David Draiman Disturbed
Foto: Reprodução/Youtube

Depois de aplaudir a remoção de todo o catálogo de Neil Young quando o veterano cantor deu um ultimato ao Spotify na polêmica envolvendo Joe Rogan, David Draiman disse que os serviços de streaming “salvaram a música”.

Em uma série de posts feitos no Twitter nesta quarta-feira (9), o vocalista do Disturbed, de 48 anos, mais uma vez se colocou ao lado do Spotify. Segundo Draiman, o serviço foi uma ferramenta fundamental para abolir o domínio da pirataria ilegal no mercado na última década (via Blabbermouth):

A todos aqueles atacando o Spotify, jovem ou velho, fariam muito bem lembrando de duas coisas chamadas PIRATARIA MUSICAL e SITES DE TORRENT. Antes do streaming aparecer, os artistas e a própria indústria da música estavam entrando em colapso. Por quê? Por causa dos chefes de gravadora que na época se recusavam a enxergar o futuro quando um jovem Sean Fanning e Sean Parker, os caras por trás daquela pequena startup chamada Napster, os abordaram com uma nova forma de chegar até os seus consumidores em níveis sem precedentes, e [os executivos] não os escutaram. Em vez disso, Fanning e Parker deixaram a Napster fazer o que fazia de graça. Pirataria e sites de torrent em breve seguiram essa perspectiva de que ‘música deveria ser de graça’. Artistas sofreram, gravadoras sofreram e a indústria quase colapsou. Precisou o STREAMING chegar para trazê-la de volta. O streaming tornou as gravadoras lucrativas de novo, fez os catálogos dos artistas lucrarem com royalties, e tornou a pirataria obsoleta. O streaming tornou o catálogo dos artistas em um legado, como o de Neil Young e outros tremendamente valiosos. Criou o ambiente atual onde pessoas podem ouvir suas músicas, e onde músicos têm a oportunidade de vender seus catálogos, o que aumentou seu valor, como Neil fez.

Draiman seguiu cutucando Young e outras celebridades da música que se voltaram contra o Spotify e mais uma vez falou do Napster:

Artistas, vocês querem culpar alguém? Culpem os chefes de gravadoras que não quiseram saber do Napster e se recusaram a adotar novas tecnologias em favor de um sistema antiquado que tinha uma margem de lucro melhor. Culpem seus advogados e seus empresários por não negociarem uma melhor porcentagem e seus respectivos contratos, e culpem a SI MESMOS por não prestarem atenção nisso. A maioria dos artistas por aí tem enriquecido com o streaming… e os fãs de música têm acesso a mais qualidade para acessar toda a música que existe. Em resumo, parem de reclamar, se eduquem e leiam a porra dos seus contratos. O streaming salvou a música. Queiram vocês aceitar ou não… essa é a VERDADE.

Veja a seguir as postagens de David Draiman no Twitter.

LEIA TAMBÉM: David Draiman (Disturbed) fala sobre as duas bandas que são sua “esperança” no Rock

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar