Classificação: Livre

10/04 – Belém
Local: Theatro da Paz (Avenida Presidente Vargas, S/N)
Horário: 19h
Classificação: Livre

Repertório do concerto “Exagerado” / Setlist do show

  1. Pro dia nascer feliz
  2. Preciso dizer que te amo
  3. Codinome Beija-Flor
  4. Ideologia
  5. Todo Amor que houver nessa vida
  6. Bete Balanço
  7. Só as mães são felizes
  8. O nosso amor a gente inventa
  9. Maior abandonado
  10. Solidão que nada
  11. Faz Parte do meu show
  12. Blues da Piedade
  13. O Tempo não Para
  14. Exagerado
  15. Brasil

Ingressos

Você pode encontrar os seus ingressos para as apresentações da Nova Orquestra em Rio de Janeiro, Vitória, Belo Horizonte e Belém clicando aqui.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar