Ed Motta detona rockeiros em vídeo
Reprodução/Instagram

Nos últimos dias, Ed Motta tem sido um dos assuntos mais comentados da música brasileira por algumas declarações pra lá de polêmicas.

Além de ter detonado músicos como Raul Seixas e Johnny Cash, Ed também aproveitou sua live para falar de forma geral contra o “pessoal de Rock”. Em trecho compartilhado pelo baixista Felipe Andreoli (Angra) no Instagram, ele diz:

O pessoal de Rock é de direita, misógino, burro e tocador de pentatônica. Puta que pariu! Um bando de idiota, tá? Porra!

Em sua publicação, Andreoli perguntou apenas a opinião de seus seguidores sobre a fala de Ed e pediu para que eles deixassem “recados carinhosos” para o cantor, além de ironizar o vídeo com a hashtag #SeBeberNãoPoste.

Ed Motta detona rockeiros em vídeo

E, seguindo os pedidos de Felipe, diversas pessoas relacionadas ao gênero apareceram por lá. Um deles foi o companheiro de banda do baixista, o guitarrista Marcelo Barbosa:

Velho… Ele só pode estar querendo aparecer… (ou ficou maluco). Não é possível que ele realmente pense isso…

Outro a se pronunciar foi Júnior Groovador, o “baixista dançarino” que tocou junto com o Tenacious D em show no Rock in Rio:

Ed Motta tá precisando de sexoooooooooooooooo groovado pra deixar de falar merda [risos]. Misturar [política] com música…

Um dos comentários mais sérios foi feito por Beto Lee:

Mano, deixa ele falar. Peixe morre pela boca. Tiozinho tá lelé.

Diversas outras personalidades como Alírio Netto, Bruno Sutter e Cacau Santos também deixaram recados, mas fechamos aqui com destaque para uma longa (e ótima) explicação do baixista PJ, do Jota Quest:

O Rock está em todos os lugares e é de longe o estilo musical mais inclusivo de todos, sempre foi aberto a todos na sua essência. Freddie Mercury, Cássia Eller e Janis [Joplin] só para citar alguns. O Rock sempre foi o estilo porta voz de vários movimentos sociais, a canção ‘Hurricane’ do [Bob] Dylan é um marco contra o racismo, a obra ‘The Wall’ do Roger Waters é uma severa crítica aos rígidos padrões da sociedade capitalista, ‘Beds Are Burning’ do Midnight Oil e ‘Oxigênio’ da minha banda abordam o tema do ambientalismo, ‘I Want to Break Free’ do Queen sobre a emancipação dos direitos das mulheres e por aí vai! Ficaria aqui até amanhã citando exemplos.

Quanto ao tipo de escala usada, harmonia ou técnica para se expressar, isto pouco importa na música. Vamos apelar para o clichê ‘o menos é mais’…. na verdade o feeling, o coração e a mensagem/poesia da letra sempre falam mais alto que técnica e virtuosismo. Vamos entender mais o Rock na sua origem? Porque se não fosse ele o mundo estaria muito, mas muito pior! Não vou falar nem da inclusão social, racial e religiosa que o Rock sempre promoveu. Enfim, não é em todos os estilos de música que você encontra tanta diversidade assim.

Você pode conferir a postagem de Andreoli logo abaixo.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Felipe Andreoli (@felipeandreoli)

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar