Fióti e Tuyo
Foto por Gabriela Araújo

O músico e compositor paulistano Fióti dá novos contornos ao single “Quando For Falar de Amor“, sua parceria com a banda Tuyo. A faixa, lançada originalmente em 2020, voltou aos holofotes ao integrar a trilha sonora do filme “Lulli”, protagonizado por Larissa Manoela e disponível na Netflix.

Composta em parceria com o rapper Coruja BC1 e lançada pela Laboratório Fantasma, a canção ganha uma nova versão, intitulada “Quando For Falar de Amor (Summer Song)“. Assim como na primeira vez, a faixa traz a participação da Tuyo e é uma música que, segundo Evandro Fióti, desperta uma sensação de abraço:

Fazer parte da trilha do filme foi importante para expandir a mensagem da música para mais corações. O atual momento da sociedade pede por mais serenidade e por uma conexão maior consigo. Acredito que essa música tenha esse papel também, o de ajudar a equilibrar as nossas emoções.

Com produção assinada por Mônica Agena, o complemento no título do single faz alusão às faixas de R&B que marcam as paradas de sucesso norte-americanas falando de amor e de afeto, explica Fióti:

Quando pensei que essa nova versão sairia no verão, percorremos uma estética sonora popular, leve, afetiva, convidativa e solar. É um convite a se amar e a dançar, mesmo que seja consigo mesmo. Às vezes, essa pode ser a melhor dança, sentir o que o afeto e o amor têm a dizer para você, afinal viver na incerteza pode, de fato, ser pior que não tentar, então quero que as pessoas se amem, para poder amar o próximo. Nessa nova versão, quis expandir esse olhar afetivo para o amor próprio também.

Nativos MCs

Nativos MCs
Foto por Diego K. Yawalapiti

Em 22 de Abril de 2021, dia em que se celebra o “Descobrimento do Brasil”, o grupo Nativos MCs homenageou as origens dos povos que viram suas terras invadidas com o single e clipe “Sou Kuikuro”. Agora, quase um ano depois do lançamento, o trio indígena troca o boombap da original pelo trap em uma nova interpretação da faixa.

A novidade contou com os beats de Senpai e é um lançamento do projeto Voa Parente, do selo Azuruhu, destinado a oferecer visibilidade e representatividade para iniciativas musicais de povos originários de várias regiões do Brasil.

“Sou Kuikuro” traz o orgulho da terra e da comunidade de onde se originam Macc JB, Urysse Kuykuro e PajéMC. A faixa é uma celebração do povo Kuikuro, de suas tradições e culturas, dos mais velhos que passam a sabedoria para os mais jovens.

O projeto Nativos MCs surgiu na Aldeia Afukuri, localizada no Alto Xingu (MT). Os rappers mostram sua realidade e defendem seu território e tradição por meio da música. A língua Kuikuro se funde ao Português em uma proposta de ampliar o discurso político de um povo que lida com constantes violências, como desmatamento, poluição, queimadas, invasões, envenenamento da terra e da água. Todas essas questões surgem nas letras dos Nativos MCs, como conta o trio:

A inspiração nas letras é para trazer um olhar para essas questões e a atenção para os temas que nos afetam e que a sociedade brasileira não tem noção. Devido a uma educação em bases coloniais, a população é educada sem saber nada sobre as verdadeiras realidades e a diversidade indígena no país.

A cultura se mantém viva dentro do território, e também resiste em todos os espaços, em tradições e práticas diárias. Assim, unidos e fortes para continuar existindo, tendo forças para as lutas. O nosso compromisso enquanto povos indígenas é defender nossas terras e a biodiversidade.

O projeto Voa Parente promove trocas entre jovens artistas de diferentes etnias indígenas por todo o país sobre os caminhos na arte e na música, gerando incentivo e autoestima. Indígenas favelados estão proporcionando as ferramentas para gravação, produção musical e audiovisual para outros grupos e artistas indígenas que estão surgindo na cena musical e que vivem também em outras realidades, seja nas aldeias ou nas cidades.

Kanichi

Kanichi
Foto por Thaylon Reis

Formada por Felipe Kuroda (guitarra, sintetizador e vocal) e Renato Rezende (bateria), a banda tocantinense Kanichi usa a ajuda da tecnologia pra criar suas músicas. Recentemente, o duo lançou o seu primeiro single de 2022, a inédita “Sem Mais Ninguém“.

Baseada em um personagem de “Cem Anos de Solidão”, romance do escritor colombiano Gabriel García Márquez, a música conta a jornada de um sujeito que, ano após ano, perde as esperanças de ser feliz, tornando-se uma pessoa reclusa dentro do seu próprio mundo.

“Sem Mais Ninguém” retrata o desespero do personagem frente ao tempo que passa sem conseguir se mostrar relevante. Misturando a energia da música com o conto da letra, a ideia é permitir ao personagem a sensação de se ver livre desse mundo.

O single foi gravado ainda em 2021, em Goiânia, com o produtor e músico Braz Torres, responsável pela mixagem do mais recente disco da Carne Doce (Interior, 2020). Sobre as expectativas para o lançamento, Felipe comenta:

A Kanichi espera que as pessoas deem uma chance pra nova música, já que ela foi feita com muito carinho e pensada de maneira bem especial.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!