Spotify faz acordo com o Barcelona pelo nome do Camp Nou
Fotos via Wikimedia Commons

O chefe executivo do Barcelona, Ferran Reverter, pediu demissão na manhã desta terça-feira (8) em meio ao acordo bilionário que o clube espanhol finaliza com o Spotify.

Segundo nota publicada nas redes sociais do time catalão (via The Guardian), o motivo do desligamento de Reverter estaria relacionado ao fato dele querer “dedicar mais tempo a projetos pessoais e a família”.

No entanto, a imprensa da Catalunha afirma que o profissional teria abandonado seu cargo no Barcelona por conta de desentendimentos com relação ao acordo de patrocínio que vem sendo negociado com o Spotify.

Inclusive, enquanto o presidente do time Joan Laporta fechava a parceria com a empresa sueca, Reverter estava em viagem aos Estados Unidos. Ainda de acordo com os jornais espanhóis, havia uma disputa interna entre eles pelo poder de decisão nos rumos financeiros do time.

No comunicado emitido pelo clube, o Barcelona agradece a Reverter pelos serviços prestados, incluindo a “restruturação da dívida, a aprovação dos torcedores com relação ao projeto de financiamento Espai Barça, a redução salarial estabelecida e os acordos feitos com novos patrocinadores”.

Os mandatários do time afirmam ainda que Ferran continuará no cargo até que um substituto seja encontrado.

Parceria do Barcelona com o Spotify

Nos termos do negócio avaliado em R$1,6 bilhão, o Spotify emprestará seu nome ao famoso estádio Camp Nou, além de ter sua marca estampada nas camisas das equipes masculinas e femininas do clube.

De agora em diante, espera-se que o lendário local seja chamado de “Spotify Camp Nou”, nos moldes de grandes clubes da Europa (Allianz Arena, Emirates Stadium) e do Brasil (Allianz Parque, NeoQuímica Arena).

A parceria com o serviço de streaming terá duração de três anos e entrará em vigor dentro de alguns meses, quando os contratos do Barcelona com seus patrocinadores, Rakuten (principal) e Beko (secundário), terminam.

Segundo o The Guardian, o Barcelona não quis comentar sobre o novo acordo, que deve ser anunciado nesta semana e chega justamente durante a turbulência que o Spotify encara após polêmicas geradas pelo podcast de Joe Rogan.

Spotify e futebol

Em tempo, vale ressaltar que essa não é a primeira investida de Daniel Ek com relação ao futebol. Algum tempo atrás, o executivo tentou comprar o Arsenal, clube inglês, e foi rechaçado por diversos artistas que criticaram a disparidade entre os valores bilionários da possível compra e as frações de centavos recebidas pelos músicos.

Na época, ele alegou que aqueles que reclamavam estavam sendo “mimados”.

LEIA TAMBÉM: Neil Young incentiva funcionários do Spotify a pedirem demissão antes que empresa “coma suas almas”

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar