Nara Couto
Foto por Kevin Oux

Através do olhar de uma mulher preta, a cantora e compositora baiana Nara Couto exalta a ancestralidade em seu novo álbum, Retinta. No disco, a artista convoca todas as mulheres do seu clã a reconhecerem seu valor, que é historicamente negado pela sociedade.

Embalado por uma linguagem pop, com um suingue que convida para a dança, o trabalho aborda a afetividade, em suas mais variadas formas, como uma ferramenta política e de filosofia de vida. Logo de cara, na faixa que abre e dá título ao disco, Nara mostra a que veio, ressignificando a expectativa sobre ser esta mulher:

Quis falar sobre como eu me sinto, potente, me amando, me autorizando a ser quem eu sou, a falar sobre afetos, não precisando ser a mulher que sempre está lutando e resistindo, sem precisar ser forte o tempo todo. É preciso nos defender e pontuar como somos vistas na sociedade, de forma excludente e tendo nossa beleza negada.

A artista assina a produção musical do disco ao lado de Faustino Beats, e o resultado chega de forma harmônica, expondo a soma dessas duas linguagens sonoras. Enquanto Faustino imprime todo o conhecimento de música eletrônica, urbana, do rap, com arranjos sofisticados, Nara complementa com a sua sonoridade, que vem dos tambores religiosos, da vivência com sons e ritmos de países africanos e na forma de cantar, trazendo duas grandes inspirações: Sara Tavares e Sade Adu.

Lançado via selos Alá Comunicação e Natura Musical, Retinta ainda traz a participação do produtor baiano RDD, em “Tempo“, e da cantora angolana Ary, em “Sol“. Esta última, inclusive, foi composta por Nara Couto em parceria com Marisol Mwaba e Eduardo Brechó (Aláfia).

Bloco do Caos

Bloco do Caos
Foto: Divulgação

A banda paulista Bloco do Caos se uniu ao rapper brasiliense GOG para seu novo single, a faixa “Abaixa Que é Tiro”, uma crítica feroz e direta à violência policial desmedida que ainda assola o país.

Trazendo uma mistura dançante de diversos elementos da música brasileira com o reggae, o rock, o rap e até mesmo o funk carioca, o lançamento é mais uma das amostras do que podemos esperar do novo álbum do grupo, Minha Tribo.

Em “Abaixa Que é Tiro”, Bloco do Caos e GOG ressignificam discursos e expressões para demonstrar que a resistência é a única forma de vencer a opressão. Como bem diz o rapper, “a rima denuncia” e, nesse novo álbum, o Bloco traz a crítica e o questionamento na letra, mas sem deixar de lado o instrumental super dançante e explosivo. O resultado são músicas que funcionam para a pista mas que, ao mesmo tempo, trazem reflexões.

Com quase 10 anos em atividade, o Bloco do Caos é conhecido pela energia de seus shows e pelas mensagens fortes e sonoridade diversificada de suas músicas. A banda planeja ainda para o primeiro semestre de 2022 o lançamento do álbum Minha Tribo. Além de GOG, o disco trará as participações de peso do Maneva, do Planta & Raiz, da Marina Peralta, da banda argentina Los Cafres e mais uma surpresa especial que a banda guarda em segredo.

Ouça a seguir o single “Abaixa Que é Tiro”.

trema¨

trema¨ é o novo projeto do músico paulista Lucas Lippaus (ex-Herod) e já chega ao mundo com uma série de 11 singles e vídeos, intitulada BR-Lockdown. Ao longo de Março e Abril, a cada semana o artista apresenta duas novas faixas, cada uma com uma parceria diferentes nos vocais.

A ideia do BR-Lockdown surgiu devido a vários acontecimentos na vida pessoal de Lucas, sobretudo quando, em 2021, se mudou para Indaiatuba, no interior de São Paulo. Segundo o músico, houve um choque cultural para sua família, “principalmente pela cidade ter um perfil bolsonarista e negligenciar a pandemia“:

Com o projeto, procurei fazer um desabafo com a situação de pandemia e notei que os músicos convidados também. Optei pelas músicas serem extremamente curtas, com no máximo um minuto e meio de duração. Queria fazer algo direto e que não fosse cansativo para as pessoas.

Para a série de singles, onde se lança como produtor, Lucas Lippaus se inspirou em bandas de no-wave dos anos 80, como também em bandas no estilo noise-rock e post-hardcore. Conforme ia produzindo as músicas, surgiu a ideia de trabalhar com audiovisual e chamar outros vocalistas.

BR-Lockdown se completa no dia 18 de Abril, quando o disco estará disponível nas plataformas de streaming. A série conta com Lucas Lippaus (guitarras, baixos, arranjos, produção, mixagem e masterização) e Max (bateria). Os vídeos são uma produção da Bad Chinchilla, com os diretores Paulo Valentim e Fabio Salvador.

Os vocais, por sua vez, ficaram a cargo de Cint Murphy (In Venus), Douglas Leal (Deafkids), Filipe Giraknob (Vathlo, ex-Supercordas), Sandrox Duarte (Cristo Bomba), Vitor Meira (Bratislava), Claudio Cox (Giallos), Liu Anno (Podcast Na Fila de Banheiro, ex-Fluhe), Bruno Monstro (Twinpines), May Manão (Crime Caqui, Tôrta), Amanda Rocha (La Burca) e Fernanda Gamarano (Der Baum).

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!