David Crosby
Foto via Wikimedia Commons

Depois de seguir os passos de Neil Young e deixar o Spotify em função das recentes polêmicas envolvendo o podcast de Joe Rogan, David Crosby falou sobre o desgosto que todas as plataformas digitais lhe provocam.

Em entrevista para o Stereogum, o cantor e guitarrista — que já colaborou com diversos jovens artistas — mencionou o privilégio de ser um ícone da cultura pop com fama e sucesso já conquistados e como o panorama atual da indústria digital prejudica cantores iniciantes:

Não seja um músico. Você sabe o quanto é uma merda para mim dizer isso? Algum jovem brilhante que tem talento, como Becca Stevens, Michelle Willises e Michael Leagues, ou até mesmo meu filho James [Raymond]. Eu não quero dizer para eles, e é a verdade. Eu não tenho qualquer esperança para nada.

David — que também viu seus ex-companheiros na Crosby, Stills & Nash retirarem seus catálogos do Spotify — condenou a falta de compensação financeira dos serviços de streaming aos artistas e disse que os jovens “não têm para onde ir”:

Eles não têm para onde ir. Eles têm o Bandcamp. Algumas coisas como essa são bem boas para eles. É o que eu encorajo que eles façam, vão para essas plataformas. A questão com [os streamings], cara… em questão de princípios, eu acho que todo mundo deveria tirar suas coisas, mas eu acho que a maioria das pessoas não pode fazer isso simplesmente porque mesmo a miséria que eles pagam é melhor que nada pra maioria das pessoas. Então é isso, é isso que eles têm que fazer.

Complicado! Vale lembrar que, em média, o Spotify paga US$0,00437 por reprodução para cada artista, enquanto o Apple Music paga cerca de US$0,00783. A melhor taxa entre os serviços mais populares é a do TIDAL, que paga US$0,01284.

David Crosby deve lançar disco com a Lighthouse Band em breve

Ainda no mesmo papo, Crosby mencionou a Lighthouse Band, grupo que ele forma com o filho citado na conversa, James Raymond. Crosby disse que serve a um propósito superior, dando mais detalhes sobre seu novo projeto e fazendo questão de ressaltar que a banda formada em parceria com seu filho não é algo que leva apenas a sua assinatura:

O que James e eu estamos fazendo, e o que a Lighthouse Band está fazendo — nós estamos gravando um álbum de todo jeito, porque nós amamos gravar discos e porque achamos que fazer música é uma força superior. Você pode me citar. Eu acredito nesta merda hippie. Eu acho que música é uma força superior, e eu acho que vivemos tempos muito difíceis, e as pessoas precisam se elevar. Eu estou fazendo música porque a música torna as coisas melhores e deixa as pessoas mais felizes. Isso é suficiente para mim. Se eu não sou pago, eu não sou pago.

Tem uma música no meu próximo disco, escrita por Gillian Welch e que fala sobre isso de forma muito bonita. Eu tenho um outro álbum inteiro — finalizado, pronto, mixado, engatilhado — da Lighthouse Band. Eu fui mais a fundo com eles no sentido de ‘banda’. Eu disse, ‘Escuta, nós vamos escrever essa juntos e também vamos cantar juntos’. Vai ser um álbum da banda, não do David Crosby. E nós conseguimos. Não temos um título para [o disco] ainda, mas está incrível e está pronto. James e eu até já começamos a trabalhar em mais um. Se trata da única coisa que a gente pode fazer. [As plataformas digitais] não nos pagam por isso, mas permitem que eu faça música que torne as coisas melhores.

A gente já aguarda esse projeto!

LEIA TAMBÉM: David Crosby foi chamado de “velho idiota” pela família após fala sobre Eddie Van Halen

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar